cinema pensante

Como um bom filme pode mudar a nossa vida

Sílvia Marques

Paulistana, escritora, idealista em crise, bacharel em Cinema, cinéfila, professora universitária com alma de aluna, doutora em Comunicação e Semiótica, autodidata na vida, filósofa de botequim, com a alma tatuada de experiências trágicas, amante das artes , da boa mesa, dos vinhos, de papos loucos e ideias inusitadas. Serei uma atleta no dia em que levantamento de xícara de café se tornar modalidade esportiva. Sim, eu acredito realmente que um filme possa mudar a sua vida! Autora do blog Garota desbocada. Lancei recentemente em versão e-book pela Cia do ebook o romance O corpo nu.

Pessoas extremamente autopunitivas e perfeccionistas têm um superego muito desenvolvido

Quem tem superego muito desenvolvido , além de limitar o próprio prazer , em muitos casos, tenta limitar o prazer alheio também. Exemplos cotidianos: a mulher que cortou radicalmente o açúcar da alimentação porque engordou 200 gramas e quer obrigar a todos da família a cortarem também. A pessoa que ridiculariza um amigo que gosta de se vestir sem seguir os padrões da moda ou quer ingressar numa carreira mais artística. Uma pessoa que desmotiva um amigo a fazer alguma mudança pouco convencional, como por exemplo, uma mulher cortar radicalmente os cabelos ou chamar um homem para sair. Quem tem superego muito desenvolvido acha que tudo que sai um milímetro do padrão , é pagação de mico.


41273__angel-girl_p.jpg

Como muitos já sabem, Freud dividiu a nossa estrutura psíquica em três partes: Id, ego e superego. O ego, como o próprio nome diz, é o nosso eu e faz a mediação entre o Id e o superego , partes do nosso eu também. O Id tem a ver com a nossa libido, com a nossa pulsão. O Id quer aqui agora, sem moderação, sem medo de parecer ridículo. O Id pode desconsiderar as outras pessoas. Crianças bem pequenas agem basicamente movidas pelo Id . Por isso fazem birra no meio da rua , esperneiam quando não conseguem algo que desejam e são egocêntricas, cabendo aos pais transmitirem às mesmas as normas de boa convivência e a importância de respeitar e considerar as outras pessoas.

O superego já é aquela parte ligada às regras , à moral. É aquela parte que compreende que não podemos fazer tudo o que desejamos, que não podemos espernear quando algo não sai da maneira que esperávamos. É a parte que nos faz compreender que não podemos ter tudo o que desejamos , como e na hora que desejamos.

Uma pessoa emocionalmente saudável tem um ego que consegue equilibrar as exigências do libidinoso Id com a severidade do superego. Alguém muito Id pode causar problemas àqueles que estão ao redor. Alguém movido basicamente pelo superego pode se tornar uma pessoa extremamente autopunitiva e perfeccionista a ponto de não viver a vida , a ponto de não permitir que as pessoas ao redor vivam suas vidas.

Se o Id só considera o próprio desejo, o superego aniquila qualquer tipo de desejo e consequentemente qualquer tipo de prazer e alegria.

Alguém basicamente Id vai comer um monte de comidas calóricas no mesmo dia sem se importar com a saúde. Alguém basicamente superego vai deixar de ir a uma confraternização da empresa porque não consegue interromper a alimentação saudável nem por uma refeição. Alguém basicamente Id costuma beber demais nas festas, passar mal porque abusa da comida e da bebida. O basicamente superego é aquele que leva uma marmita de batata doce para a casa de amigos porque não aceita comer um pedaço de lasanha nem por uma noite. É aquele que toma água mineral enquanto os outros bebem refrigerante , cerveja ou qualquer outra bebida que não seja 100% saudável.

Alguém basicamente Id é mais criativo e espontâneo, o que é muito bom. Mas se não tomar cuidado, em algumas situações, pode arrumar encrenca , principalmente em ambientes muito convencionais. Alguém basicamente Id pode ser muito interessante por um lado, mas por outro, pode ser meio egoísta, pois alguns desejos são devastadores.

Alguém basicamente superego não gosta de fazer piadas e costuma se aborrecer quando fazem uma. São pessoas que seguem à risca modismos e precisam estar 100% de acordo com as regras do status quo. Pessoas basicamente superego acreditam que a idoneidade de um profissional é medido pelo terninho cinza que usa, não colocam um traje de praia se estiverem um quilo acima do peso e acham que precisam ser perfeitas sempre. As pessoas que se adequam bem ao mundo corporativo, normalmente , apresentam um superego bem desenvolvido.

O superego desenvolvido pode se manifestar de muitas formas: pessoas extremamente submissas que se sacrificam o tempo todo para satisfazer a vontade dos outros. Pessoas escravas dos paradigmas da moda. Pessoas que se punem quando sentem prazer.

Quem tem superego muito desenvolvido , além de limitar o próprio prazer , em muitos casos, tenta limitar o prazer alheio também. Exemplos cotidianos: a mulher que cortou radicalmente o açúcar da alimentação porque engordou 200 gramas e quer obrigar a todos da família a cortarem também. A pessoa que ridiculariza um amigo que gosta de se vestir sem seguir os padrões da moda ou quer ingressar numa carreira mais artística. Uma pessoa que desmotiva um amigo a fazer alguma mudança pouco convencional, como por exemplo, uma mulher cortar radicalmente os cabelos ou chamar um homem para sair. Quem tem superego muito desenvolvido acha que tudo que sai um milímetro do padrão , é pagação de mico.

Algumas pessoas , para manter um bom carro, passam fome. Outras mantém casas grandes caindo aos pedaços. Outros suportam relações medíocres porque o parceiro é atraente ou tem algum destaque na sociedade. Existem, inclusive , aqueles que largam os filhos nas mãos de qualquer babá porque não suportam crianças , mas não aceitam abrir mão da maternidade/paternidade.

Se o superego muito desenvolvido pode tornar uma mulher ou um homem, uma mãe ou pai, extremamente dedicado , que abre mão de tudo para cuidar dos filhos, por outro lado, pode gerar pais de fachada que só dão atenção às crianças no momento de tirar fotos para publicarem no Facebook.

Se o superego muito desenvolvido pode fazer uma mulher ou um homem suportar humilhações homéricas para preservar o casamento, por acreditar que o casamento é para sempre, por outro lado, pode gerar casais extremamente cruéis na intimidade que vivem uma performance social lindíssima.

A Era fitness e do sucesso mediante pensamento positivo é a Era do superego. Mais importante do que curtir um dia bonito na praia , é exibir um corpo malhado conquistado à custa de uma rotina infernal. Mais importante do que transar com prazer , é fazer performances na cama. Mais importante do que amar e ser amado, é se unir com alguém que transmita uma imagem de status social. Mais importante do que se realizar profissionalmente , é aparentar sucesso. Mais importante do que viver , é fotografar os momentos.


Sílvia Marques

Paulistana, escritora, idealista em crise, bacharel em Cinema, cinéfila, professora universitária com alma de aluna, doutora em Comunicação e Semiótica, autodidata na vida, filósofa de botequim, com a alma tatuada de experiências trágicas, amante das artes , da boa mesa, dos vinhos, de papos loucos e ideias inusitadas. Serei uma atleta no dia em que levantamento de xícara de café se tornar modalidade esportiva. Sim, eu acredito realmente que um filme possa mudar a sua vida! Autora do blog Garota desbocada. Lancei recentemente em versão e-book pela Cia do ebook o romance O corpo nu..
Saiba como escrever na obvious.
version 5/s/recortes// @obvious, @obvioushp //Sílvia Marques