Susiane Canal

Uma incorrigível sonhadora que, ao perder-se nas palavras, busca encontrar um sentido para sua existência.

CASAMENTO

A realização do casamento, ou a simples "junção de trapos", constitui um ritual de passagem na vida das pessoas, pois, enfim, se começará a nova fase que tanto se aguardou e idealizou. Todavia, muitos são pegos de surpresa, uma vez que a realidade nua e crua mostra ser necessário muito mais que amor e boa vontade para que a relação continue dando certo. O casamento requer jogo de cintura constante, dedicação intensa e reinvenção. Nem todos dão conta.


casamento-feliz-como-ter-casamento-feliz.jpg

Tão desejado, tão idealizado, tão sublime

Mas também tão complexo, tão nebuloso e, até mesmo, tão difícil

O casamento

Esperamos tanto para chegar a nossa hora

Sonhamos, divagamos, arquitetamos

Até que o momento nostálgico acontece

E daí, vem o “depois”

E percebemos que, então, vira quase que um “negócio”

Sim, o casamento necessita ser administrado!

São tantas as dicas, espalhadas quase como se fossem regras contra sua falência: “não deixe cair na rotina”, “surpreenda seu amado”, “não controle a vida dele”, “não demonstre ciúmes”, “mas não seja um capacho”, “mulheres boazinhas são desinteressantes”, e por aí vai...

É um tanto complexo...

Enfim, você vive com que você ama. Não teria chegado, então, o momento do “felizes para sempre”?!

Ora, ninguém avisa que o relacionamento passa a exigir ainda mais cuidados e jogo de cintura, agora com as novas circunstâncias

Que se bagunça os neurônios pensando em soluções para problemas às vezes imaginários, às vezes não

Talvez decorrentes da TPM, talvez a ponta de um iceberg

Às vezes chega a dar vontade de dizer: tá bom, chega dessa brincadeira!

Ora: nos amamos, combinamos, casamos, temos o que precisamos. Por que tanta encucação?

É o medo: da certeza que não existe, da instabilidade que é real, do amanhã que é duvidoso, do amor que sempre é indefinível e às vezes prega as suas peças

E, além de tudo, tantos já testemunharam, após sentir na pele: o amor, por si só, não basta. Há uma gama de outros sentimentos e ações que devem ser muito bem dosados para que uma união dê certo

E tudo isso porque não nos contentamos com uma relação mais ou menos, um entusiasmo mais ou menos, um carinho mais ou menos... ou seja, um casamento que acaba por restar mais nas aparências, para si e para os outros, nas formalidades de um cotidiano que é vivido como se tudo estivesse bem, mas que não está no interior dos envolvidos. Como tantos que vemos ao nosso redor.

Por não ter manual de instrução e por cada casamento ser único, a dica universal talvez seja DEDICAÇÃO.

Se importar verdadeiramente, investir tempo e energia, buscar entender o que está acontecendo e sempre melhorar.

Não se acomodar, não deixar passar batido, não deixar para amanhã.

Já pode ser um bom começo...

Sem título.jpg


Susiane Canal

Uma incorrigível sonhadora que, ao perder-se nas palavras, busca encontrar um sentido para sua existência..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/sociedade// @destaque, @obvious //Susiane Canal