devaneios em catarse

estupidamente superlativo

Maikey Oliveira

Apenas mais um Zé sonhador que gosta de se divertir com as palavras ao mesmo tempo que as leva a sério demais.

precisamos falar sobre o aborto

quando desejo que minha verdade seja a verdade do outro


Quando decidimos tratar sobre o aborto temos que, em primeiro momento, concordar que falamos, antes, de uma mulher que tem uma história de vida, uma condição subjetiva única, uma experiência vivenciada, um emocional e psicológico único, pensamento próprio e uma série de outras coisas que não conseguimos saber sobre outro ser humano, correto? Principalmente se essa mulher é um ser de direitos que não podem ser tirados dela (mesmo se consideramos um feto como ser humano - e um ser humano de direitos).

gregorio4.jpg

A partir do momento que se adota uma postura de militância contra o aborto dessa mesma mulher estamos dizendo para ela: "Ora, mulher, eu, que não sei absolutamente nada sobre você e que não quero saber porque isso não é problema meu, porém, quero dizer o que deves fazer da sua vida e ai de você se não seguir o que eu te falo, mulher".

Quando falamos que somos a favor que essa mulher faça aborto, não estamos apoiando o assassinato de criancinhas; longe disso. Estamos dizendo: "Certo, eu, que não sei nada da sua vida, apesar de possuir minha opinião afetiva/religiosa/pessoal sobre o aborto, acho que é direito seu fazer um aborto em condições médicas que a protejam e a previnam do risco de morte".

Aborto não é questão de opinião, é uma questão de saúde pública e deve ser tratado como tal.


Maikey Oliveira

Apenas mais um Zé sonhador que gosta de se divertir com as palavras ao mesmo tempo que as leva a sério demais..
Saiba como escrever na obvious.
version 6/s/sociedade// @obvious, @obvioushp //Maikey Oliveira