conversa literária

Porque Literatura é assunto para todo dia...

Pamela Camocardi

Professora por vocação, escritora por paixão e teimosa por natureza. Criadora e colunista do site o site ¨Entrelinhas Literárias¨, costuma transformar em textos palavras que, nem sempre, deveriam ser ditas.

Quantos “adeus” você disse querendo ficar?

"Despedir-se de um amor é despedir-se de si mesmo. É o arremate de uma história que terminou, externamente, sem nossa concordância, mas que precisa também sair de dentro da gente." (Martha Medeiros)


Todo término é difícil. Difícil mesmo! Indiferente da história vivida sempre ficará aquele sentimento de “eu poderia ter tentado mais” ou “onde foi que eu errei?”. Temos a mania de culpar-nos de todo erro, como se estivesse apenas em nossas mãos o sucesso ou o fracasso do relacionamento.

Sabe, algumas histórias não nasceram para dar certo. São complicadas, pesadas, tóxicas e, por mais que você tente, elas nascem com tempo determinado para acabar. A boa notícia é que você sobreviverá. Desapegar-se de sentimentos, pessoas e atitudes que não cabem mais em nossas vidas é caminhar sem bagagens pesadas e permitir ser feliz mesmo que só.

O grande problema do “adeus” é que, nem sempre, ele é dito com sinceridade. Há mais vontade de ficar do que partir quando se diz essa dolorosa palavra. Admita, que não foram poucas às vezes em que você usou o adeus longe do seu sentido literal. Usou na tentativa do outro entender a sua importância e na esperança de ouvir um “eu vou ficar, porque amo você”. adeus-1-640x400.jpg

Atrás de um adeus tem mais significados do que o dicionário seria capaz de traduzir: tem um “não aguento mais”, um “tente mais um pouco mesmo que eu diga não” e um “fique aqui e conserte tudo!”. Adeus nem sempre é despedida, às vezes, é um pedido de socorro para salvar o relacionamento.

É difícil ter que desistir quando o sentimento ainda é forte. É difícil ter que desistir quando o que mais você queria era continuar lutando. Mas, algumas vezes, é necessário. Dizer adeus a um amor não é sinônimo de fracasso. Pelo contrário, é um ato de coragem em favor da própria felicidade. É entender que você precisa tirar da sua vida (e de dentro do coração) alguém que não faz questão de ficar.

É difícil partir quando a vontade é ficar. É difícil, mas é preciso, para que você não se perca nos próprios sonhos.É provável que você sofra alguns dias e que a ilusão da zona de conforto te afronte. Mas, nesses momentos, olhe para dentro de si e questione se sua história não estava sendo vivida apenas por um. Se esse sentimento é, realmente, tudo aquilo que você sonhou e se vale a pena abrir mão do melhor que está por vir.

Dizer adeus é dizer sim ao recomeço. Herman Hesse escreveu que “ a cada chamado da vida o coração deve estar pronto para a despedida e para novo começo, com ânimo e sem lamúrias, aberto sempre para novos compromissos. Dentro de cada começar mora um encanto que nos dá forças e nos ajuda a viver.”

Ninguém sofre para sempre. Um dia a dor passa, a saudade ameniza e o sentimento apaga. Não queria ouvir um “vamos tentar de novo” de quem não deu valor na primeira tentativa. Diga adeus querendo, realmente, despedir-se. Deixe ir o que não te faz bem. Sua vida, sua alma e sua história são importantes demais para que se aloje sentimentos superficiais.

Dizer adeus a quem quebrou sua confiança, seu coração e sua alma é dizer sim para si mesmo. Acredite, é melhor desistir de um relacionamento frio, do que esfriar seu coração e não acreditar mais no amor.


Pamela Camocardi

Professora por vocação, escritora por paixão e teimosa por natureza. Criadora e colunista do site o site ¨Entrelinhas Literárias¨, costuma transformar em textos palavras que, nem sempre, deveriam ser ditas..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// @obvious, @obvioushp, @obvious_escolha_editor //Pamela Camocardi