cinema pensante

Como um bom filme pode mudar a nossa vida

Sílvia Marques

Paulistana, escritora, idealista em crise, bacharel em Cinema, cinéfila, professora universitária com alma de aluna, doutora em Comunicação e Semiótica, autodidata na vida, filósofa de botequim, com a alma tatuada de experiências trágicas, amante das artes , da boa mesa, dos vinhos, de papos loucos e ideias inusitadas. Serei uma atleta no dia em que levantamento de xícara de café se tornar modalidade esportiva. Sim, eu acredito realmente que um filme possa mudar a sua vida! Autora do blog Garota desbocada. Lancei recentemente em versão e-book pela Cia do ebook o romance O corpo nu.

Não sou obrigada...

Este artigo analisa a diferença entre ser alguém ético e justo com alguém que se deixa manipular.


183440.jpg

Não, não sou obrigada a aguentar grosseria. Não sou obrigada a responder para quem me indaga como se fosse o dono da verdade. Não sou obrigada a me explicar para quem decidiu não me entender.

Não, não sou sou obrigada a fingir que acredito em desculpas esfarrapadas. Não sou obrigada a aceitar que as pessoas me manipulem porque se acham melhores do que eu por algum motivo.

Não, Não sou obrigada a fazer das tripas coração para satisfazer quem julga as próprias necessidades mais importantes do que as das outras pessoas.

Não, não sou obrigada a conviver com gente que sutilmente faz da vida alheia um inferno. Não sou obrigada a perdoar quem causou estragos homéricos e saiu sorrindo, com o coração inteiro.

Não, não sou obrigada a passar o meu tempo livre fazendo o que não quero. Não sou obrigada a me encaixar em certos paradigmas só porque a maioria optou por levar um determinado tipo de vida.

Não, não sou obrigada a ouvir conselhos de quem não me ama , de quem não me ajuda. Não sou obrigada a colocar a minha sanidade em risco por gente que não faria um café para mim.

Não, não sou obrigada a concordar com tudo por medo de desagradar. Não sou obrigada a tumultuar o meu cotidiano porque algumas pessoas não sabem se organizar. Não sou obrigada a pagar pelos erros alheios. Não sou obrigada a ser saco de pancada de gente que não assume os próprios problemas e sai por aí descontando nos outros as suas tristezas.

Sim, sou obrigada a ser gentil. Na pior das hipóteses , polida. Sou obrigada a responder educadamente para quem me indaga com delicadeza. Sou obrigada a me explicar para quem está disposto a me ouvir de coração aberto, mesmo que no final não concorde comigo.

Sim, sou obrigada a me justificar quando não posso comparecer a um compromisso. Sou obrigada a considerar que as outras pessoas também têm sentimentos e necessidades.

Sim, sou obrigada a tentar minimizar os estragos que causei na vida dos outros. Sou obrigada a ser grata com quem me ajuda e a ouvir quem me ama , mesmo que eu escolha seguir outro caminho.

Sim, sou obrigada a dispor de um pouco do meu tempo e energia para quem se dedica a mim. Sou obrigada a discordar com racionalidade , sem ofender. Sou obrigada a ser respeitosa com as pessoas. Que nunca sejamos o fardo de ninguém.

Sim, sou obrigada a honrar minha palavra e compromissos. Sou obrigada a considerar os sentimentos daqueles que me amam e cuidar daqueles que estão sob a minha responsabilidade. Sim, sou obrigada a me responsabilizar por meus atos e a arcar com as consequências das minhas escolhas.


Sílvia Marques

Paulistana, escritora, idealista em crise, bacharel em Cinema, cinéfila, professora universitária com alma de aluna, doutora em Comunicação e Semiótica, autodidata na vida, filósofa de botequim, com a alma tatuada de experiências trágicas, amante das artes , da boa mesa, dos vinhos, de papos loucos e ideias inusitadas. Serei uma atleta no dia em que levantamento de xícara de café se tornar modalidade esportiva. Sim, eu acredito realmente que um filme possa mudar a sua vida! Autora do blog Garota desbocada. Lancei recentemente em versão e-book pela Cia do ebook o romance O corpo nu..
Saiba como escrever na obvious.
version 51/s/recortes// @obvious, @obvioushp //Sílvia Marques
Site Meter