cinema pensante

Como um bom filme pode mudar a nossa vida

Sílvia Marques

Paulistana, escritora, idealista em crise, bacharel em Cinema, cinéfila, professora universitária com alma de aluna, doutora em Comunicação e Semiótica, autodidata na vida, filósofa de botequim, com a alma tatuada de experiências trágicas, amante das artes , da boa mesa, dos vinhos, de papos loucos e ideias inusitadas. Serei uma atleta no dia em que levantamento de xícara de café se tornar modalidade esportiva. Sim, eu acredito realmente que um filme possa mudar a sua vida! Autora do blog Garota desbocada. Lancei recentemente em versão e-book pela Cia do ebook o romance O corpo nu.

Me recuso a envelhecer na alma

Sim, me recuso a virar uma pessoa chata , que desdenha daqueles que sabem rir e se divertir , que olha com superioridade para aqueles que simplesmente desejam viver a vida com leveza , com sonhos , com imaginação. Alguém capaz de aquecer e iluminar a vida das pessoas ao redor. Alguém capaz de se tornar uma inspiração, não por ser uma pessoa "perfeita" ou politicamente correta. Por ser uma pessoa inteira, verdadeira.


MURIEL.png

Sim, me recuso a envelhecer. Não na pele , não no corpo. Não posso impedir que as rugas apareçam nem que o corpo perca a sua vitalidade. Mas me recuso a perder o riso fácil, as piadas indecentes, o apetite por uma conversa insana.

Infelizmente , para a nossa sociedade , amadurecer , agir como adulto é se tornar uma pessoa chata , sem capacidade para brincar , para sonhar , para se divertir com espontaneidade.

As pessoas vão se tornando cada vez mais persona. A palavra persona vem do teatro grego e significa máscara. Foi um termo utilizado pelo psiquiatra suíço Gustave Jung para designar os papeis sociais que cumprimos. Obviamente , não podemos dizer e fazer tudo o que nos vem à cabeça e existem certos protocolos que devemos respeitar dependendo da situação. Durante um churrasco, por exemplo, entre amigos o comportamento vai ser bem mais informal do que numa reunião de trabalho.

Por outro lado, existem pessoas tão fechadas e incapazes de gestos espontâneos, que a vida vira uma grande encenação e entrar na fase adulta significa se tornar uma pessoa que não ri, que não se expressa, que não tem prazer.

Na fase adulta , na maioria das vezes, as pessoas se "divertem" competindo com outros adultos. Acho triste quando casais de "amigos" se encontram no final de semana e o assunto principal é falar sobre as realizações materiais. É exibir a máquina de fazer pão, é mostrar uma joia que comprou para a esposa ao invés de falar sobre sentimentos , relações humanas , memórias da infância , situações cômicas do dia a dia.

Acho triste quando tudo o que a pessoa têm a dizer e a mostrar foi o que ela conseguiu comprar. Não desmereço as realizações materiais nem vejo problemas em citá-las , contanto que não se tornem o tema principal ou o único tema para conversações.

Muitas mulheres se entopem de vitaminas e cosméticos , fazem intervenções cirúrgicas , dietas insanas porque temem uma pele flácida , com rugas , temem um corpo acima do peso, cabelos grisalhos , papadas , bolsas debaixo dos olhos , mas muitas vezes se esquecem de alimentar e conservar a criança interior , o entusiasmo, a alegria pela vida , a capacidade de se reinventar como os mais jovens sabem fazer tão bem.

Sim, me recuso a virar uma pessoa chata , que desdenha daqueles que sabem rir e se divertir , que olha com superioridade para aqueles que simplesmente desejam viver a vida com leveza , com sonhos , com imaginação. Alguém capaz de aquecer e iluminar a vida das pessoas ao redor. Alguém capaz de se tornar uma inspiração, não por ser uma pessoa "perfeita" ou politicamente correta. Por ser uma pessoa inteira, verdadeira.


Sílvia Marques

Paulistana, escritora, idealista em crise, bacharel em Cinema, cinéfila, professora universitária com alma de aluna, doutora em Comunicação e Semiótica, autodidata na vida, filósofa de botequim, com a alma tatuada de experiências trágicas, amante das artes , da boa mesa, dos vinhos, de papos loucos e ideias inusitadas. Serei uma atleta no dia em que levantamento de xícara de café se tornar modalidade esportiva. Sim, eu acredito realmente que um filme possa mudar a sua vida! Autora do blog Garota desbocada. Lancei recentemente em versão e-book pela Cia do ebook o romance O corpo nu..
Saiba como escrever na obvious.
version 5/s/recortes// @obvious, @obvioushp //Sílvia Marques
Site Meter