das travessias limiar em profundidade

Psicologia, Filosofia e Arte.

Maria Fernanda Carvalho

Carioca, psicóloga e psicanalista. Nas horas vagas curto muito cinema, livros e conversar com os meus três gatos boêmios. Alguns textos são meramente metáforas.

  • blogib_trama-fantasma_feat.jpg
    Trama Fantasma tem seu charme peculiar

    (...)Todo grande homem tem que ser, obviamente, obsessivo. Não sei se me entendem. Mas o "grande homem" é a soma de suas ideias fixas. São elas que o potencializam.(...). De "Nelson Rodrigues em "Sexo é para vira-latas". Sim, Reynolds é um grande homem excêntrico. Da sua arte consegue extrair a beleza com sucesso, mas no amor ele escolhe se entregar com personalidade numa troca de poder de quem comandará as ações.

  • maxresdefault.jpg
    A forma da água é o conto que encanta

    “A forma da água” é filme que transborda emoção. Conforme declarado por Guillermo Del Toro: “A água toma a forma do que quer que a esteja contendo, e embora possa ser tão suave, é também a força mais poderosa e maleável do universo. Isso também é amor, não é?! Não importa em que fôrma colocamos o amor, ele se molda a ela, seja homem, mulher ou criatura”.

  • 365133.jpg
    Okja e o capitalismo selvagem.

    Algumas palavras sobre Okja de Bong Joon-ho que é um diretor da atualidade espetacular. As suas obras é uma mistura de humor, ação e sensibilidade. Ele nos leva a refletir sobre temas que ultimamente nos incomoda e nos chama atenção para um mundo de constantes mudanças onde o exercício do cuidar deve considerar o estado permanente de desenvolvimento pessoal, de transformações e de vir-a-ser.

  • mnight2.jpg
    M. Night Shyamalan entre herói e vilão

    Split e Unbreakable. Herói ou Vilão? Personagens arquetípicos, que configuram modos de ação onde o espectador pode ver-se espelhado e, influenciar os rumos da trama. Heróis que seduzem e repelem, com o único objetivo de vencer. Diante de um pequeno revés deixam transparecer seu lado de vilões que escondem suas reais identidades como estratégia de jogo, ou seja, uma miscelânea de emoções e atitudes que alicia os espectadores a fazer parte deste “show da vida” que explora as mais variadas experiências e tropeços aos quais todo ser humano está vulnerável, independente da raça, cultura ou padrão social.

  • 245005.jpg-c_300_300_x-f_jpg-q_x-xxyxx.jpg
    Ao cair da noite e o mal do mundo.

    A dimensão do Mal constitui-se no desdobramento, na única maneira viável, ou supostamente viável, de fazer-se o incontido. Ao Mal está associado o mundo sagrado, a Morte, o desconhecido.

  • 5929d02a4028fb0dc005aab8ce866bda.png
    a deusa trina: mulher maravilha

    Mulher Maravilha o filme que traz uma articulação de aspectos relativos a jornada do herói e a metáfora perfeita da redenção do feminino.

  • blade-runner-02.jpg
    o filme blade runner de 1982 no tempo.

    Nietzsche, nos conta sobre a história dos dois próximos séculos, quando ele diz que o futuro pronuncia-se em cem sinais, o destino anuncia-se por toda parte, com a tortura de uma tensão, que cresce de década em década, como se estivesse encaminhando-se para uma catástrofe: inquieta, violenta, precipitada como uma correnteza que anseia por chegar ao fim e que não mais se lembra, tem medo de lembra-se. Blade Runner é isso e muito mais, nos traz mensagens sobre o passado e o futuro.

  • Bram Stoker's Dracula (54).jpg
    Dracula de Bram Stoker's. O amor nunca morre.

    A atmosfera sedutora, melancólica e ao mesmo tempo perversa dessa trama de Francis Ford Coppola traz os atores Gary Oldman, Winona Ryder, Keanu Reeves, Anthony Hopkins e Sadie Frost. O filme nos conta a trágica história do amor impossível de Mina e conde Drácula. O amor quando é impossível talvez seja o maior de todos.

  • menino-13-reasons-why.jpg
    13 reasons why e alguns temas

    Fica a dica de Sartre: “O que você fez daquilo que te fizeram?”
    Ou de Jung: “Eu não sou o que me aconteceu. Eu sou o que escolho me tornar.”

  • filmes_11153_kri15.jpg
    Krisha e a construção da singularidade.

