Poliane Teixeira

Louca apaixonada pela vida, pelas pessoas e principalmente pelos animais. Ariana nata, derretida pior do que manteiga. Riso fácil e gargalhada frouxa. Impulsiva mais do que eu gostaria. Tenho um relacionamento sério com filmes e séries, cobertor, travesseiro e dormir de conchinha. Apaixonada por São Paulo e por viagens. Boa ouvinte de mesa de bar, degustadora de cerveja barata, viciada em comida e admiradora da música popular brasileira e cinema nacional.

  • 15740785_395091437500344_5839016792523501693_n.jpg
    Apenas mais um rostinho bonito

    Sabe aquele carinha que você conheceu e é o cara perfeito, lindo esteticamente, inteligente e ainda por cima carinhoso. O verdadeiro homem dos seus sonhos, mas quando o relacionamento começou a fluir ele começou a te fazer de "step" e ainda a culpou por isso? Você não está só, eu te entendo! Vem aqui, você é muito mais que isso!

  • 15747541_582369991971075_5345879698530553795_n.png
    Adeus Você

    Adeus você que veio como um furacão, tirou meus pés do chão, me fez promessas de amor, mas sequer fez metade por mim do que eu fiz por você. Relacionamento é a base de equilíbrio, e eu sem estabilidade emocional nenhuma, me vi me equilibrando na corda bamba que é minha vida para fazer o impossível e dar o melhor de mim para nós.

  • mulher_sorrindo.jpg
    Um dia por vez

    Hoje faz frio, mas aqui dentro do peito tá quentinho, dessa vez eu não tenho motivos pra chorar e desejar que a hora se apresse, para que alguém chegue logo e venha dividir o fardo que é a minha companhia. Por hoje eu não preciso de um ombro pra chorar, porque descobri que estar comigo mesmo pode ser bom, pode ser leve, pode ser agradável.

  • birdraysnoflickrcompartilhamentodefotos-1242905587163.png
    Sobre saudade

    O que dói não é a saudade de lembranças, de afeto ou de tê-la por perto e sim a saudade de algo que não aconteceu, dói essa saudade de só poder imaginar como a vida estaria com você fazendo parte dela.

  • 1358527924_1.jpg
    É preciso dor

    Sobre memórias e dores que te impulsionam. A dor faz com que eu me sinta mais viva, é como se eu sentisse meu coração batendo mais forte, sentir a dor me faz criar, me faz ter ideias, me faz inventar, me impulsiona, me faz aprender. Sentir a dor me fez buscar uma força que eu jamais soube que eu tinha, é buscar dentro do meu interior uma pessoa que há tempos não aparecia.

  • Aiu_OXF-IbS4FaiIlzEcHaAXZVI-I54LCUkvRmHpuwup.jpg
    Sobre esse estranho hábito de estar sempre bem

    É fundamental que um ser que se diz racional, capaz de sentir emoções e vivendo nessa correria diária e louca se sinta desamparado, triste, reflexivo, ansioso. E é isso que nos difere de máquinas, então por que essa mania de não querer lidar com os pesos e tombos? Por que essa obrigação de passar por cima dos seus próprios sentimentos?

  • into-the-wild.jpg
    Sobre um viajante

    Na Natureza Selvagem é um filme tão forte e marcante porque nos faz questionar o sistema em que vivemos, nos faz pensar e tentar entender o que se pasava pela cabeça de um rapaz tão jovem para decidir abandonar tudo e ir atrás de um sonho?
    Durante toda projeção sentimos que o filme busca um outro rumo que a maioria dos demais abandona, a todo momento ele vai contra a maré e conta uma história com simplicidade mas de uma maneira única.

  • tumblr_nrradrVrLu1qd6icvo1_500.png
    Afinal, onde vivem os monstros?

    "Onde vivem os monstros" vai além de um filme infantil. Traz uma mensagem simbólica no seu enredo, traz uma carga dramática, e a psicologia atua do começo ao fim deixando a mensagem de que o mundo não é como sempre queríamos que fosse, nem é como gostaríamos, e mesmo que em nossas fantasias aconteçam coisas das quais não podemos controlar, devemos compreender nossos monstros interiores para junto podermos trabalhar e vencer os nossos medos.

  • o-kids-laughing-facebook.jpg
    A menina e o jogo do Contente

    Como fazer para lidar com a vida de uma forma que pareça mais tranquila quando temos a impressão de que a cada dia que passa estamos menos sensíveis e mais robóticos? Como ter uma vida de adulto cheia de responsabilidades e ao mesmo tempo ficar contente com isso? Nessa correria diária qual é o tempo em que podemos arrumar pra respirar e ouvir o que nosso coração tem a nos dizer? Qual é o tempo que nos resta para olhar a vida com os olhos inocentes de uma criança e apenas agradecer? O livro "Pollyana" de Eleanor H. Porter, tem o poder de nos ensinar e transformar.

Site Meter