deletrear

Letra e sentimento

Tatiane Cris Nunes

Tatiane Cris Nunes é psicóloga, menina-mulher do interior de Minas que vive um romance com Beagá. Neta de avô contador de histórias, fez curso de oratória (mas deixou-se seduzir pela "escutatória").
Uma apaixonada por café, vinho e flor.
Costuma abusar do direito de ir e vir, só para sentir liberdade.
Ariana, logo destemida e dona de um belo topete, mas tudo isso adoçado com açúcar. Escreve para não desaparecer

Travessias, velhos e mares

Há um rio no meio do sertão para cada pessoa. Uma jangada para zarpar em meio ao mar aberto. Travessias.


skin-3358873_1920.jpg

No livro sobre tudo, tudo é travessia: o rio, em que se mira um ponto e se chega em outro, pois o rio tem vida - a correnteza; o sertão escuro, quente, perigoso, pois o sertão é o impossível. “Viver é muito perigoso”. E o perigo existe porque a travessia é cega.

Para cada um, um rio diferente no meio do sertão. Impossível dividir ou compartilhar, porque toda caminhada é um solo de instrumento, quando cessa todo o som ao redor. A “caminhadura" de Gil.

E embora seja possível fingir que apenas se está de passagem pela vida, em alguma parte do caminho há o imprevisto à espreita, para tentar nos fazer ver que é preciso pisar sobre as pedras do caminho.

E, com isto, estampa-se um início de lição dos livros sobre os homens e seus destinos, entende-se “o que a vida quer da gente": a coragem de Riobaldo, de Santiago na pequena embarcação no mar aberto de Cuba.

Em algum momento será exigido que retiremos do fundo a força que mal sabíamos ser possível, as habilidades que calamos por preguiça ou modéstia, a inteligência pouco exercitada, a resiliência que só de assalto se manifesta.

book-863418_1920.jpg

Nas metáforas absolutas que os livros são capazes de trazer estão escritos os maiores feitos humanos. E não se trata dos livros sobre heróis de guerras ou deuses, mas daqueles em que o homem está diante da fome, da sede, do medo, do impossível do amor, do maior peixe já visto, da sua idade avançada, dos limites de sua força física, diante do mau tempo, do escuro da vida. Esta, a única batalha necessária e inevitável e bem-vinda: o homem e ele próprio.

Em algum momento de cada jornada individual será possível ao homem encontrar-se com o melhor se si, no meio de um rio dentro do sertão, no meio do mar aberto, em que tudo o mais que existe, existe, primordialmente, para a sua vitória sobre si.


Tatiane Cris Nunes

Tatiane Cris Nunes é psicóloga, menina-mulher do interior de Minas que vive um romance com Beagá. Neta de avô contador de histórias, fez curso de oratória (mas deixou-se seduzir pela "escutatória"). Uma apaixonada por café, vinho e flor. Costuma abusar do direito de ir e vir, só para sentir liberdade. Ariana, logo destemida e dona de um belo topete, mas tudo isso adoçado com açúcar. Escreve para não desaparecer.
Saiba como escrever na obvious.
version 3/s/literatura// @obvious, @obvioushp, @obvious_escolha_editor //Tatiane Cris Nunes