cinema pensante

Como um bom filme pode mudar a nossa vida

Sílvia Marques

Doutora em Comunicação e Semiótica, psicanalista lacaniana, escritora e atriz. Indicada ao Jabuti 2013. Idealizadora da Pós em Cinema do Complexo FMU.

www.psicanalistasilviamarques.com

A diferença entre simplesmente namorar e estar enamorado

Quando dois enamorados começam a namorar não existe coisa mais bonita e poética neste mundinho cinzento e triste. Quando amor e namoro se dão as mãos, entrelaçando os dedos e seguindo pelo mundo afora, até o ar parece mais fresco. As folhas mais verdes. As flores desabrocham. Os pássaros alçam voos mais altos, rasgando o céu com suas asas. Com as asas das múltiplas possibilidades.


Wuthering Heights (1992).png

Cena do filme O morro dos ventos uivantes, versão dirigida por Peter Kominsky

Em tempos líquidos, em que como diria Cazuza, o nosso amor a gente inventa, está cada vez mais raro encontrar pessoas enamoradas. O que vemos mesmo são pessoas que simplesmente namoram.

Simplesmente namorar é estabelecer um acordo tácito com alguém, em que cada um dos pares terá as suas obrigações dentro da relação para fazê-la funcionar. Simplesmente namorar é escolher racionalmente uma pessoa para nos fazer companhia e que preencha determinados requisitos, com o intuito de evitarmos problemas e contratempos.

Sim, o amor cansa. O amor é exaustivo pois quem ama se importa com tudo o que o outro faz ou deixa de fazer. Quem ama capta sutis oscilações na voz, escuta palavras que não são ditas, se entristece com o sofrimento do amado, enrubesce só de olhar nos olhos de quem ama, sente uma alegria inexplicável só de receber uma mensagem.

Simplesmente namorar é facilitar a rotina do final de semana. Quem namora, não precisa ficar correndo atrás de companhia para uma pizza ou um cinema. Quem namora, não precisa segurar vela quando é convidado para festas. Quem namora, tem o conforto de um parceiro sexual fixo.

Quem está enamorado quer muito mais do que uma companhia para sair no final de semana. Quem está enamorado sente o coração pular no peito só de ouvir a campainha do WhatsApp. Quem simplesmente namora diz eu te amo como quem fala "vou até a banca de jornal comprar cigarros". Quem está enamorado diz eu te amo pelos poros da alma. O amor verdadeiro é algo tão estridente que até mesmo o asfalto da rua por onde um casal enamorado passa sabe que ambos se amam.

Quando dois enamorados começam a namorar não existe coisa mais bonita e poética neste mundinho cinzento e triste. Quando amor e namoro se dão as mãos, entrelaçando os dedos e seguindo pelo mundo afora, até o ar parece mais fresco. As folhas mais verdes. As flores desabrocham. Os pássaros alçam voos mais altos, rasgando o céu com suas asas. Com as asas das múltiplas possibilidades.

Quando amor e namoro tocam os lábios, almas são reveladas e músicas podem ser ouvidas pelo coração. Versos errantes começam a dançar pelo ar numa coreografia de plenitude e paz com a natureza.


Sílvia Marques

Doutora em Comunicação e Semiótica, psicanalista lacaniana, escritora e atriz. Indicada ao Jabuti 2013. Idealizadora da Pós em Cinema do Complexo FMU. www.psicanalistasilviamarques.com.
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// @obvious, @obvioushp //Sílvia Marques