Tico Menezes

Não Detone a Liberdade Alheia, Ralph

Sua amizade, sua família, seu namoro e seus relacionamentos são saudáveis ou você está precisando de um curso de anti-vírus?


ralhoh.jpg

O grandalhão Detona Ralph e a carismática Vanellope têm uma das histórias de amizade mais sinceras da história das animações Disney. Seriam completos opostos não fosse pela mesma vontade de se encaixar numa sociedade que os rejeitou durante toda a vida.

Ao fim de Detona Ralph (2013), ambos descobrem que aceitar a si mesmos como são é algo maior e mais valioso do que fazer parte de qualquer grupo apenas para evitar a solidão. Ralph e Vanellope vivem numa rede mundial de games, repleta dos mais diversos personagens e histórias, mas passam a contar somente um com o outro para falar de suas felicidades diárias e seus sonhos, mesmo que seus jogos sejam diferentes. Até que, em Wifi Ralph (2018), Vanellope começa a perceber em si a vontade de mudar de ares, conhecer lugares novos e expandir seus conhecimentos. Mas precisa lidar com a indecisão de trocar tudo o que conhece e conquistou pela promessa do desconhecido. Incluso nesse grupo de coisas e pessoas que a garotinha quer deixar para trás, está Ralph, que é plenamente satisfeito com o que tem. E sua reação não é nada positiva, resultando numa discussão na qual Ralph diminui os sonhos de Vanellope e a compara com pessoas ingratas apenas por almejar algo mais.

Em certo ponto do longa, Ralph tem acesso a um vírus de computador que identifica tudo que há de inseguro num jogo, o copia e redistribui até que a insegurança destrua o programa por completo. Ele libera esse vírus na internet na intenção de tornar todo lugar inseguro e assustador, assim impedindo sua amiga de querer ficar onde ela não está acostumada. Mas, obviamente, ele perde o controle de suas ações. Vanellope está insegura quanto ao seu futuro, Ralph está inseguro quanto à sua amizade e a ter que admitir que não quer perder o comodismo de sempre ter alguém por perto para ouvir e apoiar tudo o que você tem a dizer.

O vírus toma conta da rede mundial de computadores e toma a forma de um Ralph gigantesco que quer destruir tudo e todos por não estar em paz consigo mesmo. Ao perceber o que sua insegurança e egoísmo causaram, Ralph entende que precisa lutar contra si mesmo quando sentimentos ruins surgirem e começarem a afetar outras pessoas a ponto de tentar impedir que elas sejam livres para escolher o que quiserem. Amigos de verdade não são aqueles que fazem de tudo para você permanecer por perto, são aqueles que te incentivam a ir atrás do que te faz bem, mesmo que isso signifique que a amizade irá mudar. Ralph aprende, se aceita como falho e seu primeiro passo como alguém em evolução é incentivar sua melhor amiga a seguir seus sonhos e se mudar para um lugar distante e diferente. Todo relacionamento em que uma pessoa acredita que tem o poder de privar o outro da própria liberdade é um relacionamento tóxico. Ninguém deve depender da aprovação de ninguém. Ninguém deve forçar ninguém a fazer nada que não queira. E isso ocorre em casamentos, namoros, família e amizades, contribuindo para uma sociedade infeliz, imatura, frustrada, agressiva e retrógrada.

Confusos todos estamos, insegurança é normal quando algo que conhecemos começa a mudar, mas como reagimos a esses sentimentos é o que determina quem somos e o quanto nossos relacionamentos significam. Aterrorizar psicologicamente o outro com ameaças, diminuir ou ridicularizar o sonho e as vontades do outro, agredir física ou verbalmente quem um dia dissemos amar e/ou respeitar é uma covardia proveniente de imaturidade e problemas emocionais não trabalhados. Isso se transforma em maldade numa questão de instantes se não houver oposição e diálogo. Não podemos permitir que pessoas machuquem outras porque não estão bem consigo mesmas. São metáforas como Wifi Ralph que contribuem para que novas gerações cresçam cientes da necessidade de se cuidar emocionalmente, de se atentar ao que os medos podem fazer com nossas relações.

É preciso conversar com as crianças sobre suas inseguranças e dúvidas, é preciso apontar para maus exemplos e falar sobre o que eles representam, é preciso “meter a colher” em cada relacionamento tóxico e abusivo que conhecermos. Sem atitude nada muda. O medo, se não enfrentado, vira um gigante que vai destruindo o mundo aos poucos. Você fará parte do que alimenta esse monstro ou lutará contra ele?


version 1/s/cinema// @obvious, @obvioushp //Tico Menezes