cinema pensante

Como um bom filme pode mudar a nossa vida

Sílvia Marques

Paulistana, escritora, idealista em crise, bacharel em Cinema, cinéfila, professora universitária com alma de aluna, doutora em Comunicação e Semiótica, autodidata na vida, filósofa de botequim, com a alma tatuada de experiências trágicas, amante das artes , da boa mesa, dos vinhos, de papos loucos e ideias inusitadas. Serei uma atleta no dia em que levantamento de xícara de café se tornar modalidade esportiva. Sim, eu acredito realmente que um filme possa mudar a sua vida! Autora do blog Garota desbocada. Lancei recentemente em versão e-book pela Cia do ebook o romance O corpo nu.

O que o cinema tem a dizer sobre tabu, preconceito, estereótipo, fetiche e a busca do amor?

Alguns filmes deixam marcas na pele da alma e independente da nossa visão de mundo, algumas obras nos incomodam de uma maneira avassaladora e muitas vezes inexprimível.


1be962e91903765edb2b4e890be9c6d4_jpg_640x480_upscale_q90.jpg

Cena do filme Veludo azul, de David Lynch

O que o cinema tem a dizer sobre tabu, preconceito, estereótipo, fetiche e a busca do amor? O que o cinema tem a dizer sobre coragem, liberdade , alteridade, sobre a busca de nós mesmos? O que o cinema tem a dizer e que está sobre e sob a narrativa? Que vai muito além da narrativa? Que utiliza a narrativa como meio para expressar e exprimir o inexprimível?

O que está por trás e por baixo do cinema de David Lynch, por exemplo? O que filmes como Veludo azul , Coração selvagem e A cidade dos sonhos quer nos mostrar sobre a vida comezinha e real? O que está por trás e por baixo do cinema de Roman Polanski , por exemplo? O que filmes como Lua de fel , O inquilino e A pele de Vênus nos deixam como mensagem? O que filmes perturbadores querem nos passar além de uma mensagem?

Alguns filmes deixam marcas na pele da alma e independente da nossa visão de mundo, algumas obras nos incomodam de uma maneira avassaladora e muitas vezes inexprimível.

LIVROLUA1.jpg

Cena do filme Lua de fel, de Roman Polanski

262425-970x600-1.jpg

Cena do filme Coração selvagem, de David Lynch

Alguns cineastas aspiram , por meio de seus filmes, revelar as suas obscuridades e potencialidades , que por sua vez, poderão desencadear as nossos lados B, C e D.

O que o cinema de Tarantino, Michael Haneke e David Fincher, por exemplo, tem a nos dizer sobre o nosso próprio senso de crueldade? O que o cinema de Woody Allen tem a nos dizer sobre o nosso niilismo?

267872_orig.jpg

Cena do filme Noivo neurótico, noiva nervosa, de Woody Allen

ponto-final-05.jpg

Cena do filme Match Point, de Woody Allen

O que o cinema de Almodóvar tem a nos dizer sobre a nossa capacidade de transgredir para obter o amor e a felicidade? O que o cinema de Lars Von Trier tem a nos dizer sobre a fragilidade da natureza humana? O que o cinema de Clint Eastwood tem a nos dizer sobre o nosso senso de luta? O que o cinema de David Lynch tem a nos dizer sobre o pesadelo de existir?

20150814-ata-me-thumb-800x553-127060.jpg

Cena do filme Atame, de Pedro Almodóvar

600-anticristo0410291.jpg

Cena do filme Anticristo, de Lars Von Trier

262424-970x600-1.jpg

Cena do filme A cidade dos sonhos, de David Lynch

O que o cinema de Stanley Kubrick tem a dizer sobre as obscuridades da alma humana? O que o cinema de Sam Mendes tem a dizer sobre os mecanismos e jogos sociais? O que o cinema de Hitchcock tem a dizer sobre o medo e o desejo? O que o cinema de Luis Buñuel tem a dizer sobre a arbitrariedade das instituições e as dicotomias da alma humana?

1872748-2686-in.jpg

Cena do filme De olhos bem fechados, de Stanley Kubrick

foi-apenas-sonho-danca-01g.jpg

Cena do filme Foi apenas um sonho, de Sam Mendes

O que o cinema de Louis Malle tem a dizer sobre o tédio e o desespero de viver? O que o cinema de Xavier Dolan tem a dizer sobre a liquidez das relações? O que o cinema de Truffaut tem a dizer sobre a melancolia ingênua do amor? O que o cinema de Luchino Visconti tem a dizer sobre o determinismo da vida e a fatalidade das relações? O que o cinema de Antonioni e Bertolucci têm a dizer sobre as impossibilidades da vida?

LIVROSONHADORES.jpg

Cena do filme Os sonhadores, de Bertolucci

femme1-thumb-800x581-122086.jpg

Cena do filme A mulher do lado, de Truffaut

O que o cinema de Valerio Zurlini tem a dizer sobre a tristeza? O que o cinema de Vitorio de Sica tem a dizer sobre o amor brotando nos solos mais desoladores? O que o cinema de David Lean tem a dizer sobre a bondade humana despontando no meio da tragédia? O que o cinema de Jacques Tati tem a dizer sobre a poesia do mundo? O que o cinema de Ang Lee tem a dizer sobre a necessidade de nos escondermos do mundo?

20528165.jpg

Cena do filme A filha de Ryan, de David Lean

zzmoça2.jpg

Cena do filme A moça com a valise, de Valerio Zurlini

Os cineastas célebres e os filmes importantes são muitos e falar um pouco de todos eles seria quase uma utopia, principalmente no espaço restrito de um artigo.

A ideia foi simplesmente instigar a curiosidade dos leitores para um tema tão fascinante quanto o cinema, tão cheio e rico de possibilidades variadas.


Sílvia Marques

Paulistana, escritora, idealista em crise, bacharel em Cinema, cinéfila, professora universitária com alma de aluna, doutora em Comunicação e Semiótica, autodidata na vida, filósofa de botequim, com a alma tatuada de experiências trágicas, amante das artes , da boa mesa, dos vinhos, de papos loucos e ideias inusitadas. Serei uma atleta no dia em que levantamento de xícara de café se tornar modalidade esportiva. Sim, eu acredito realmente que um filme possa mudar a sua vida! Autora do blog Garota desbocada. Lancei recentemente em versão e-book pela Cia do ebook o romance O corpo nu..
Saiba como escrever na obvious.
version 3/s/cinema// @obvious, @obvioushp //Sílvia Marques
Site Meter