cinema pensante

Como um bom filme pode mudar a nossa vida

Sílvia Marques

Paulistana, escritora, idealista em crise, bacharel em Cinema, cinéfila, professora universitária com alma de aluna, doutora em Comunicação e Semiótica, autodidata na vida, filósofa de botequim, com a alma tatuada de experiências trágicas, amante das artes , da boa mesa, dos vinhos, de papos loucos e ideias inusitadas. Serei uma atleta no dia em que levantamento de xícara de café se tornar modalidade esportiva. Sim, eu acredito realmente que um filme possa mudar a sua vida! Autora do blog Garota desbocada. Lancei recentemente em versão e-book pela Cia do ebook o romance O corpo nu.

Cinema e psicopatia

Infelizmente , a nossa sociedade , de certa forma , privilegia os que apresentam traços psicopatas. É bem visto por muitos quem coloca o dinheiro em primeiro plano e é encarado como mais forte aquele que não consegue sofrer por perdas afetivas. Não quero dizer que devemos ficar alimentando o sofrimento e perdendo tempo com pessoas e problemas que não valem a pena. Não valorizou? Paciência. Parta para outra! O problema é a crença de que a incapacidade de formar laços afetivos seja um mérito.


kevin03.jpg

Cena do filme Precisamos falar sobre o Kevin

Existem mais ou menos 250 milhões de psicopatas passeando pelo planeta Terra ( dois terços são homens) e como escreveu um colega meu da Obvious, Thiago Castilho, eles não surgem em nossa vida com máscaras do Jason do Sexta-feira 13. Pelo contrário. Psicopatas costumam ser muito sedutores e embora sejam incapazes de sentir , sabem o que dizer e fazer para envolver as pessoas. Apresentam baixa ação no cérebro límbico, diferentemente dos portadores do transtorno de personalidade Borderline , que possuem uma ação exagerada do cérebro límbico, desencadeando emoções sempre muito intensas.

Manipuladores, sedutores, totalmente racionais, completamente desprovidos de compaixão e sentimento de culpa, psicopatas podem ser muito arrogantes também. Apresentam sentimento de superioridade e desconsideram as necessidades alheias. As pessoas são meros instrumentos em suas mãos para realizarem seus objetivos. O psicopata não consegue criar nenhum vínculo de amor ou amizade genuína, pois na verdade , para ele , o outro não existe.

Com tendência à mentira, manipulam as pessoas para terem sexo fácil, se vingarem daqueles que os rejeitaram, obterem benefícios financeiros e conquistarem a atenção alheia.

Muitos psicopatas constituem família para transmitirem uma boa imagem social, mas não amam nem o parceiro nem os filhos. Se relacionam por conveniência , para se manterem numa zona de conforto. E de repente, do nada, viram para a companheira ou companheiro de muitos anos de jornada e dizem simplesmente que nunca sentiram nada por ela ou por ele.

O cinema apresenta exemplos poderosos de pessoas que manipulam os outros pelo simples prazer de fazê-los sofrer ou para saciar a sua fome de vingança. Este é o caso dos personagens protagonistas do filme Ligações perigosas. Dois nobres passam o seu tempo criando intrigas para destruírem a reputação de seus inimigos. Porém, a personagem de Gleen Close ainda é pior do que a de John Malkovich, pois no final da trama , ele consegue desenvolver um vínculo afetivo forte com a mulher que ele se propôs a destruir, o que em alguns momentos , me faz questionar se ele é um psicopata leve ou ainda alguém com traços psicopatas apenas. É possível uma pessoa apresentar traços de um transtorno sem possui-lo de fato.

ligacoes.jpeg

Ligações perigosas

Podemos dizer que os personagens de Ligações perigosas são psicopatas comunitários porque não derramam sangue. Na sociedade , a maioria dos psicopatas não são criminosos nem assassinos. O cinema criou o mito de que todo psicopata é um serial killer como o Dr. Lecter , de O silêncio dos inocentes ou Max Cady , personagem interpretado por Robert De Niro em O cabo do medo. Ou ainda como o célebre e ultra violento Alex , de Laranja mecânica ou os garotos extremamente perversos de Violência gratuita.

Outros exemplos de psicopatas comunitários apresentados pelo cinema é Lourenço, interpretado por Selton Melo, no filme O cheiro do ralo; a personagem vivida por Angelina Jolie em Garota , interrompida e o personagem de François Berléand no filme Uma garota dividida em dois, de Claude Chabrol. François Berléand vive um escritor famoso de meia-idade , que se aproveita do amor intenso de uma jovem para manipulá-la , para fazê-la viver jogos sexuais humilhantes e perversos. Ele não derrama sangue, mas nem por isso deixa de causar grandes estragos na vida alheia.

A personagem de Jolie em Garota , interrompida é extremamente narcisista e sente superior a todos. Uma cena muito interessante deste filme é quando uma sociopata e uma Bordeline se deparam com o suicídio de uma colega de clínica. A Border fica angustiada e se sente culpada. Imagina que podia ter feito ou dito algo para impedir o ato definitivo da colega. A personagem de Jolie faz uma piada a respeito.

joliejolie.jpg

Garota , interrompida

Lourenço, de O cheiro do ralo, além de apresentar traços sádicos , apresenta traços fetichistas também. Ele não consegue amar ninguém e para ele só tem graça e valor o que ele pode obter por meio do dinheiro.

