desnudo

Porque a vida é um eterno desnudar e desnudar-se

Anne Brito

Eu penso que as palavras nunca alcançam quando o que há de dizer transborda a mente, os sentidos e a alma. Mas aqui estou eu, tentando. Desnudando e desnudando-me

AS GAROTAS OTIMISTAS

Até as meninas mais otimistas precisam bater a cara na parede. Não para que elas mudem, mas para que cresçam. Parte de ser quem você é pode ser uma marca registrada... a minha com certeza é ser uma garota otimista. Não é vulgar, não é barato e muito menos ridículo porque a vida não é uma ordem e ela possui, SIM, muita mistificação.


Imagen Thumbnail para romantica.jpg

Sem sombra de dúvidas, meu poeta favorito é Carlos Drummond de Andrade. Posso dizer que nossa conexão é muito forte, tanto que parto de sua obra para definir minha vida nesse exato momento:

Chega um tempo em que não se diz mais: meu DEUS.

Tempo de absoluta depuração.

Tempo em que não se diz mais: meu amor.

Porque o amor resultou inútil.

E os olhos não choram.

E as mãos tecem apenas o rude trabalho.

E o coração está seco.

(OS OMBROS SUPORTAM O MUNDO)

Acho que uma das coisas mais frustrantes da vida são as desilusões, sério. Nós passamos uma vida inteira com nossas convicções para chegarmos a um ponto onde tudo será desconstruído. Onde nossas expectativas não serão atendidas e nossas verdades não serão tão verdades assim.

Eu não sei, talvez tenha assistido a muitos filmes com finais felizes, que comecei a acreditar que final feliz acontecia sempre. Todo final deveria ser feliz. Por que não? Também sempre acreditei que amor era suficiente e que quem não poderia se render diante do amor? Sim, eu sou muito clichê e muito romântica. Mas o que é que tem? Acho que a vida já está muito cheia de ácidos e realismos para que eu seja mais um.

Contudo, até as meninas mais otimistas precisam bater a cara na parede. Não para que elas mudem, mas para que cresçam. Viver me ensinou que eu não vou ter sempre finais felizes, ao contrário, muitos finais vão me fazer chorar amargamente e ficar extremamente infeliz. Assim como, o amor pode resultar inútil. Pode sim! Nem sempre o amor que você oferecer, por mais forte e bonito que seja, vai ser suficiente para concertar coisas ou para manter alguém.

Nós temos corpos, mentes, corações e espíritos completamente diferentes. A gente não pode acreditar que todos serão iguais a nós, não é mesmo? Eu não vou dizer que é a coisa mais fantástica do mundo quebrar a cara, mas com certeza isso não significa que precisemos mudar alguma coisa em nós ou que devemos deixar de acreditar que em algum momento as coisas vão funcionar como acreditamos que elas deveriam funcionar.

Carlos-Drummond.jpg

É aí que entra o trecho de Drummond e não estou oferecendo nenhuma crítica (nós estamos em contextos diferentes)... longe disso. Só queria dizer que não precisamos entrar em absoluta depuração, os olhos podem chorar, as mãos podem tecer mais do que apenas o rude trabalho e o coração não precisa estar seco. Nós deveríamos entender que aprender algo é completamente diferente de se desconstruir para nós mesmos e para o mundo ou de achar que o motivo pelo qual eu acredito em algo precisa morrer ao primeiro coração partido.

Parte de ser quem você é pode ser uma marca registrada... a minha com certeza é ser uma garota otimista. No final, nós ainda devemos continuar acreditando em finais felizes ou nos grandes amores. Não é vulgar, não é barato e muito menos ridículo porque a vida não é uma ordem e ela possui, SIM, muita mistificação.


Anne Brito

Eu penso que as palavras nunca alcançam quando o que há de dizer transborda a mente, os sentidos e a alma. Mas aqui estou eu, tentando. Desnudando e desnudando-me.
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/recortes// @obvious //Anne Brito