cinema pensante

Como um bom filme pode mudar a nossa vida

Sílvia Marques

Paulistana, escritora, idealista em crise, bacharel em Cinema, cinéfila, professora universitária com alma de aluna, doutora em Comunicação e Semiótica, autodidata na vida, filósofa de botequim, com a alma tatuada de experiências trágicas, amante das artes , da boa mesa, dos vinhos, de papos loucos e ideias inusitadas. Serei uma atleta no dia em que levantamento de xícara de café se tornar modalidade esportiva. Sim, eu acredito realmente que um filme possa mudar a sua vida! Autora do blog Garota desbocada. Lancei recentemente em versão e-book pela Cia do ebook o romance O corpo nu.

Eu só sei que é preciso paixão

Viver com paixão implica coragem, vontade de se conhecer, vontade e disposição de se pegar pelos cabelos e se arrastar para onde as emoções explodem, desbravando as múltiplas e inusitadas possibilidades da alma.


642c796d676e23a88f5ee3c36e31cf8c.jpg

Como diria a música de Chico Buarque e Tom Jobim, sem paixão não dá. Não estou falando de paixão erótica. Estou falando de paixão como ideal de vida, como aquela chama que faz tudo arder violentamente. Falo da paixão de uma mãe que se diverte com o filho no colo porque acha o máximo ser mãe. Falo da paixão de um pai que parece um menino grande quando vê seus pimpolhos.

Falo da paixão do professor que mesmo ganhando pouco entra em sala de aula como um rojão, explodindo entusiasmo. Falo da paixão do estudante universitário que não vê a hora da próxima aula chegar pois adora o curso que escolheu. Falo da paixão do profissional que vive a sua carreira com intensidade pois para ele o trabalho é mais uma forma de prazer.

Falo da paixão daquela pessoa que passa o dia cozinhando feliz pois receber os amigos em casa é um raro prazer. Falo daquele frio na barriga gostoso que dá nos fãs de filme de terror e naquelas lágrimas cheias de emoção diante de uma música bonita, um livro denso e um filme triste.

Falo do prazer sem culpa que sentimos ao devorar uma deliciosa pizza ou da risada espontânea que sai da boca ao ouvir uma piada. Falo do prazer ao aspirar e tomar o primeiro gole de café pela manhã. Do prazer de fazer qualquer coisa com profundo interesse e desejo.

Fazer o que se gosta é a melhor das terapias, o melhor dos relaxamentos, o melhor dos tratamentos estéticos, a melhor forma de viver a vida. Sem paixão as coisas não fluem , a vida não acontece com plenitude.

Todos nós nascemos vocacionados para um monte de coisas, mas infelizmente, por uma série de razões, muitas vezes vivemos uma vida que não nos pertence, mecânica, desapaixonada, em que nada acontece de forma orgânica.

Viver com paixão implica coragem, vontade de se conhecer, vontade e disposição de se pegar pelos cabelos e se arrastar para onde as emoções explodem, desbravando as múltiplas e inusitadas possibilidades da alma.


Sílvia Marques

Paulistana, escritora, idealista em crise, bacharel em Cinema, cinéfila, professora universitária com alma de aluna, doutora em Comunicação e Semiótica, autodidata na vida, filósofa de botequim, com a alma tatuada de experiências trágicas, amante das artes , da boa mesa, dos vinhos, de papos loucos e ideias inusitadas. Serei uma atleta no dia em que levantamento de xícara de café se tornar modalidade esportiva. Sim, eu acredito realmente que um filme possa mudar a sua vida! Autora do blog Garota desbocada. Lancei recentemente em versão e-book pela Cia do ebook o romance O corpo nu..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// @obvious, @obvioushp //Sílvia Marques