decifrando

Bem-vinda, literatura

Francine S. C. Camargo

Escritora desde os primórdios, médica há 11 anos, começou a experimentar a exposição de seu abecedário há cerca de um ano, com a obra "Mãos Livres" e, mais recentemente, do conto em eBook "Vim perguntar o que faço de mim. É autora do blog Papo de Fran.

Procura-se a verdade

Sobre os extensos e inoportunos caminhos percorridos em busca da verdade. Com quantas encruzilhadas é possível deparar-se?


monks-1077839_960_720.jpg

Procura-se o caminho da verdade, mas ninguém sabe dizer ao certo se ele representa uma curva ou uma linha reta. Muitos acreditam que é necessário atravessar uma ponte, passar por um túnel, descer a serra, seguir sempre na mesma direção. Mas, no meio do caminho, há sempre um falso informante que sugere um atalho para se chegar até ela de forma mais rápida e o resultado disso é que, ao findar a viagem, nada se encontra, a não ser uma extensa rua sem saída.

Não é possível viver em sociedade estando alheio aos acontecimentos exteriores. Pelo fato de os homens serem diferentes entre si, haverá também formas opostas de analisar e expor opiniões, o que gera dúvidas a respeito do real e imaginário. E isso acontece com tanta frequência, que não existe mais compromisso em se relatar os fatos, tais como eles são ou ocorreram, mas sim, como eles poderiam ter sido.

Poder-se-ia dizer, então, que essa reciclagem da verdade é prejudicial ao público que a absorve, uma vez que funciona como um instrumento de alienação. Acontece que é absurdamente comum a preferência pela incoerência narrativa ou desonestidade/exagero dos acontecimentos. A satisfação reside no afastamento da rotina, na evasão da realidade, naquilo que não é normal à vida coletiva.

crossroads-1580168_960_720.jpg

A ausência do questionamento sobre a veracidade daquilo que se ouve, lê ou a que se assiste é interessante para aqueles que contribuem para a formação de opinião pública. Romper com a verdade ou distorcê-la, dando-lhe um aspecto fantasioso e sensacionalista é uma estratégia lucrativa, chamativa e atrai seguidores. E, enquanto der certo, muitos se perguntam ‘por que não’?

Em meio a tantos desvios, a verdade torna-se um conceito relativo: depende de quem a compartilha, depende de quem a enxerga. A retórica da “quase verdade” é de fácil contágio e depois de tantos atalhos, fica difícil achar o caminho de volta.


Francine S. C. Camargo

Escritora desde os primórdios, médica há 11 anos, começou a experimentar a exposição de seu abecedário há cerca de um ano, com a obra "Mãos Livres" e, mais recentemente, do conto em eBook "Vim perguntar o que faço de mim. É autora do blog Papo de Fran..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/sociedade// @obvious, @obvioushp //Francine S. C. Camargo