cinema pensante

Como um bom filme pode mudar a nossa vida

Sílvia Marques

Paulistana, escritora, idealista em crise, bacharel em Cinema, cinéfila, professora universitária com alma de aluna, doutora em Comunicação e Semiótica, autodidata na vida, filósofa de botequim, com a alma tatuada de experiências trágicas, amante das artes , da boa mesa, dos vinhos, de papos loucos e ideias inusitadas. Serei uma atleta no dia em que levantamento de xícara de café se tornar modalidade esportiva. Sim, eu acredito realmente que um filme possa mudar a sua vida! Autora do blog Garota desbocada. Lancei recentemente em versão e-book pela Cia do ebook o romance O corpo nu.

Seis tipos emblemáticos de amor mostrados pelo cinema

Alguns amam com liberdade, outros amam com paixão. Existem aqueles que acham que amor é acima de tudo amizade. Alguns priorizam a conexão de almas. Outros priorizam a similaridade dos valores morais. Alguns pensam que amor é fusão. Outros , soma. Existe ainda a crença que amor é utopia.


283284.jpg

Cena do filme O morro dos ventos uivantes, versão dirigida por Peter Kosminsky, com Juliette Binoche e Ralph Fiennes

Cada um tem uma maneira de enxergar, sentir e entender o amor. Muitas vezes, quando outra pessoa demonstra o amor de um jeito diferente do nosso, não reconhecemos tal sentimento como amor.

Alguns amam com liberdade, outros amam com paixão. Existem aqueles que acham que amor é acima de tudo amizade. Alguns priorizam a conexão de almas. Outros priorizam a similaridade dos valores morais. Alguns pensam que amor é fusão. Outros , soma. Existe ainda a crença que amor é utopia.

No atual artigo, vou citar cinco tipos emblemáticos de amor apresentados pelo cinema.

1. Amor fusão. Um é extensão do outro. Este tipo de amor surreal pode ser encontrado no romance O morro dos ventos uivantes, escrito por Emily Brontë , na primeira metade do século 19 e traduzido para o cinema diversas vezes. Em muitos momentos, podemos identificar a fusão entre Cathy e Heathcliff. Mas, provavelmente, os momentos mais emblemáticos são quando Cathy afirma ser Heathcliff e quando Heathcliff , após a morte de Cathy, diz para ele mesmo que não pode viver sem a vida dele, sem a alma dele.

2. Amor briguento. Amor que disputa o tempo todo por mais poder sobre o outro. Este tipo de amor pode ser encontrado no romance ...E o vento levou, De Margareth Mitchell, escrito em 1936 e transposto para o cinema em 1939. Rhett Butler ama Scarlett , mas não se submete a ela , mesmo tentando realizar cada um de seus desejos. Por sua vez, Scarlett ama Reth sem saber que o ama. Duas figuras geniosas que disputam poder constantemente na relação.

scarlett-vivien-leigh-e-rhett-buttler-clarrk-gable-de-e-o-vento-levou-1939-1402509008797_956x500.jpg

3. Amor possessivo. Amor que se mede pelo nível exagerado de ciúme. Este tipo de amor pode ser encontrado no romance Fim de caso, de Graham Greene, transposto para o cinema duas vezes. Fim de caso apresenta elementos autobiográficos e mostra um escritor completamente obcecado pela mulher amada.

Fim-de-Caso-papo-de-cinema-7.png

Fim de caso, versão dirigida por Neil Jordan

4. Amor servil. Uma das partes ama e deseja tanto a outra que fica praticamente impossível não se apaixonar. Este tipo de amor pode ser encontrado no romance Fosca, de Higino Ugo Tarchetti , traduzido para o cinema por Ettore Scola , por meio do filme Paixão de amor. A tremendamente culta , sensível e feia Fosca ama tão servilmente e apaixonadamente Giorgio , que ele passa a amá-la também. Uma versão mais sexy e picante deste tipo de amor podemos encontrar em Atame , de Pedro Almodóvar. Neste filme , a devoção vem do lado masculino: um rapaz desajustado que rapta a mulher amada , uma ex atriz pornô, a fim de fazê-la se apaixonar por ele.

atame.jpg

5. Amor cúmplice. Amor que vai além do romantismo. Amor que se expressa na amizade , no entendimento intelectual. Este tipo de amor podemos encontrar no filme Frida , baseado na vida da pintora mexicana Frida Khalo. Embora Frida e Diego Rivera vivessem às turras por causa das infidelidades do pintor, ambos realmente se entendiam e tinham uma maneira muito semelhante de compreender a vida. Podemos encontrar este amor cúmplice , que se alimenta da amizade e das ideias em comum, no romance Judas , o obscuro , de Thomas Hardy, traduzido para o cinema. Sue e Jude vivem uma relação anticonvencional para os padrões sociais, mas ambos apresentam uma conexão de almas surpreendente.

frida-salma-hayek-portable.jpg

paixao_proibida_01.png

6. Amor terno. Amor que se baseia na amizade , no carinho e na compreensão do outro. Este tipo de amor também pode ser encontrado no filme ...E o vento levou , por meio das personagens Melanie e Ashley Wilkes. Ambos são primos e se compreendem profundamente e se amam de uma forma tão serena e suave , que Scarlett não consegue acreditar que aquela relação é realmente amorosa.

melanie.jpg

Independente da sua forma de conceber o amor , os sete filmes citados acima representam bons exemplos de obras cinematográficas sobre este tema , ao mesmo tempo, tão cotidiano e insondável.


Sílvia Marques

Paulistana, escritora, idealista em crise, bacharel em Cinema, cinéfila, professora universitária com alma de aluna, doutora em Comunicação e Semiótica, autodidata na vida, filósofa de botequim, com a alma tatuada de experiências trágicas, amante das artes , da boa mesa, dos vinhos, de papos loucos e ideias inusitadas. Serei uma atleta no dia em que levantamento de xícara de café se tornar modalidade esportiva. Sim, eu acredito realmente que um filme possa mudar a sua vida! Autora do blog Garota desbocada. Lancei recentemente em versão e-book pela Cia do ebook o romance O corpo nu..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/cinema// @obvious, @obvioushp //Sílvia Marques