epifania

Súbito entendimento ou compreensão de que os livros são parte do Ser

Gisele Bellucci

Cada livro conta uma história e cada história contém a magia certa para encantar as nossas vidas

Será que vale a pena?

Que não nos tornemos miseráveis de vida.


internet-bagimliligi-2.jpg

Vale a pena falar? Será que vale a pena falar mais uma vez das coisas que estão acontecendo ao redor do mundo todo, não só no Brasil? Definitivamente, eu espero que sim. Acredito que sempre valerá a pena dar a sua cara para bater, mesmo que doa, porque somente assim você saberá quem realmente é e se o que as pessoas acham de você é mesmo tão importante assim. Se você ficar escondido atrás do rótulo que colocaram na sua cara, não saberá nunca como é viver de verdade. Então vamos primeiro aos rótulos: se você é ateu, é de esquerda; se você é gay, é promíscuo; se é de direita, é reacionário; se fala o que pensa, deve ser julgado; se usa roupa sexy, é garota de programa; se está em algum lugar sozinha, é solteirona; se está andando a noite sozinha, merece ser estuprada, a lista é imensa, mas por aí vai… Cada escolha nossa implica em um tipo de julgamento, se merecemos ou não o que recebemos. Às vezes fico cansada de ver e ler tantos desses julgamentos no dia-a-dia nas redes sociais, tenho vontade de sumir de todas elas, mas no fundo sei que não adiantará muito, porque elas continuarão lá. Acho melhor enfrentá-las dizendo o que sinto em relação a tudo isso. Um boato, uma fofoca só podem (e devem) acabar “quando chegam aos ouvidos de pessoas inteligentes”, disse o poeta. E é isso mesmo. Se pretendemos viver em um mundo melhor, é importante começarmos a olhar para o nosso próprio umbigo primeiro.

vida virtual.jpg

Será que é necessário falar mais uma vez para checar a informação antes de repassá-la? Claro que é! Todos nós estamos sofrendo com isso. O vídeo que circulou sobre o Dr. Dráuzio Varella dizendo que fazer a mamografia dava câncer de tireóide, viralizou. Mas por quê? Porque gostamos da tragédia bem mais do que da verdade. Hoje tem dia temos todas as armas em nossas mãos para combater a ignorância de pessoas que acham que fazer vídeos como esse são “trolagens”. Mesmo depois de notícias mais sérias como essa, temos a disseminação e propagação da informação que um casal de jornalistas se separou, depois outra dizendo que voltaram, depois ainda a jornalista que assumiu ser gay depois de casar e ter um filho, depois de um ator que estava se drogando com travestis. Nossa! Quantas dessas informações diárias fazem diferença em nossas vidas? Por que estamos passando tanto tempo olhando para a tela dos nossos computadores, tablets e smartphones? Deve ser carência de alguma outra coisa, muito séria por sinal, mas que não estamos dando a devida atenção. Isso tudo acaba nos ´contaminando´ e nos enchendo de emoções que nem sabemos ao certo porque estamos sentindo. Eu, como uma recente atéia, percebo o quanto é difícil em se viver em um mundo que a maioria das pessoas acredita ser comandado por um Ser Supremo. Mas não fico batendo boca com ninguém nem muito menos tento convencer alguém de alguma coisa, mas mesmo quieta no meu canto, sou bombardeada por julgamentos de que todo ateu é de esquerda, como foi o caso do professor, que eu admiro muito, Leandro Karnal. Não estou dizendo que os ateus estão acima de ninguém, não estamos, apenas enxergamos a vida e o mundo de uma forma um pouco diferente e sem nenhum medo do que possa nos aguardar no além-túmulo: nada!

conectado.jpg

Vida só se tem uma, aproveite bem, pois não haverá segunda chance. Mas se você não acredita nisso, tudo bem, eu respeito você e podemos conviver numa boa. Claro que quando a maioria de nós nasceu, não existia internet nem as redes socias, estamos ainda aprendendo a lidar com tudo isso. Mas que aproveitemos o melhor lado de tudo: a informação. Mas não qualquer informação, mas sim aquela que seja verdadeira, que nos interesse, que nos emocione e nos torne cada vez melhor. E não piores a cada dia que nos mantemos conectados. Sua vida ainda está lá para ser vivida, só esperando você se desconectar um pouco. Não precisa se tornar um ermitão, apenas equilibre as coisas. Converse olhando nos olhos das pessoas que estão ao seu lado, dos seus filhos, amigos, dos seus pais. Por que no final, nada da vida virtual vai te ajudar a lidar com você mesmo diante da perda de alguém próximo ou na cama de um hospital. Se você se considera feliz mesmo, pare de postar suas `selfies`, ninguém precisa saber o quanto você é feliz, ou o contrário. Isso não fará diferença para você. Em um mundo que as pessoas brigam por causa de religião, política e futebol, fique com o que você tem de real: o respeito por você mesmo.

E para aqueles que acham que esse texto é um tapa na cara de muitos, devo alertá-los que quando um escritor escreve, ele escreve primeiramente para si mesmo, só assim consegue se ouvir. O que eu quero dizer é que esse texto me serve bem também e vou tentar aprender com ele.


Gisele Bellucci

Cada livro conta uma história e cada história contém a magia certa para encantar as nossas vidas.
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/sociedade// //Gisele Bellucci