dando bandeira

Liberdade é não ter que fazer a escolha certa.

Camila Bandeira

De noite, sorridente. Pela manhã, mal-humorada. Eu vivo em Brasília, mas juro que não sei de nada. Sou publicitária, feminista, carioca das Laranjeiras. Seja bem-vindo e muito prazer, me chamo Camila Bandeira

Me desculpem os idiotas, mas bom senso é fundamental

Temos que repensar essa síndrome da beleza idealizada, também conhecida como "Era do Tinder". Já pararam pra pensar quantos amores das nossas vidas deixamos passar porque tinha o dente torto, era baixo demais ou não apresentava um corte de cabelo maneiro? A vida é muito curta pra gente "dar like" pela foto.


Dia desses saí com umas amigas e uma delas resolveu levar o novo ~peguete~. Adoramos, ele foi super bem-vindo. Rapaz sorridente, divertido, educado e logo se entrosou, participou das conversas e brincadeiras - e bem sabemos que nem todos são assim.

valorize.jpg

Muito que bem, quando eles foram embora, logo tratei de elogiar o menino e "que bom que a amiga encontrou alguém legal". Até que uma das meninas concorda-discordando. Ela disse que ele realmente é muito gente boa, mas que "nossa amiga conseguia coisa melhor, né?" Outra logo concordou com a colocação e, rapidamente, a opinião era unânime na mesa do bar.

Só aí me dei conta do que todas estavam falando. O moço era gordinho. Nossa amiga é magra e esbelta. "Ela conseguia coisa melhor."

No momento que me toquei, tratei de discordar. E, como gordinha que sou, todas ficaram sem graça com a minha reação. Aparentemente, minha opinião era de outro nível, afinal, eu sou como ele, não é mesmo? Quando se deram conta do tom ofensivo, recuaram também. Algumas até voltaram atrás na opinião. Eu, já sem paciência e meio bêbada, não demorei pra rebater. Convenhamos, tem tanta gente imbecil espalhada por aí. E quando uma amiga finalmente encontra um cara legal, o problema é ele ser gordo? Pera lá, gente, menos recalque e mais amor ao próximo né?

Engraçado também que eu namorei um gordinho por muito tempo e todas sempre disseram que nós éramos um casal lindo. O que me faz refletir que realmente a sociedade herdou esse sentimento anti-miscigenação e passou a reproduzir em qualquer esfera das diferenças humanas. Todos concordam que um casal de gordinhos é lindo, tão lindo quanto um casal de sarados. Mas se resolvem misturar os pares, a coisa muda de figura. De onde veio a ideia de que um gostosão não pode namorar alguém tamanho GG? Quem foi que disse que a mistura é proibida, ou pior, "não combina"?

O que quero dizer aqui é que a gente tem que repensar essa síndrome da beleza idealizada, também conhecida como "Era do Tinder". Já pararam pra pensar quantos amores das nossas vidas deixamos passar porque tinha o dente torto, era baixo demais ou não apresentava um corte de cabelo maneiro? A vida é muito curta pra gente "dar like" pela foto. Eu também faço dieta, malho, quero perder peso. No meu caso, minha saúde está em jogo. Mas se for pra ser magra e segregadora, prefiro mergulhar numa piscina de coxinhas. E com catupiry!


Camila Bandeira

De noite, sorridente. Pela manhã, mal-humorada. Eu vivo em Brasília, mas juro que não sei de nada. Sou publicitária, feminista, carioca das Laranjeiras. Seja bem-vindo e muito prazer, me chamo Camila Bandeira.
Saiba como escrever na obvious.
version 7/s/sociedade// //Camila Bandeira