de dentro pra fora

De um coração para o mundo

Lorena Barros

Estudante de jornalismo e escritora desde o momento em que descobriu o ABC. Apaixonada por viagens, leva consigo para todos os lugares apenas a paz na mente e o amor no coração.

Ninguém precisa te ver

"Mas ai eu parei para pensar: E se esse tal de ninguém me observasse?..."


Queria entender para onde foi o meu amor. Para onde foi a minha alegria e minha vontade de viver a vida. Não é como se eu ainda estivesse depressiva – não tenho mais tempo nem força para isso. É que pra falar a verdade, nos últimos dias eu só tenho respirado. Ultimamente não tenho demonstrado minhas expressões em público. Não sorrio tanto, e quando grande é meu sorriso, tento disfarça-lo. Só danço se for no escuro – e só se for no meio de muita gente – e só pulo se ninguém estiver olhando. Mas ai eu parei para pensar: E se esse tal de ninguém me observasse? Bem que esse ninguém poderia ser uma pessoa, assim, ninguém me abraçaria, me beijaria, me amaria, ninguém sorriria sempre pra mim, me ligaria, me mandaria flores pela manhã e mensagens na madrugada.

ruiva-de-olho-azul.jpg

Ninguém me faria cafuné, e teria paciência dobrada comigo pelo menos 7 dias no mês - aqueles dias. Eu e ninguém sairíamos a noite, ele me buscaria em casa e me cumprimentaria com um beijo na testa. Ninguém seria muito compreensível. Ah, ninguém… gostaria que você fosse alguém. Não sei quem, mas alguém. Alguém amigo, fiel, temente. Alguém que me traria de volta a alegria e o brilho dos meus olhos. Faz tanto tempo que eles estão foscos, nunca mais eu os vi faiscar, eles tem se diluído na escuridão dessa vida. E, eu tenho tido medo de me acostumar a ficar assim: tanto tempo só. E, sabe, isso não é bom… As vezes sinto falta de calor humano, de uma voz amiga, de uma vida para ser sentida.

Quando foi que apagaram a luz? Será que foi quando eu pisquei? E que piscada foi essa, que de repente as cores mudaram de lugar? Tudo ficou mais escuro, porém, ao mesmo tempo as coisas ficaram mais nítidas. Será que na verdade colocaram óculos em mim?

Se a vida for mesmo desse jeito, por favor, me deem tintas e pincéis, quero colori-la. Quero por verde no gramado, azul no céu, amarelo no sol, rosa no meu batom e vermelho no meu coração. Em meus olhos quero glitter, muito glitter. Quero que eles brilhem como estrelas. Mas não como as cadentes, o brilho dessas, logo passa.

Vamos tirar o embaçado da fumaça e o preto da poluição, quero laranja no meu esmalte e lilás nas bolhas de sabão. Vou pintar as nuvens de branco. Hoje, não haverá tempo ruim! O céu também estará brilhando, as areias da praia por onde meus pés desnudos vão passar, serão bege, mas, também serão cheias de conchinhas coloridas.

E, quanto a você, meu bem, pensando melhor, acho que preciso exatamente de ninguém para ser feliz. Primeiro serei sozinha. Enquanto eu for vivendo e não apenas respirando, talvez você vá me conquistando e me roubando sorrisos e olhares. Se tudo isso você conseguir tirar de mim, aceito ser sua refém. Mas, tome cuidado. Eu posso desejar que ninguém pague por meu resgate.


Lorena Barros

Estudante de jornalismo e escritora desde o momento em que descobriu o ABC. Apaixonada por viagens, leva consigo para todos os lugares apenas a paz na mente e o amor no coração..
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do autor do artigo sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
version 1/s/recortes// //Lorena Barros