controverso

Histórias que beliscam

Luana Simonini

A vida segue pela contramão do óbvio e, desses nossos contrários, nascem histórias incríveis

Senhor, perdoai a nossa pressa

Já reparou? Estamos sempre com pressa. Sempre atrasados. "Dá licença? Você sabe, tempo é dinheiro". É. A gente tem pressa pra chegar lá e se esquece de curtir o caminho. Para os apressados, já aviso, o texto é curto.


maxresdefault.jpg

- Atenção, tripulação, pouso autorizado.

A partir da ordem do comandante, os passageiros já começam a se organizar. Afivelam os cintos, colocam a cadeira na posição inicial e aguardam com aflição. No primeiro instante da aeronave no solo, os cintos se abrindo fazem uma das mais clássicas sinfonias da pressa. Com o avião ainda em movimento, todos já estão de pé, com suas respectivas bagagens de mão em mãos. Alguém acha que, realmente, as portas se abrirão mais rápido porque os adultos fizeram uma fila indiana em cinco segundos? Não. A explicação para o fenômeno é uma só: pressa.

A gente tem pressa pra tudo. Pressa pra chegar, pra sair e pra qualquer outro verbo que você queira colocar… É, você tem razão, pra acordar não sei se a gente tem pressa. Eu mesma tenho pressa é por mais cinco minutinhos. Pois bem, concordamos que, para quase tudo, a gente entra num corre-corre sem fim.

Quando era criança, ia todo domingo à missa. Ficava entediadíssima. Numa dessas vezes, ouvi de um moço novo que estava sentado pertinho de mim:

- Senhor, escutai a nossa pressa.

Pressa? Achei que entendi errado, mas sua cara de riso denunciou a heresia. Mas o moço era adulto já. Pressa por quê? Ele não queria estar ali? Por que foi se ninguém o levou pela mão? Na minha cabeça infantil, concluí que ser adulto é também fazer o que não quer numa convenção maluca que só os adultos entenderiam. Pois bem, cresci.

Uma conhecida minha tinha acabado de se formar em jornalismo quando trabalhávamos juntas. Na época, ela decidiu mudar de área e faria um novo curso na faculdade. Legal. Pensei. Quando conversamos sobre a mudança, ela me contou que faria uma nova graduação porque em um ano de jornalismo ela não tinha o salário que queria. Se, com um ano de formada, ela não chegou lá, não tinha motivo para esperar mais e iria desistir. Oi?

É. A gente tem tanta pressa pra “chegar lá” e se esquece de curtir o caminho. Pressa pra acertar logo na primeira tentativa e se esquece de aprender com os erros.

Tempo é dinheiro. Essa frase é um pedido de perdão pela correria cometida. Dá licença? É a pressa. Você sabe, tempo é dinheiro.

Não. Não é.

Convenhamos. O tempo vale muito mais. Não dá pra reduzir memórias, histórias, conhecimento, até as batidas aceleradas de um coração aflito a uns trocados.

O tempo não é o inimigo.

Ainda bem. Se a gente entrar numa briga com os ponteiros, perderíamos de lavada. Aliás, a gente sempre perde. Ei, tempo, perdoa se a gente tem pressa. Acho que ainda não entendemos que viver não é competir.


Luana Simonini

A vida segue pela contramão do óbvio e, desses nossos contrários, nascem histórias incríveis.
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/recortes// @obvious, @obvioushp //Luana Simonini