cinema pensante

Como um bom filme pode mudar a nossa vida

Sílvia Marques

Sou Professora Doutora em Comunicação e Semiótica , escritora e psicanalista lacaniana. Idealizadora do curso de Pós-graduação em Cinema do Complexo FMU e indicada ao Prêmio Jabuti em 2013. Autora do blog Garota desbocada. Meu canal no You Tube é Sílvia Marques Garota desbocada.

Bipolaridade e Transtorno de personalidade Borderline: transtornos diferentes com sintomas semelhantes

O transtorno de personalidade borderline é um pouco mais complexo pois como o próprio nome diz , trata-se da personalidade da pessoa. Não é exatamente uma doença mental. É o jeito da pessoa ser e ver o mundo. Medicamentos podem ajudar um borderline , mas a terapia é muito mais eficaz neste tipo de quadro. Já na bipolaridade , o uso de medicamentos provoca uma resposta muito maior.


briga-mulheres.jpg

Muitas pessoas com transtorno de personalidade borderline são diagnosticadas como bipolares. O erro é comum porque os dois transtornos , apesar de bem diferentes , apresentam sintomas muito semelhantes, que podem gerar dúvidas tanto nas pessoas que convivem com o portador do transtorno como em especialistas do comportamento.

O transtorno bipolar ou bipolaridade é uma doença mental, que consiste na brusca mudança de humor. A pessoa passa de uma fase eufórica para outra depressiva ou de uma depressiva para outra eufórica sem motivo aparente. A bipolaridade é classificada como um tipo de psicose e o seu portador pode ser muito beneficiado com o uso de medicamentos mais a terapia. Os depressivos crônicos são considerados bipolares.

geração.jpg

No filme Geração Prozac, inspirado em livro baseado em fatos reais , a protagonista me parece uma bipolar, embora quase sempre ela seja descrita como apenas depressiva. Porém, ela apresenta bruscas oscilações de humor e outros sintomas comuns aos Border e aos bipolares. Como , ela reagiu expressivamente ao Prozac , deduzi que ela era uma bipolar.

O transtorno de personalidade borderline é um pouco mais complexo pois como o próprio nome diz , trata-se da personalidade da pessoa. Não é exatamente uma doença mental. É o jeito da pessoa ser e ver o mundo. Medicamentos podem ajudar um borderline , mas a terapia é muito mais eficaz neste tipo de quadro. Já na bipolaridade , o uso de medicamentos provoca uma resposta muito maior.

O borderline não é simplesmente alguém que sofre oscilações bruscas de humor. Ele é dotado de uma personalidade fluida , mal delineada e como os líquidos acabam muitas vezes tomando a forma do recipiente. Como assim? Se uma mulher carnívora começa a namorar um vegano, ela deixa de comer carne. Mas , se logo em seguida , se apaixonar pelo dono de uma churrascaria , passa a comer carne novamente. Ou se torna religiosa ao extremo ao namorar um pastor ou resolve aprender a surfar porque se encantou por um surfista. Estou dando exemplos femininos , pois cerca de 75% dos portadores deste transtorno são mulheres.

garotai.jpg

Winona Ryder em Garota, interrompida. Filme que se inspirou em livro baseado em fatos reais mostra uma Borderline como protagonista.

Muitas mulheres têm uma tendência a seguir modelos de vida propostos pelo parceiro amoroso, mas no caso das borderline , este traço é muito acentuado, denotando uma personalidade oca , que é preenchida pelos valores e prioridades do outro. A personalidade borderline é um transtorno limítrofe. Está entre a neurose e a psicose e faz com que a pessoa viva sempre a mil por hora , no limite das emoções.

Existe também uma tendência a excessos nos dois transtornos , como abuso de álcool e outras substâncias. Ambos os transtornos são graves e geram muito sofrimento para quem os têm e para quem convive, mas ambos são tratáveis. Ninguém deixará de ser bipolar ou borderline , mas podem viver sob controle , podem aprender a lidar melhor com as emoções.

Muitas vezes são confundidos porque apresentam sintomas em comum, como por exemplo, a mudança brusca de humor , a excessiva carência afetiva, o descontrole emocional, que pode acarretar em surtos psicóticos. É possível uma pessoa não bipolar e não border , mediante um forte estresse , decorrente de um trauma, ter um surto psicótico. Mas , quando o evento se repete muitas vezes é um indício importante para a pessoa buscar ajuda profissional.

Em surtos psicóticos , a pessoa delira e em casos muito extremos , pode até mesmo alucinar. Passa a enxergar a realidade com uma subjetividade exagerada e coloca como verdade absoluta e inquestionável o seu olhar sobre o mundo. Durante um surto, a pessoa pode quebrar objetos , agredir verbalmente e fisicamente e até mesmo tentar o suicídio.

Embora ambos os transtornos apresentem como sintoma a carência afetiva , esta é mais forte nos border , pois como possuem uma personalidade mal delineada , se apegam excessivamente às pessoas que amam , principalmente ao parceiro amoroso. A taxa de tentativas de suicídio entre os portadores de personalidade borderline é muito alta.

Diante de qualquer desconfiança , é recomendável buscar ajuda profissional para estabelecer um diagnóstico. Mas vale ressaltar que leva um tempo para se chegar a um parecer.


Sílvia Marques

Sou Professora Doutora em Comunicação e Semiótica , escritora e psicanalista lacaniana. Idealizadora do curso de Pós-graduação em Cinema do Complexo FMU e indicada ao Prêmio Jabuti em 2013. Autora do blog Garota desbocada. Meu canal no You Tube é Sílvia Marques Garota desbocada. .
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// //Sílvia Marques