enviesado

Refletindo literatura, cinema e sociedade pelo lado direito e pelo avesso

Fabiana Pedrolo

Fabiana Pedrolo é paranaense, Mestranda em Letras e funcionária pública. Nas horas vagas gosta de ler, observar e analisar. Interessa-se por literatura, cinema e artes no geral.

A insustentável vida dos desenquadrados

Considerações sobre andorinhas e verões


Estas linhas são especialmente direcionadas a você, que em meio a tantas opções de programa prefere a silenciosa companhia de si mesmo ou de um livro. A você, o incompreendido, o isolado, o que enxerga a solidão como alento e não como castigo.

De todas as contribuições atribuídas ao Existencialismo, o individualismo atrelado à liberdade de escolher, certamente é uma das mais valiosas para quem vê a consciência individual de forma positiva e não como uma manifestação de egoísmo.

Gostaria de compreender a lógica de quem considera as pessoas introspectivas como egoístas quando, na verdade, a demonstração narcísica sempre se manifesta em multidões. Gostaria de entender o que faz com que a massa sempre considere o diferente como uma ameaça apenas por não querer compartilhar, sejam conversas, seja tempo, seja companhia.

bici.jpg

De uma maneira geral, as pessoas mostram-se sempre muito carentes de atenção, e não tê-la parece ser uma afronta. Ver outra pessoa independente dela também se torna estranho e é aí que os pobres mortais que só querem ficar um tempo sozinhos, seguir outro caminho, diferenciarem-se passam a sofrer julgamentos aleatórios e infundados. Uma vez me disseram que seria melhor se eu fosse metida, mas não, eu era indiferente. Nunca me esqueci desta observação, embora não concorde com ela. Gente, menos!

Libertemo-nos do mal de ir com a maré, deixemo-nos fluir com o que alimenta o espírito. Cada um sabe com o que alimentar a sua alma e entendamos que nem todos precisam de uma lanterna que lhes ilumine o caminho. Para estes o interessante é a descoberta, o desbravar e o sufocamento representaria o aniquilamento de ser verdadeiramente quem se é.

Se uma andorinha só não faz verão... bem, pelo menos ela pode fazer o que ela quiser.


Fabiana Pedrolo

Fabiana Pedrolo é paranaense, Mestranda em Letras e funcionária pública. Nas horas vagas gosta de ler, observar e analisar. Interessa-se por literatura, cinema e artes no geral. .
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/recortes// @obvious //Fabiana Pedrolo