de dentro pra fora

De um coração para o mundo

Lorena Barros

Estudante de jornalismo e escritora desde o momento em que descobriu o ABC. Apaixonada por viagens, leva consigo para todos os lugares apenas a paz na mente e o amor no coração.

A história das Pin-Ups: da sensualidade à inocência

Muito já se viu e ouviu falar sobre as famosas pin-ups, porém, pouco se sabe a respeito, de onde elas vieram ou por quem essas travessas e sensuais mulheres foram criadas


As “penduradas” - ou mais conhecidas como “pin-ups”, expressão vinda do verbo pendurar, em inglês. Tiveram suas primeiras aparições por volta dos anos 1890. Tendo, como seus principais criadores: O peruano Alberto Vargas, o qual praticamente criou o conceito de “pin up”, e que ficou muito conhecido por suas várias ilustrações exóticas do nudez feminino. Vargas também teve suas ilustrações conhecidas como um símbolo americano e de consolo e até mesmo estimulo para os soldados norte-americanos durante a segunda guerra mundial, tornando-se um dos principais ilustradores da famosa revista masculina PlayBoy. George Petty, criou uma série de desenhos para a Esquire conhecida como “The Pitty Girls”, tendo suas garotas famosas por estamparem os aviões de combate da Força Aérea norte-americana, se tornando um dos grandes destaques do movimento. O também famoso Gil Elvgren, foi alvo de críticas por ter sido taxado como um artista comercial, porém, foi exatamente isso que o fez famoso, tendo seus desenhos estampados em produtos da Coca-Cola, General Electric e a respeitada revista Cosmopolitan, entre outras tantas marcas famosas. Pinup008.jpg

Foi no período da segunda guerra mundial (1939 - 1941) que as Pin-Ups ganharam sua popularidade. Por intermédio do exército americano, fotos e pinturas de pin-ups eram entregues a milhares de soltados estadunidenses que lutavam na guerra, os quais as penduravam em seus armários para que se lembrassem dos prazeres da pátria que haviam deixado para trás, e assim, lutarem mais bravamente, ansiando a volta para sua terra natal.

Sendo sempre travessas e desastradas, as pin ups eram fotografadas e pintadas em cenas do cotidiano. Com suas pernas levantadas e bumbuns empinados, seus vestido eram “acidentalmente” erguidos, mantendo em seus rostos uma expressão de surpresa, mas sempre com poses de quem estava sendo observada – o que de fatos, irresistivelmente, sempre eram. Em seu figurino, usavam lenços no pescoço ou no cabelo, com franjas frequentemente aprumadas para o alto, caracterizando o estilo de cabelo da época. Costumavam usar salto alto e batons de cores vivas, mesmo quando estavam em figurinos de praia ou fazendo algum tipo de serviço doméstico. tumblr_l54ye3wdQi1qc9cpy.jpg

Vulgares para a época, porém inocentes em seu olhar, as Pin-Ups chamaram atenção por seu pequeno volume de roupas e grande quantidade de curvas e sensualidade, destacando sempre em suas faces um tom brincalhão e sorridente, abrilhantando os quartéis e oficinas de mecânico das décadas de 40 e 50, sendo invejadas pelas típicas mulheres donas de casa e endeusadas pelos homens, os quais viam nelas seu esteriótipo de mulher ideal: sexy, simpática e bem-humoradas. DATE 1956 NOTES Ridgid Tool Company calendar George Petty (1894 - 1975).jpg

No cinema, apesar de muitos se lembrarem da lendária Marilyn Monroe e de seu principal papel em “O pecado mora ao lado” - comédia romântica de 1955 – em que seu vestido branco é levantado pela tubulação de ar do metrô de Nova York, a atriz que melhor encarnou e se destacou na época como Pin-Up, foi Bettie Page. Considerada como a “Pin Up Queen” (rainha das Pin-Ups), Page não foi apenas a modelo mais fotografada dos anos 50 e nem somente a que mais apareceu em produtos industrializados, mas, também, se tornou o maior ícone do movimento e foi a primeira a produzir um calendário feito com fotos nesse estilo.

Mesmo tendo sido um tanto “vulgares” para a épocas, atualmente são símbolos de elegância, por possuírem um estilo e um ar retro, caracterizando o famoso vintage. Hoje, elas continuam fazendo seu papel de decoração, porém, não apenas em oficinas mecânicas, mas também em bares, restaurantes, salões de beleza e em vários outros lugares que queiram retratar o ar dos anos 40 e 50. Mas, dessa vez, são também admiradas pelas mulheres e não apenas pelos homens, não deixando de gerar fortunas no comércio, visto que o estilo “vintage” está em alta e onde o ”ser antigo” passou a ser fashion. Influenciando várias marcas a produzirem roupas e acessórios com estampas de bolinhas e coz alto, mas com cortes e costuras um pouco mais modernas para se adequar ao estilo de vida das mulheres do século XXI. katy-perry-pin-up.jpg

Cantoras famosas também passaram a se inspirar nesse famoso estilo, usando laços, shorts, blusas e até mesmo deixando suas lingeries a mostra, o que por sinal, também é uma grande característica do movimento. Grandes exemplos e ícones da música norte-americana aderiram a esse estilo, como por exemplo: as famosas e ousadas Katy Parry, Amy Winehouse e a fabulosa Madona.


Lorena Barros

Estudante de jornalismo e escritora desde o momento em que descobriu o ABC. Apaixonada por viagens, leva consigo para todos os lugares apenas a paz na mente e o amor no coração..
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do autor do artigo sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
version 5/s/artes e ideias// @destaque, @hplounge, @hp, @obvious, @obvioushp, @obvious_escolha_editor //Lorena Barros