dando bandeira

Liberdade é não ter que fazer a escolha certa.

Camila Bandeira

De noite, sorridente. Pela manhã, mal-humorada. Eu vivo em Brasília, mas juro que não sei de nada. Sou publicitária, feminista, carioca das Laranjeiras. Seja bem-vindo e muito prazer, me chamo Camila Bandeira

Imagine uma guerra de conhecimento

E para começar, um monte de soldados na trincheira, à postos para a mais incrível experiência de suas vidas. Bandeira branca não existe por aqui. Quem for esperto, que atire o primeiro livro.


Esses dias li uma matéria que um artista argentino transformou seu carro em um tanque de guerra, só que de livros. Agora, imagine você uma guerra de conhecimento, onde vence quem for atacado mais vezes.

tanquedeguerra.jpg

Imagine uma guerra de soldados da ciência, coronéis das letras, armas de destruição/construção em massa… Um exército inteiro pronto para atacar. Para se alistar, os músculos são dispensáveis. A altura não importa, nem tampouco o tamanho do seu coturno. Mas é preciso estar armado. Uma bibliografia inteira deve estar no gatilho.

Um ataca com Clarisse, outro devolve com Camões. Pode vir um tanque de Dostoiévski, que te devolvo com Virginia Woolf. Ah! E Shakespeare vale dois! Deixe esse para os atiradores de elite.

Até a menor mina colocada no chão, de um gibi infantil, explode em palavras pelo ar para fazer estragos dos mais bonitos. E aquelas pequenas balas, de notas de rodapé, quando certeiras, fazem toda a diferença.

Quando for livro raro, damos uma trégua. Me explica direitinho para ver se eu entendi? Não podemos desperdiçar munição, né.

Seria a guerra perfeita, trocando tiros de amor e bombas de conhecimento. Tudo isso, em busca do que temos de mais valioso: sabedoria. Mas mesmo que a gente nunca conquiste todos os territórios desejados, espalharíamos informação de qualidade por aí, abastecendo o estoque para que todos consigam pensar sozinhos. Que mal isso faz?

E para começar, um monte de soldados na trincheira, à postos para a mais incrível experiência de suas vidas. Bandeira branca não existe por aqui. Quem for esperto, que atire o primeiro livro.

…Bum!


Camila Bandeira

De noite, sorridente. Pela manhã, mal-humorada. Eu vivo em Brasília, mas juro que não sei de nada. Sou publicitária, feminista, carioca das Laranjeiras. Seja bem-vindo e muito prazer, me chamo Camila Bandeira.
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/literatura// @obvious, @obvioushp //Camila Bandeira