Tico Menezes

Mamas & Papas & Thor Seguem Seu Próprio Caminho

O peso de ser você nunca será maior do que o peso das expectativas de quem esperam que você seja.


tó.jpg

Quem você é tem alguma coisa a ver com quem esperam que você seja? Das suas últimas tentativas, quantas foram para você? E quantas foram para evitar decepcionar outras pessoas?

Eu admito que ainda tenho dificuldade em alinhar as minhas vontades com o receio que tenho de decepcionar quem eu sei que espera coisas de mim. Não sofro tanto quanto já sofri, mas ainda assim, esse sentimento existe. Mas tenho amigos que me confortam, amigos da vida real, da música e do cinema. Deixe que eu os apresente a você e, quem sabe, um pouco desse peso nas suas costas vá embora.

É 1993. Mama Cass Elliot, famosa cantora norte-americana, agora tem uma banda chamada Mamas & Papas e eles decidem regravar uma música que já tinha feito sucesso em sua carreira solo, anos antes. Para compor seu disco Monday, Monday, a poderosa mensagem de Make Your Own Kind of Music ganhou um tom mais melódico e com mais instrumentos.

[...] Você precisa... Fazer sua própria música. Cantar sua própria canção especial. Fazer sua própria música Mesmo que ninguém cante junto.

[...] Você talvez conheça O tipo mais solitário de solidão, Pode ser árduo, Ser você mesmo é a coisa mais difícil de fazer. [...]

Qualquer um que já tenha sido "avisado" de que seus sonhos são grandes demais, seu jeito é esquisito, sua risada não é bonita, sua roupa não é estilosa ou simplesmente esteja perdido tentando se encontrar consegue se relacionar com as palavras de Mama Cass Elliot. Porque é difícil mesmo. Ser você em sua inteireza, em suas inseguranças e idiossincrasias para que o mundo veja exige coragem. Mas não é difícil só para nós, meros humanos, temos aqui no time dos desencaixados um deus nórdico.

Em Vingadores - Ultimato, de 2019, nos deparamos com um Thor totalmente sem rumo na vida e mergulhado numa zona de conforto com cerveja e videogame. Cinco anos antes, ele matou Thanos, o Titã Louco, que pôs fim à vida de metade dos seres vivos no universo. Essa decisão de Thor foi impulsiva e tornou irreversível o feito do vilão. Mas ele era Thor, oras, o Deus do Trovão, quem chamavam quando precisavam de ajuda urgente e força bruta, o sucessor de Odin como Pai de Todos. Não era isso que ele deveria fazer?

Ele fez o que era esperado. Desde então, não soube mais o que fazer. Em depressão e com crises de ansiedade, Thor recebe a visita de alguns amigos antigos que o convidam para uma tentativa desesperada de salvar todas as vidas perdidas nos eventos de Vingadores - Guerra Infinita. Ele aceita, segue perdido e se embriaga sempre que possível para evitar responsabilidades até que, quando chega sua hora de agir, sua missão é voltar no tempo para o dia em que sua mãe, Frigga, foi assassinada.

Quando chega na Asgard de 2012, Thor foge de tudo o que pode, mas é encontrado por sua mãe que logo entende o que está acontecendo - Deusas e essa mania de entender tudo apenas por olhares, né? Frigga se senta com Thor e o seguinte diálogo acontece:

Thor: A cabeça dele estava ali. O corpo dele do outro lado. E tudo por quê? Já era tarde. Eu estava lá parado. Um idiota com um machado.

Frigga: Você não é um idiota. Você está aqui, não está? Buscando conselho da pessoa mais sábia de Asgard.

Thor: Sim.

Frigga: Um idiota, não. Um fracasso? Com certeza.

Thor: Comentário pesado.

Frigga: Mas sabe o que isso faz de você? Exatamente igual a todo mundo.

Thor: E eu devo ser igual a todo mundo?

Frigga: Todo mundo falha no que deve ser, Thor. O que mede uma pessoa, um herói, é o quão bom você é em ser quem é.

Thor: Ah, eu senti sua falta, mãe.

E, ao fazer uma tentativa de levantar seu Mjolnir - aquele martelo que só levanta quem é digno, com potencial de grandeza e bondade imensos -, Thor é surpreendido quando é bem-sucedido. Ele ainda é digno, apesar de tudo. Ele é quem é. Igual a Mama Cass Elliot. Igual a quem faz sua própria música.

Não há como atingir todas as expectativas, essa ideia é uma armadilha para que nos esqueçamos de quem merece nosso melhor: Nós mesmos. Somos dignos de nossas conquistas, das felicidades que estão por vir, dos nossos Mjolnir, dos fãs da nossa própria música, dos aprendizados que nos esperam e de tudo que ser quem somos nos trará. Seja mais que uma estrela da música, mais que um deus nórdico, mais do que igual a todo mundo, seja você.


version 1/s/cinema// @obvious, @obvioushp //Tico Menezes