Infelizmente , a nossa sociedade , de certa forma , privilegia os que apresentam traços psicopatas. É bem visto por muitos quem coloca o dinheiro em primeiro plano e é encarado como mais forte aquele que não consegue sofrer por perdas afetivas. Não quero dizer que devemos ficar alimentando o sofrimento e perdendo tempo com pessoas e problemas que não valem a pena. Não valorizou? Paciência. Parta para outra! O problema é a crença de que a incapacidade de formar laços afetivos seja um mérito.

Um psicopata que caiu nas graças do público foi Kevin, do filme Precisamos falar sobre o Kevin. Que Kevin é um psicopata do nível mais perigoso possível, ninguém discorda. Porém, talvez , a questão mais instigante deste polêmico filme , baseado num livro igualmente polêmico, que por sua vez, se inspirou em fatos reais , seja a desconstrução do mito do amor materno. Eva não amou Kevin desde a fase em que ele estava na sua barriga e quando o menino nasceu , ela não sentiu emoção alguma. O livro e o filme tecem constantemente congruências entre Kevin e Eva. Eva não é uma psicopata , mas de certa forma , ela experimenta com Kevin certa indiferença emocional, traço psicopata.

precisamos-falar-sobre-o-kevin-03.jpg

Precisamos falar sobre o Kevin

Um psicopata que merece destaque é Barney , interpretado por Jeff Bridges em O silêncio do lago, remake americano de um filme europeu. Barney é o típico homem respeitável da sociedade. Professor de Química , pai extremamente amoroso , marido fiel. Porém, Barney é um dos psicopatas mais cruéis do Cinema. Ele faz o bem extremo e o mal extremo como possibilidades de um jogo perverso. Sandra Bullock faz uma pontinha neste filme , quando ainda estava no início da sua carreira. O silêncio do lago é um suspense e um drama psicológico em que a maior tortura apresentada é a emocional.

O cinema também apresentou os psicopatas que matam porque não conseguem evitar este terrível impulso, mas nem por isso se sentem bem com esta realidade. Este é o caso dos filmes O açougueiro, de Claude Chabrol e Em suas mãos. Apesar de possuírem psicopatas como protagonistas , são filmes melancólicos e românticos. Embora o protagonista de O açougueiro seja um assassino e o de Uma garota dividida em dois não seja , considero o escritor bem pior do que o açougueiro, pois ele se compraz com o mal que faz.

acougueiro.jpg

O açougueiro

Se formos comparar a personagem vivida por Nicole Kidman em Malícia com a interpretada por Jessica Lange em O destino bate à sua porta , não teremos dúvidas de que a personagem de Kidman é mil vezes pior. Temos certa empatia pelo drama da personagem de Lange , pois apesar de fria e manipuladora , ela vivia uma situação humilhante e sofrida. É uma psicopata muito interessante do Cinema pois é pintada com tons mais suaves e deixa dúvidas a respeito do seu transtorno. Mas olhando mais atentamente , podemos perceber o quanto esta mulher é capaz de jogar com as emoções alheias, embora não seja completamente desprovida de afetividade. Talvez, ela seja como o personagem de John Malkovich em Ligações perigosas. Talvez , seja uma psicopata leve ou apenas apresente traços psicopatas.

destino1.jpg

O destino bate à sua porta

destino.jpg

O destino bate à sua porta

Comunitários ou sanguinários , psicopatas causam grandes estragos na vida das pessoas ao redor pois não possuem alteridade. Enfim, não conseguem se colocar no lugar do outro e só se importam com eles mesmos. Apresentam uma vida afetiva extremamente pobre e muitas vezes confundem um mero desejo sexual com amor. Infelizmente , por serem extremamente racionais, conseguem atingir altos cargos em nossa sociedade , obtendo muito poder e a oportunidade de manipular as outras pessoas.

Sim, a maioria dos psicopatas não derrama uma gota de sangue , mas pode matar milhares de pessoas por meio de desvios de verbas públicas. Sim, a maioria não é serial Killer, mas mata a esperança e a alegria de viver alheia administrando com mão de ferro grandes corporações. Sim, podemos conviver com muitos psicopatas sem darmos conta disso. Acesse o link abaixo e veja um mini documentário sobre o tema do atual post.

Psicopatas.mp4


Sílvia Marques

Paulistana, escritora, idealista em crise, bacharel em Cinema, cinéfila, professora universitária com alma de aluna, doutora em Comunicação e Semiótica, autodidata na vida, filósofa de botequim, com a alma tatuada de experiências trágicas, amante das artes , da boa mesa, dos vinhos, de papos loucos e ideias inusitadas. Serei uma atleta no dia em que levantamento de xícara de café se tornar modalidade esportiva. Sim, eu acredito realmente que um filme possa mudar a sua vida! Autora do blog Garota desbocada. Lancei recentemente em versão e-book pela Cia do ebook o romance O corpo nu..
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/cinema// @obvious, @obvioushp //Sílvia Marques