do ser

as reflexões que nos levam a construir nossas vidas

Victor Oliveira

Formando em Direito na Universidade Estadual do Rio Grande do Norte. Assíduo leitor sobre o que a filosofia pode corroborar com a formação do ser. Orientação política à esquerda.

A inveja e a vaidade matam!

Muito além do que a cultura popular tem nos passado, a inveja e a vaidade não são apenas uma insatisfação pessoal, mas sim uma visão de mundo que cria um sentimento que adoece o indivíduo e a sociedade, tendo raízes profundas que são extensamente analisadas pela filosofia e religião.


Recalque é um termo da psicologia que explica uma defesa do inconsciente que afasta do consciente ideias que são penosas ou perigosas. Ao contrário do que muitos pensaram, esse artigo não tratará desse termo que virou uma espécie de gíria na sociedade contemporânea, mas sim trazer uma abordagem religiosa-filosófica sobre a influência da inveja e da vaidade no indivíduo.

Do ponto de vista da tradição cristã, tanto a vaidade, como a inveja são consideradas pecados capitais. Para darmos importância a tal afirmação, é necessário antes de tudo que entendamos o pecado capital como uma classificação da filosofia cristã dos vícios mais graves da humanidade, uma vez que assim como a vingança, "mata" a alma e a envenena (alguém mais leu com a voz do Seu Madruga?). Tal classificação, fora utilizada pela Igreja Católica para educar seus fiéis em relação aos Dez Mandamentos.

O pecado capital é considerado o pecado-raiz de outros pecados, ou seja, ele não exaure em si mesmo, configuram-se como o pai de outros vícios que acontecem em virtude deles. Por exemplo, um homicídio não é considerado um pecado capital, pois ao contrário, deriva justamente de outros pecados capitais a depender da particularidade do caso, a exemplo da ira, vaidade, inveja ou da avareza.

Além disso, podemos observar também, que os pecados capitais não causam só prejuízos a terceiros, mas também a nós mesmos. A gula por exemplo, a primeira vista parece não fazer sentido ser considerado um pecado, mas podemos ver que o desequilíbrio na alimentação acarreta diversas doenças. Aqui vai um exercício: tente isso com os demais pecados (preguiça, inveja, vaidade, ira, luxúria e avareza).

Em muitas letras do grupo de rap Racionais, vemos a temática da inveja/vaidade ser abordada, pois é um sentimento quase inevitável ao falarmos de status, poder, luxo e dinheiro. Deixo aqui um trecho da música “Vida Loka pt. 01”:

"Mas na rua não é não!

Até Jack! Tem quem passe um pano

Impostor, pé de breque, passa por malandro

A inveja existe e a cada 10, 5 é na maldade

A mãe dos pecado capital é a vaidade

Mas se é pra resolver, se envolver, vai meu nome, eu vô

Fazer o que se cadeia é pra homem?"

racionais-2.jpg

Fazendo um paralelo do rap a Divina Comédia de Dante Alighiere, vemos a partir da frase da música “Vida Loka pt. 01” que a visão reproduzida pela Divina Comédia, formulou e continua formulando a compreensão de inferno da sociedade. Para quem não se aprofundou ainda nessa ‘divina’ obra, o Inferno é dividido nove círculos de sofrimento dentro da Terra, de acordo com o grau de gravidade de cada pecado, começando no primeiro círculo com os “pagãos virtuosos”, que eram aqueles que apesar de não terem nenhum pecado capital, iam para o Inferno por não serem batizados, sendo, portanto, condenados a vagar eternamente no “Limbo” (floresta escura em total escuridão, que representa a ausência do Deus cristão em suas vidas).

O último círculo é o da traição e é onde também reside Lúcifer, e diferente do que muitos acreditam é um lugar extremamente gelado. O pior dos pecados capitais é considerado a vaidade, pois foi o pecado praticado pelo próprio Lúcifer que o fez ser expulso do céu pelo Arcanjo Miguel. Lúcifer era um anjo que impressionava por sua beleza e inteligência, tendo o defeito de ser terrivelmente vaidoso, por isso achava-se igual ou superior a Deus, chegando a convencer a alguns anjos a traírem Deus, por isso, o último círculo é representado pelos traidores.

Dante e Virgílio no Inferno (Bouguereau).jpg Dante e Virgílio no Inferno (Bouguereau)

Portanto, cabe a nós fugirmos desse mal sentimento e para isso se faz necessário o desenvolvimento do autoconhecimento, pois ficou claro que a inveja e a vaidade só trazem prejuízos ao indivíduo.


Victor Oliveira

Formando em Direito na Universidade Estadual do Rio Grande do Norte. Assíduo leitor sobre o que a filosofia pode corroborar com a formação do ser. Orientação política à esquerda..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/sociedade// @obvious, @obvioushp, @obvious_escolha_editor //Victor Oliveira