corra loba corra

cultura, filosofia, arte e lirismos

Erika Pessanha

"ah, que ninguém me dê piedosas intenções,
Ninguém me peça definições!
Ninguém me diga: "vem por aqui"!
A minha vida é um vendaval que se soltou"- José Régio

Cada Amanhecer

No meio do turbilhão de crenças que minha lógica tem assassinado, procuro manter uma incólume: Minha alma é eterna. Assim creio, pois assim sinto.


f.jpg

No meio do turbilhão de crenças que minha lógica tem assassinado, procuro manter uma incólume: Minha alma é eterna.

Assim creio, pois assim sinto.

Durante minha vida assisti algumas pessoas colocarem estacas em seu próprio tempo, estipular mortes em vida, citar prazos de validade, se eu acreditar nisso, eu não continuo de pé...e meu corpo acompanhará o mesmo percurso daqueles que se limitaram por essas crenças.

A idéia de fim limita o ser humano, o fim orgânico dos corpos puxa com ele as mentes, reafirmando uma crença de finitude do próprio pensamento, ignorando o conceito de alma que ao mesmo tempo é incomprovado por números mas empírico pra quem a sente. Eu sinto a minha e dispenso dar explicações dos porquês.

A vida tem me levado a crer, que sim, existe a vida e existe a morte, mas desconsideramos o que ela é, em que instâncias elas ocorrem.

Eu nasço a cada amanhecer, cresço durante do dia, sofro durante a noite e estou morta durante o breve período dos meus sonhos. Nele visito céus e infernos que minha mente não conseguiu ainda derrubar, paraísos eternos que ela entendeu a existência, idéias que estão em mim e as herdei dos meus pais, que herdaram dos seus... E pronto. Fim da vida.

Renasço a cada amanhecer. Não penso nos números, que aliás não estão sequer registrados no meu corpo, se eu pensar na degradação dele, minha mente o acompanha. Faço o contrário: Almas nascem velhas e vão se tornando vigorosas com o passar dos anos. Ela é mais forte do que meu corpo, ele é quem tem que acompanhar as paixões da minha alma.


Erika Pessanha

"ah, que ninguém me dê piedosas intenções, Ninguém me peça definições! Ninguém me diga: "vem por aqui"! A minha vida é um vendaval que se soltou"- José Régio.
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// //Erika Pessanha