cultura liquida

Homenagem a perda de convicções do pensamento humano e a certeza que tudo muda.

Amauri Nolasco Sanches Junior

tem 40 anos e é paulistano, tem uma deficiência chamada Paralisia Cerebral (não o cérebro paralisado), que deixou sequelas dentro da parte fisicomotora, mas não deixou de ser uma pessoa que vive plenamente. Mesmo cadeirante cursou publicidade virtualmente pela IPED e TI (Técnico de Informática) pela ETEC Pq Santo Antônio na zona leste de São Paulo e não parou. Se formou em Filosofia na FGV (Fundação Getúlio Vargas), além de ser noivo de uma linda dama.

Irmandade dos homens

Abandone o certo ou errado, decida por si mesmo.
Lemmy Kilmister


rock-n-roll.jpg

Uma das coisas que gosto do rock é que o rock verdadeiro não tem frescuras de popularidade e nem de ter “cuidado” do que você diz. Ele diz na lata e é uma das características das bandas da velha guarda que diz o que pensa e que se foda o que você acha disso, pois o mundo é muito sujo para um vê a sujeira do outro. Eu tenho uma tese que se Nietzsche vivesse hoje, com certeza teria uma banda de rock ou de heavy metal, suas marteladas seriam estilo Manowar e não teria tantos problemas como teve – mesmo o porquê, o bigodudo teria sua filosofia muito mais aceita – e talvez, até Lous Salomé ficaria com ele, vai saber. O rock tem muito a ver com a filosofia e não longe da filosofia nietzscheriana, a moral humana foi construída em cima do que o poder quer que sejamos, que fazemos e o que queremos.

Morreu nesses dias – mais precisamente no dia 28 – o vocalista e líder da banda Motorhead, Lemmy Kilmister e deixou muitos caras que curtem rock órfãos. Nunca me importei com isso de artista morrer e tudo mais, mas dois que me incomodaram foi o Lemmy e o Dio pela forma que morreram, mas nem é um inconformismo, e sim, uma análise daquilo que não nos conformamos com o que acontece na vida. Talvez uma das doenças mais destruidoras que tem é o câncer, pois são células que não sabem a hora de morrer e se reproduzem sem parar. Se é emocional não sabemos, mas tem a ver com certeza com aquilo que não nos conformamos perante a vida. E isso que me fez abrir o Word e escrever o texto, muitas pessoas tem um modelo de vida muito bem sólido que vem de séculos atrás e mesmo quando você não quer seguir, esse modelo fica no seu inconsciente. Por isso que muitos filmes, livros, desenhos e tudo mais, vão dizer que temos nosso lado sombra, nosso lado que se escondemos dentro da escuridão. Fica difícil deixar certos conceitos sociais que são modelos rígidos de família, de amor, de respeito, de moral, de ética e que não cabe mais aos dias de hoje. Lemmy não fugiu a regra e como ser humano, tinha seu modelo social rígido de querer ter um pai que fosse presente e talvez, vendo os outros garotos tendo um pai presente o fez ter traumas imensos – ainda mais na Inglaterra que a coisa é muito mais rígida. O pai clérigo que abandonou ele quando era muito pequeno, fez ele brigar com a instituição cristã – tanto é que tem um dos mais conhecidos mitos que Lemmy iria lutar com Deus, mas sua luta não era com Deus e sim, com a instituição cristã enquanto detentora do poder – e fazer todo um aparato para dizer o que sentia, o Motorhead era o Lemmy e seu sentimento. Longe de ser um psicólogo, vamos a música.

Brotherhood of Man (Irmandade do homem) tudo de ruim que o ser humano produziu está na música, pois o que seria humano demasiado humano, uma fraternidade que só cuida do que é ruim tudo que devesse ser explorado. Mas o que deve ser cuidado? O que se esqueceu? Irmandade quer dizer companheirismo, quer dizer todo mundo unido como irmãos, com sua própria personalidade, mas união. A ideia da música e da maioria das músicas do Motorhead, é que a religião se esqueceu, a verdadeira fraternidade entre os homens que fazem de nós da espécie humana. Tem um meme interessante dizendo que éramos humanos, mas veios as raças e nos desligou, as religiões nos separou, a política nos dividiu e o dinheiro nos classificou. Ótimo resumo. Mas também tem a ver com as músicas de metal, éramos humanos até que as pessoas nos disseram que éramos raças diversas, que os homens que acreditavam em tal deus era melhores do que os outros que acreditavam em outros, que se dividiu as nações em etnias e o pior, o dinheiro nos colocou em classes diferentes. Assim, toda a raça humana saiu do “paraíso” de um colaborar com o outro, dividindo em raças, religiões, políticas diferentes e classes sociais que nada tem a ver com nosso espirito humano.

Mas o que nos faz sermos seres humanos? A evolução humana respondeu a essa pergunta nos dando a percepção do ambiente que nos rodeia, dando o cérebro capacitado para pensar e perceber os sentimentos que sentimos, não somos só racionais. A racionalidade nos deu a capacidade de sermos seres que poderíamos inventar técnicas para superar dificuldades, mas a verdadeira evolução foi o afeto que nos levou a ser seres que nos importamos um com o outro ou outros seres. Por isso que quando alguém não se importa com o outro dizemos que ele não é humano, pois o sentimento nos fez ser animais gregários. Não se trata em biologia apenas, se trata de um animal que evoluiu diferente dos outros animais, porque o humano não é só racionalidade e instinto e também, espirito. Mas esquecemos da liberdade, esquecemos o que é ser humano, esquecemos da nossa própria racionalidade para viver um personagem social que só alimenta nossa própria comodidade.

A questão é: somos libertos da nossa própria prisão? Somos animais que evoluímos e construímos uma civilização que nós próprios nos aprisionamos? Lemmy é um dos poucos pensadores do rock que era verdadeiro, nada de esconder que pensava e deixou um legado que nenhum filosofo contemporâneo pensou em deixar.


Amauri Nolasco Sanches Junior

tem 40 anos e é paulistano, tem uma deficiência chamada Paralisia Cerebral (não o cérebro paralisado), que deixou sequelas dentro da parte fisicomotora, mas não deixou de ser uma pessoa que vive plenamente. Mesmo cadeirante cursou publicidade virtualmente pela IPED e TI (Técnico de Informática) pela ETEC Pq Santo Antônio na zona leste de São Paulo e não parou. Se formou em Filosofia na FGV (Fundação Getúlio Vargas), além de ser noivo de uma linda dama. .
Saiba como escrever na obvious.
version 3/s/recortes// @obvious //Amauri Nolasco Sanches Junior