cinema pensante

Como um bom filme pode mudar a nossa vida

Sílvia Marques

Paulistana, escritora, idealista em crise, bacharel em Cinema, cinéfila, professora universitária com alma de aluna, doutora em Comunicação e Semiótica, autodidata na vida, filósofa de botequim, com a alma tatuada de experiências trágicas, amante das artes , da boa mesa, dos vinhos, de papos loucos e ideias inusitadas. Serei uma atleta no dia em que levantamento de xícara de café se tornar modalidade esportiva. Sim, eu acredito realmente que um filme possa mudar a sua vida! Autora do blog Garota desbocada. Lancei recentemente em versão e-book pela Cia do ebook o romance O corpo nu.

O que aprendi vendo filmes...

Aprendi que cinema é um meio de conhecer costumes variados, quebrar paradigmas, investigar os subterrâneos da alma, colocar o dedo na ferida, cutucando-a bem no fundo. Aprendi que tem o seu lado de prosa e o seu de poesia. Que cinema é inteligente e afetivo. Que cinema é intelectual e sensorial. Remexe com valores , cria conceitos por meio dos sentidos. Cinema é papo sério...como se diria antigamente...papo firme. É papo para quem gosta de papear mesmo. É papo para quem não fica na superfície.


cinema-paradiso.jpg

Cena do filme Cinema Paradiso

O que aprendi vendo filmes? Aprendi que cinema é muito denso. Que tem muitos filmes mais profundos e complexos do que muitos livros. Que filme pode ser comercial ou de arte da mesma forma que existem livros memoráveis e outros esquecíveis. Aprendi inclusive que existem alguns filmes comerciais muito bons.

Aprendi que filme mexe profundamente com os nossos sentidos e com isso reestrutura a nossa forma de pensar e sentir a longo prazo. Aprendi que por meio das imagens , formamos conceitos. Ver filme não é apenas passatempo enquanto se come pipoca e faz as unhas do pé numa tarde preguiçosa de domingo. Cinema não é só para fazer rir ou chorar ou sentir medo como nos ensinaram desde cedo.

Aprendi que o cinema é um tipo sensorial de fazer filosofia. Que por meio dos filmes aprendemos mais sobre nós mesmos, sobre a sociedade em que vivemos , sobre outras sociedades, sobre a vida.

Aprendi que cinema ilustra aula de História , faz pensar na aula de Filosofia , faz perceber que a natureza humana é muito mais complicada e complexa do que podemos imaginar. Cinema faz cair a ficha que nem tudo é o que aparenta ser, que nem sempre a verdade é bonita. E que o sórdido tem a sua beleza estranha.

Aprendi que cinema é um meio de conhecer costumes variados, quebrar paradigmas, investigar os subterrâneos da alma, colocar o dedo na ferida, cutucando-a bem no fundo. Aprendi que tem o seu lado de prosa e o seu de poesia. Que cinema é inteligente e afetivo. Que cinema é intelectual e sensorial. Remexe com valores , cria conceitos por meio dos sentidos. Cinema é papo sério...como se diria antigamente...papo firme. É papo para quem gosta de papear mesmo. É papo para quem não fica na superfície.

Aprendi que alguns filmes são verdadeiras aulas de Filosofia. Outros , de Psicanálise. Existem ainda os filmes que são verdadeiros tratados de Antropologia. Sim, o cinema é uma ferramenta antropológica, sociológica, psicanalítica, filosófica, que por meio da sua estética fascinante e peculiar, nos revela um mundo de saberes e possibilidades, sondagens variadas.

Um simples movimento de câmera acoplado a uma ideia poderosa pode nos fazer viajar para outras épocas, para outras civilizações ou simplesmente para dentro de nós mesmos. Com um simples enquadramento ou efeito de iluminação, podemos despertar sentimentos como tédio, loucura , euforia, conformismo, compaixão, solidão. Profundo senso de dignidade. Melancolia. Saudade. Dever cumprido.

Aprendi que a dor do outro pode passar a ser a nossa dor e que com uma trilha sonora aplicada na hora certa , podemos nos lembrar daquilo que nós vivemos.

Filme vai muito além de versão mixuruca de livro comprido. Filme nem precisa se basear num livro. Filme não é substitutivo de nada. Cinema é um mundo particular, um mundo à parte...em que tudo é verdade e ilusão. Como diria Pablo Picasso sobre as artes, o cinema é uma maneira poderosa de entender a realidade por meio de uma mentira.


Sílvia Marques

Paulistana, escritora, idealista em crise, bacharel em Cinema, cinéfila, professora universitária com alma de aluna, doutora em Comunicação e Semiótica, autodidata na vida, filósofa de botequim, com a alma tatuada de experiências trágicas, amante das artes , da boa mesa, dos vinhos, de papos loucos e ideias inusitadas. Serei uma atleta no dia em que levantamento de xícara de café se tornar modalidade esportiva. Sim, eu acredito realmente que um filme possa mudar a sua vida! Autora do blog Garota desbocada. Lancei recentemente em versão e-book pela Cia do ebook o romance O corpo nu..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// @obvious, @obvioushp //Sílvia Marques