código aberto

Um modo de pensar diferente, uma filosofia...um sonho!

Ana Josefina Tellechea

O acaso me trouxe escolhas e meu coração me fez chegar até aqui, porque a razão ainda estou aprendendo a usar. Mulher, Cantora, Professora, escritora e um tanto de coisas mais que vou descobrindo ser.

As legitimações paridas pelas novelas

O hoje é o que é por que passou na TV. Somos o que somos por que vimos na TV. Nos comportamos assim por que a TV criou situações que naturalizaram tais comportamentos.


consumer-society-386661_640.jpg

Já se perguntou como as mudanças têm ocorrido cada vez mais rápido? E o quanto a TV tem poder de desconstruir conceitos e preconceitos?

É lógico que as atitudes iniciais não surgem na TV, mas são legitimadas por ela. As obras abertas (como são chamadas as novelas já que podem mudar seus rumos quando couber) que buscam representar o cotidiano das pessoas nas mais diversas e excêntricas realidades, não são a mera representação e muito menos se limitam a entreter as famílias no horário nobre.

A TV com suas telenovelas, escancara e esfrega as mais criticadas e secretas atitudes, quebrando paradigmas e preconceitos. Os segredos mais cabeludos tornam-se parte das conversas familiares. Me passa um filme pela cabeça e rapidamente Imagino os mais diversos tipos de família. Todos sentados no sofá de suas respectivas salas, assistindo à novela das 21h quando uma cena torna o clima um tanto desconfortável... Olhares percorrem todo o espaço, corações se aceleram e o fato de seu filho - que é gay e ainda não teve coragem de conversar sobre isso - ser como é, já não lhe causa tanto medo do que está por vir (até por que você já desconfiava). De repente parece ser algo natural (e é), mas o tabu em torno daquilo era tão grande, que o medo dos julgamentos causavam desespero.

A primeira telenovela brasileira, escrita e dirigida por Walter Forster, foi ao ar em 21 de dezembro de 1951 na TV Tupi São Paulo e foi a primeira deste gênero em todo o mundo, inspirada pelas radionovelas do período, teve apenas 15 capítulos, mas acabou se aperfeiçoando e tornando-se o tipo de programa mais assistido pelo público brasileiro. As novelas buscam trazer cenas do cotidiano através de enredos- quase sempre- muito bem elaborados e pensadas à seu tempo. Buscam não simplesmente entreter seus telespectadores, mas trazer reflexões e discussões a respeito de temas emergentes na sociedade contemporânea.

Como instrumento de legitimação dos comportamentos sociais, as novelas têm o poder de dialogar com seu público e dizer o que pode ou não pode ser adequado, porém levanto uma questão: até que ponto esse controle comportamental exercido pelas novelas é plausível e digno de confiança?

É importante admitir que muitas das lutas travadas pela sociedade em prol dos mais variados direitos e reconhecimentos, também tiveram o apoio das telenovelas que foram importantes instrumentos de veiculação de informações que ainda não eram tão acessíveis até o início do século XXI, e mesmo com todo o acesso à informação que ainda hoje temos, as telenovelas são importantes para naturalizar os comportamentos, sejam eles sexuais, familiares, religiosos, políticos etc.

O primeiro "fio dental", a primeira calça "boca de sino",a primeira cena de nudez, a primeira cena de sexo entre adolescentes, o primeiro selinho entre crianças, os primeiros pais adotivos, a primeira mãe solteira, a primeira filha que se apaixona pelo namorado da mãe, o primeiro beijo gay, o primeiro vidente, o primeiro espancamento de mulher, o primeiro sociopata, o primeiro mocinho não tão perfeito,o primeiro viciado em drogas, o amor entre duas mulheres, os primeiros bebês de proveta, a primeira brasileira vítima de tráfico humano, a primeira imigrante ilegal nos EUA, o primeiro caso de poliamor, o primeiro caso de paixão entre meio irmãos (Confesso que essa última ainda me espanta!).

Com certeza, cada cena à seu tempo, teve seu lugar e causou enorme estranhamento aos seus telespectadores. Hoje as mesmas cenas são tão comuns que nem lembramos de quando aquilo parecia um absurdo só de ouvir falar. Com toda a certeza, não levaremos - ao menos é o que se espera - toda e qualquer mensagem ao pé da letra, sabendo que o poder dos veículos de comunicação não se limita a causar estranhamentos e sim naturalizar comportamentos, manipulando a opinião pública. Mas não há como negar que as novelas muito mais que informam, parem legitimações.


Ana Josefina Tellechea

O acaso me trouxe escolhas e meu coração me fez chegar até aqui, porque a razão ainda estou aprendendo a usar. Mulher, Cantora, Professora, escritora e um tanto de coisas mais que vou descobrindo ser..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/sociedade// @destaque, @hplounge, @obvious, @obvioushp //Ana Josefina Tellechea