    Como diz Charles Taylor em sua tese sobre a política de reconhecimento: “A tese consiste no fato de a nossa identidade ser formada, em parte, pela existência ou inexistência de reconhecimento e, muitas vezes, pelo reconhecimento incorreto dos outros.” Ele argumenta que essa inexistência de reconhecimento ou o reconhecimento incorreto por parte da sociedade e de outros membros da comunidade em que o indivíduo está inserido constituem uma forma de agressão, afetando negativamente sua identidade, “reduzindo a pessoa a uma maneira de ser falsa, distorcida, que a restringe." Assim Krisha tenta se reinventar, mas para isso é preciso passar pela demanda do Outro, pelo desejo (o que queres?) e se constituir como sujeito. Hoje em dia a singularidade é disfarçada, ignorada e assimilada a uma identidade dominante ou família, grupos. O tempo urge para a formação dessa singularidade, onde desejamos que o Outro nos autorize para sermos quem somos. Muitas vezes nesse percurso fracassamos e diante disso não há autenticidade.

  • martin-scorsese2.jpg
    The Silence – O silêncio. Um ato de fé?

    Falou-se sempre de fé, mas agiu-se sempre apenas por instinto... Cristo é a forma de existência centrada no amor e na não-violência. O seu mundo interior dá um sentido à sua vida, é um remédio, uma consolação que, àquele que não suporta o carácter trágico e brutal da existência, indica um caminho diferente do da fuga à terra em direção ao Além. Na verdade, o último Cristão morreu na cruz. «Que significa a 'Boa Nova'? A vida eterna não é prometida, está aqui, está em vós: como vida no amor, no amor sem retraimento e exclusão, sem distância. Cada um é filho de Deus - Jesus nada absolutamente pretende para si apenas, como filho de Deus, cada um é igual a todos.»
    [Nietzsche, O Anticristo, § 29.°]

  • Manchester-A-Beira-Mar.jpg
    Manchester à Beira Mar e a Dor de Existir

    A escolha de viver uma vida de ruína. O personagem principal ama a punição e a culpa. Enfrentar-se talvez seja a melhor escolha, mas é preciso coragem.

  • a-fita-branca-geht-schlafen.jpg
    A fita branca e a reprodução da má consciência na humanidade

    Sem crueldade não há festa: é o que ensina a mais antiga e mais longa história do homem – e no castigo também há muito de festivo!” – Nietzsche, Genealogia da Moral, segunda dissertação, § 6
    Esse animal que querem ‘amansar’, que se fere nas barras da própria jaula, este ser carente, consumido pela nostalgia do ermo, que a si mesmo teve de converter em aventura, câmara de tortura, insegura e perigosa mata” – Nietzsche, Genealogia da Moral, segunda dissertação, § 16 (notas do autor)

  • 418442.jpg-r_1920_1080-f_jpg-q_x-xxyxx.jpg
    ANIMAIS NOTURNOS NA DIMENSÃO ESTÉTICA

    Kierkegaard e a existência possível. A relação entre a existência e a possibilidade estes dois conceitos ocupam na filosofia de Kierkegaard papéis primordiais. Da existência enquanto possibilidade de ser como existente possível, o homem não apenas se apodera de sua condição de vivente, quanto projeta e decide os modos com que se articulará com os sentidos que lhe seriam próprios e autênticos, por não possuir determinações essenciais (como subjetividade ou realidade), o espírito humano seria uma contínua síntese entre o universal e o particular, entre infinito e finito, entre o eterno e o temporal, entre o possível e o realizado. (Notas do autor)

  • arrival.png
    ARRIVAL - A CHEGADA DA TRANSCEDÊNCIA

    A transcendência é ultra passamento de um limite. A existência é finitude, porque a vida é pouca, é limite. É um constitutivo da vida. O homem tem sede de infinito e quer transgredir. Assim aconteceu na historia de Adão e Eva, ao comer a maça. Um simbolismo dessa transgressão foi comer do fruto do conhecimento. Caímos em pecado e até hoje nos sentimos culpados. Essa culpa é inconsciente. Fomos castrados, em prol da civilização para nos lembrar de que não podemos tudo. Hoje vivemos em uma era que tudo está vindo à tona, exemplo: “O presidente deve tomar uma decisão de transcendência para o futuro do país”. A um nível filosófico, a transcendência está relacionada com aquilo que está mais além do mundo natural. O transcendente está associado ao imortal e ao essencial. Transcender é sobressair, alcançar de uma maneira ou de outra algo que está fora dos limites que impõe o corpo.