código aberto

Um modo de pensar diferente, uma filosofia...um sonho!

Ana Josefina Tellechea

O acaso me trouxe escolhas e meu coração me fez chegar até aqui, porque a razão ainda estou aprendendo a usar. Mulher, Cantora, Professora, escritora e um tanto de coisas mais que vou descobrindo ser.

A arte de se (re)apaixonar

Alguns de nós - quem sabe a maioria- vive na constante luta para ter um porto seguro, algo ou alguém com quem contar, nosso canto, um bom emprego etc. Nessa incessante busca por uma segurança, quando nos damos conta, já estamos com trinta e tantos, numa rotina cansativa, numa relação desgastada, numa casa nem tão boa ou nem tão nossa, num canto nem tão seu e nada parece estar de acordo com o que sonhamos.


apple-570965_640.jpg

Nesses dias questionamos nossas escolhas e colocamos em cheque a nossa capacidade de compreender a existência do ser humano e o sentido de tudo. Porque precisamos estudar, trabalhar, casar, comprar uma casa, carro, ter família? Bate aquela súbita vontade louca de sair correndo pelo mundo inventando desculpas pra não se estabelecer num só lugar, conhecendo pessoas, culturas, lugares pra testar a nossa capacidade de nos apaixonar por alguém, mesmo que esse alguém seja você mesmo.

A bolha que construímos nesses trinta e poucos - ou muitos - anos, parece não nos deixar respirar. Ela pressiona nosso peito assim como impulsiona nossas atitudes. Parece que estamos no modo automático. Tudo é tão natural que torna-se inquestionável, ao menos publicamente. Sentimos então que a capacidade de nos apaixonar e sentir aquele frio na barriga do primeiro olhar, do primeiro encontro, da primeira loucura, já não é uma aptidão e preferimos deixá-la como um legado para nossas crianças e adolescentes enquanto eles podem aproveitar e não ser adultos.

bollha-602060_640.jpg

Apaixonar-se é um ato de coragem. Reapaixonar-se é um ato de agradecimento. A paixão à qual me refiro não se trata daquela que se limita a ser por alguém e sim ao tesão que se tem pela vida e pelo viver. É encontrar beleza na rotina e fazer com que ela valha a pena nos pequenos detalhes, é renunciar àquilo que não te completa e sair em busca, indo além, mesmo que uma vida não seja suficiente para encontrar. É viver e não simplesmente sobreviver. É ter o "querer" como uma mola propulsora e ir atrás. Reapaixonar-se é dar-se a oportunidade de fazer tudo isso, mesmo que nada mais pareça ser possível. É acordar No dia seguinte a uma turbulência e deixar sentir que você tem mais um milhão de oportunidades de fazer dar certo,deixando que o mundo te acaricie e compreendendo que a paixão é a razão pela qual a humanidade se faz tão forte.

Ela (a paixão) é o início de tudo e pode ser um recomeço pra nós.

Quando aprendemos a arte de nos reapaixonar, percebemos que tudo na verdade parte de dentro de nós e começamos a ver que talvez a rotina não seja tão ruim, só precisamos aprender a apreciar os detalhes e que não é preciso ir tão longe pra permitir que o frio na barriga faça parte das nossas vidas, não como uma lembrança da adolescência, mas como uma velha amiga que veio de longe pra nunca mais ir embora.

Apaixone-se e reapaixone-se quantas vezes puder! A vide te permite, agora é você que precisa se permitir. Redescubra-se!

bota-767045_640.jpg


Ana Josefina Tellechea

O acaso me trouxe escolhas e meu coração me fez chegar até aqui, porque a razão ainda estou aprendendo a usar. Mulher, Cantora, Professora, escritora e um tanto de coisas mais que vou descobrindo ser..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// @destaque, @hplounge, @obvious, @obvioushp //Ana Josefina Tellechea