dando bandeira

Liberdade é não ter que fazer a escolha certa.

Camila Bandeira

De noite, sorridente. Pela manhã, mal-humorada. Eu vivo em Brasília, mas juro que não sei de nada. Sou publicitária, feminista, carioca das Laranjeiras. Seja bem-vindo e muito prazer, me chamo Camila Bandeira

A palavra da vez é: empoderamento

Dia Internacional da Mulher, primavera feminista, março lilás… Como apaixonada pelo universo digital e mais ainda por empoderamento feminino, venho trazer um pouco do meu olhar sobre essa avalanche de conteúdo feminista pela qual estamos tendo o prazer de ser soterrados. Em 2016, o Youtube fez história.


Captura de Tela 2016-03-10 às 00.30.08.png

Dia Internacional da Mulher, primavera feminista, março lilás… E encerramos a primeira semana do mês com a impressão de que não conseguimos acompanhar. Parece que ninguém conseguiu. Como apaixonada pelo universo digital e mais ainda por empoderamento feminino, venho trazer um pouco do meu olhar sobre essa avalanche de conteúdo feminista pela qual estamos tendo o prazer de ser soterrados. Em 2016, o Youtube fez história.

Apesar de spoilers captados pelos mais envolvidos, tudo começou com um vídeo simples, que mostrava sete youtubers influentes representando 7 mulheres poderosas que lutaram, cada uma em seu tempo, por espaços na sociedade. São quase três minutos de muitos pelinhos arrepiados no braço. E isso tudo só com a trilha correta, frases icônicas e figurino impecável. Simples e incrível… Jeitinho Youtube de ser. No Brasil, nossa representante foi ninguém menos que a genial Julia Tolezano, mãe da família Jout Jout. Nos vídeos seguintes e em suas publicações por todos os dias, ela fez questão de explicar o projeto e o que toda essa movimentação significava.

Minha percepção sobre essa campanha em uma palavra: metalinguagem. O Youtube promoveu o encontro entre youtubers mulheres de todo o mundo para falar sobre mulheres no Youtube em todo o mundo. Tchanã! De novo, simples e incrível. Cada uma das 7 youtubers que estavam no vídeo oficial receberam convidadas de seu país. Tudo para inspirar mulheres a produzir conteúdo para o Youtube, a ocupar o Youtube, a se fazer presente.

No cantinho bem decorado do Youtube Space de São Paulo, Jout Jout teve 10 encontros com mulheres maravilhosas para falar sobre serem quem são. As convidadas no Brasil foram das mais variadas. Segura o tranco pra essa lista.

Malena quebrou tabus e falou sobre mulheres no universo dos videogames.

Nátaly Neri deu uma aula sobre feminismo negro. E esse foi o único vídeo que não foi para o canal da convidada e, sim, para o próprio Jout Jout Prazer, simplesmente porque a pauta precisa alcançar novos públicos.

Jessica Tauane e Debora Baldin, musas do Canal das Bee, receberam a drag queen Lorelay Fox. E ainda teve uma conexão especial com a Mandy Candy, diretamente de Hong Kong. Foi um combo e tanto, de onde saíram dois vídeos sobre o universo LGBT no Youtube, feminismo e muita risada, como sempre.

Julia Petit falou sobre maquiagem e toda a filosofia por trás do ~supérfulo~, provando que esse tema, de fútil, não tem nada.

Lili Prata e Tati Feltrin, youtubers aos 30, falaram exatamente sobre como é viver disso com mais de 30 anos. E este vídeo ainda contou com a participação da Tati Leite, que tem dois canais no Youtube e coordena projetos no Youtube Space de São Paulo.

Ana de Cesaro dividiu seu vídeo em três e fez uma dinâmica diferente. Ela e Jout Jout tiravam papeizinhos com palavras-chaves e falavam sobre assuntos dos mais diversos: de sexo anal a mulheres no cinema.

Ana Lídia Lopes, a caçula do grupo, falou sobre empoderamento e descoberta da própria identidade. E todos morremos de inveja por não poder abraçá-la também.

A queridinha Flavia Calina não esteve em São Paulo, mas se fez muito presente. Ela falou sobre como é viver em um verdadeiro Show de Truman (e muito mais, é claro. Só assistindo pra entender).

Isa Lima, cantora (maravilhosa) e amiga pessoal da Jout Jout, completou o time por uma feliz coincidência: as duas iniciaram suas carreiras no Youtube no mesmo momento.

E por último, mas não menos importante, ainda teve a Bruna Vieira, que, como a própria Julia fez questão de repetir, "tem 21 anos e já está construindo a própria casa." Não precisamos mais falar nada.

Mas, afinal, qual foi o propósito?

Como exercício pessoal, sempre me coloco em uma situação de imaginar razões, motivos e intenções por trás de cada movimentação. A verdade é que o Youtube já deve ter percebido que vem fazendo a diferença na vida das mulheres nos quatro cantos do mundo. Então, aproveitaram uma data mundial para provar que ainda podemos mais. Indo além de todo o objetivo comercial, criaram uma campanha de empoderamento totalmente inédita e fizeram, simplesmente, o que muita gente se esquece no dia da mulher: dar voz a quem tem propriedade para falar sobre o tema.

E tudo isso, além de terem feito muita gente feliz, porque ver essas lindas reunidas foi de encher o coração!

Os vídeos principais estão disponíveis no canal Youtube Brasil. Mas tem conteúdo extra espalhado pelos canais das meninas também. E vale a pena uma maratona. ;)

Atualização: Horas depois da publicação deste texto, Jout Jout soltou um vídeo explicando o projeto ainda melhor e mostrando todas as poderosas que participaram. Assiste aqui ó!


Camila Bandeira

De noite, sorridente. Pela manhã, mal-humorada. Eu vivo em Brasília, mas juro que não sei de nada. Sou publicitária, feminista, carioca das Laranjeiras. Seja bem-vindo e muito prazer, me chamo Camila Bandeira.
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// @obvious, @obvioushp //Camila Bandeira
Site Meter