do ser

as reflexões que nos levam a construir nossas vidas

Victor Oliveira

Formando em Direito na Universidade Estadual do Rio Grande do Norte. Assíduo leitor sobre o que a filosofia pode corroborar com a formação do ser. Orientação política à esquerda.

A falida sociedade individual

Nos adaptamos a viver cada vez mais presos as nossas bolhas. Estamos perdendo aos poucos a sensibilidade e o poder de perceber as necessidades do próximo, tornando nossa sociedade mais individual e desarmoniosa.


1.jpg

O pensamento liberal que legitimou a burguesia no poder carrega em si valores positivos para a garantia das liberdades individuais, que são tuteladas constitucionalmente no Mundo Ocidental. Além disso, o individualismo pregado pelo pensamento contemporâneo se fez necessário para o desenvolvimento de políticas e direitos sociais aos grupos minoritários. A ideologia de preservação a individualidade do ser permite que se crie uma consciência de respeito ao diferente, a opção e o pensamento do outro, e nada mais moderno do que uma sociedade que vai se livrando das amarras de um pensamento conservador preconceituoso, e isso é muito benéfico.

O pensamento liberal-burguês se contrapõe ao pensamento social da Pólis na Grécia Antiga. Vemos que para o pensamento moderno o homem é praticamente inerente ao meio social, não há essa identidade coletiva que era apresentada na Grécia Antiga (embora o reconhecimento de cidadão fosse algo bem restrito), por exemplo, e isso naturalmente enfraquece a coesão social.

Trazendo para os dias atuais, como produto desse individualismo, é criado naturalmente um culto ao ego e isso é danoso para qualquer indivíduo social, pois ao vivermos em sociedade é necessário que tenhamos plena capacidade de sentir as necessidades do outro a fim de harmonizá-las. Notamos cada vez mais um descaso para com a situação do próximo, fazemos vista grossa para mazelas e injustiças sociais que ocorrem ao nosso lado, e até mesmo quando sentimos a angústia do próximo, colocamos logo na cabeça que nada podemos fazer ou que a culpa é do Estado, nos causando um sentimento de impotência que nos leva a um conformismo.

2.jpg

Aos poucos se tornam perceptíveis os problemas sociais que são gerados pelo capitalismo, que atinge a todos, desde os mais pobres aos mais abastados. A burguesia, não obstante, criou uma cultura consumista. Desde a infância notamos que somos criados no terrível hábito do consumo, e isso faz com que muitas crianças considerem que o valor de cada pessoa corresponde aos brinquedos que elas dispõem, por exemplo. Quem nunca se prestou quando criança a ir à casa de um menino chato, só porque ele tinha um play 2, ao invés de brincar na rua com aquele seu amigo? Esse é um exemplo bem pueril dos relacionamentos líquidos, como já dizia Bauman.

Principalmente em grandes cidades podemos perceber cada vez mais e mais casos de depressão, vivemos constantemente em busca de algo que se mostra inalcançável, um conforto uma paz interior que o sistema que nós vivemos de competição não permite alcançar a essa segurança. Já notaram que dificilmente um jovem consegue ficar de boas sem ter que tá mexendo em um celular, ou pisando freneticamente no chão? Isso são amostras de uma sociedade doente, falida. O dinamismo do mundo moderno dificilmente nos permite obter um estado de espírito retilíneo, sem grandes oscilações. Notamos também, uma sociedade cada vez mais carente de amor, o lance é se envolver e não sair magoado. Quem diz "eu te amo" primeiro é o que demonstra mais fraqueza, na mente de alguns. Somos individualistas até em um sentimento que era pra ser voluntário, sem segundas intenções.

Outro ponto passível de crítica é a perca da identidade da família. As famílias estão enfraquecidas em despeito ao individualismo, elas estão cada vez menores e menos unidas, isso é preocupante, pois a base de uma sociedade é a família e ela é a nossa primeira escola, além disso, é o que nos dá um conforto interior, uma segurança (considero qualquer modelo de família, não há restrições para isso). Essa ideia está tão disseminada na cabeça de alguns que é normal escutarmos frases do tipo "Só se alcança a verdadeira felicidade quando você se liberta de todos os tipos de amarras, inclusive as da família". Felicidade é algo subjetivo, não cabe ao outro julgar, mas a questão é que a vida é cheia de altos e baixos, por isso precisamos de um conforto que dificilmente encontraremos apenas em nós mesmos.


Victor Oliveira

Formando em Direito na Universidade Estadual do Rio Grande do Norte. Assíduo leitor sobre o que a filosofia pode corroborar com a formação do ser. Orientação política à esquerda..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/sociedade// @destaque, @obvious //Victor Oliveira