cultura liquida

Homenagem a perda de convicções do pensamento humano e a certeza que tudo muda.

Amauri Nolasco Sanches Junior

tem 40 anos e é paulistano, tem uma deficiência chamada Paralisia Cerebral (não o cérebro paralisado), que deixou sequelas dentro da parte fisicomotora, mas não deixou de ser uma pessoa que vive plenamente. Mesmo cadeirante cursou publicidade virtualmente pela IPED e TI (Técnico de Informática) pela ETEC Pq Santo Antônio na zona leste de São Paulo e não parou. Se formou em Filosofia na FGV (Fundação Getúlio Vargas), além de ser noivo de uma linda dama.

A filosofia da informação: por que se lê muito pouco?

Mesmo com milhões de informações na internet, ainda se lê bastante pouco ou nada antes mesmo de postar. A maioria das pessoas estão iludidas com falsas informações.


portal-do-bibliotecario-compartilhamento-informação-conhecimento.jpg

A ciência diz que nossa realidade é feita de informação. Tanto a realidade, quanto a escrita, são símbolos inventados, justamente, para serem usados para informar o que o outro queria dizer. O que se sabe, que o ser humano começa a informar nas pinturas da caverna e também, a inventar símbolos que demostravam um objeto para não repetir o número verdadeiro, que era muito grande.

Hoje, muitos pesquisadores, chama essa época de era da informação. Com o advento da internet, a informação ficou fácil e abundante, porém, por ser abundante ela é pouco acessada. Pois, as pessoas têm muitas opiniões que não sabem. O filósofo grego – que viveu 300 anos antes de Cristo – Sócrates, já observava isso, já fazia um contestamento das pessoas que acham que sabia e não sabia. Então, Sócrates disse que sabia que nada sabia, para ironizar aqueles que tentam dizer aquilo que não sabem.

Mas, ao mesmo tempo que temos números incontáveis de bits de informação, muitos artigos e notícias não são lidos. As pessoas acham importante comentar o título, que muitas vezes, nem é o que está escrito na matéria. Vivemos tempos de pós-verdades que não se desprendem da pobreza do fanatismo, da consciência manipulada como se tivéssemos em um grande debate. Mas será mesmo que as pessoas podem dar sua opinião? Será que somos livres para fazemos o que queremos?

Algumas pessoas pensam que fazem o que querem, postando fotos no Instagram em baladas, postando em parques ou feiras de tecnologia. Além, de acharem que podem ser modelos fotográficos, só porque recebem curtidas e essa curtida acaba sendo um incentivador dessas fotos. A questão é: será que essas pessoas sabem de um vazio de uma vida não analisada? Será mesmo que essas pessoas sabem mesmo quem são eles? Se lê pouco, não porque as pessoas não tenham dinheiro ou tempo, mas, se lê pouco por medo da decepção da vida.


Amauri Nolasco Sanches Junior

tem 40 anos e é paulistano, tem uma deficiência chamada Paralisia Cerebral (não o cérebro paralisado), que deixou sequelas dentro da parte fisicomotora, mas não deixou de ser uma pessoa que vive plenamente. Mesmo cadeirante cursou publicidade virtualmente pela IPED e TI (Técnico de Informática) pela ETEC Pq Santo Antônio na zona leste de São Paulo e não parou. Se formou em Filosofia na FGV (Fundação Getúlio Vargas), além de ser noivo de uma linda dama. .
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// //Amauri Nolasco Sanches Junior