de dentro pra fora

De um coração para o mundo

Lorena Barros

Estudante de jornalismo e escritora desde o momento em que descobriu o ABC. Apaixonada por viagens, leva consigo para todos os lugares apenas a paz na mente e o amor no coração.

lorenabarros

Lorena Barros

Quem sou eu?

Bom...

Essa é uma boa pergunta. Porém, nunca sei respondê-la. Então decidi começar dizendo o que não sou. Quem sabe assim você entenderá algo sobre mim, e eu sobre mim mesma.

Não sou a mais inteligente, não sou a mais bonita, mas sei também que não sou a mais desprovida de beleza intelectual ou física. E falando em física, odeio matemática! Não “sou brasileira com muito orgulho, com muito amor” mas não curto a ideia de falarem mal do meu país! Nem sempre sou simpática, e não é porque eu sorrio que estou feliz, mas também não é porque choro que estou triste. As vezes, quando bocejo, cai uma lágrima.

Adoro viajar, mas amo quando chego em casa e durmo na minha cama. Também amo o frio, mas não trocaria meu nordeste por outro lugar. Eu nem vou muito à praia – se você olhar a cor das minhas pernas você vai perceber isso – mas amo o mar, o sol, a areia e principalmente a brisa. Uhum, a brisa. Brisa que bagunça meus cabelos e faz nós como os de marinheiro. E falando no meu cabelo… gosto dele. Hoje ele é longo, castanho escuro e levemente repicado, mas talvez amanhã ele seja curtinho, loiro e raspado do lado – okay, a parte do “raspado do lado” é mentira, até porque já saiu de moda. E falando em moda, não ligo muito pra ela. Claro, não sou daquelas loucas, radicais e amarguradas com a vida, que não usam nada do que for tendência. As vezes eu uso uma coisinha aqui, outra ali, mas só o que me deixa confortável. Tá ai uma coisa que eu prezo: conforto!

E falando em conforto, gosto de colo… Acho que é por isso que sou manhosa. Minha avó me disse que quando eu tinha mais ou menos um ano de idade tive dengue. Daí eu fiquei “dengosa”. Mas dengo é bom kkk principalmente quando a gente tem alguém. Só que eu também gosto de um xodó, de mimar.

Lendo e relendo esse meu “quem sou eu” lembro-me da minha professora de redação, e vejo que ela tem razão quando diz que tenho um sério problema de coesão. É que eu escrevo o que penso, e meus pensamento são sempre assim: um se ligando ao outro. Tem hora que paro de pensar e tento me lembrar como cheguei naquele último pensamento. Okay, eu sou meio estranha. Mas parafraseando um pouco nosso querido Machado de Assis, acho que de médico, de louco e de estranho todo mundo tem um pouco. E por falar em “ser médico”, lá vai minha dica: beba chá. E por falar em ser louco… Bom, leia meu blog!

Últimos artigos publicados