Tainara Gomes

Sou o que costumo classificar como: pararelo entre a fantasia e a realidade.

Bodies: um aborto cantado pelo Sex Pistols

Em 1977 a banda inglesa de punk rock, Sex Pistols, lançava seu primeiro e único disco intitulado ''Never Mind the Bollocks’’, uma das faixas que compõe o álbum é a canção Bodies(Corpos), considerada umas das músicas mais conservadoras do gênero por ser classificada como ''anti-aborto’’, será mesmo?


sex pistols.jpg

Em 1977 a banda inglesa de punk rock, Sex Pistols, lançava seu primeiro e único disco intitulado ''Never Mind the Bollocks’’, uma das faixas que compõe o álbum é a canção Bodies(Corpos), considerada umas das músicas mais conservadoras do gênero por ser classificada como ''anti-aborto’’, será mesmo?

Bodies tem suas particularidades, é uma das duas músicas as quais não tem o dedo de Glen Matlock, baixista original do Sex Pistols(substituído pelo controverso Sid Vicious), além de ser a única música onde realmente Sid toca o baixo. A canção foi escrita pelo vocalista John Lydon, mais conhecido como Jonny Rotten. A música conta a história de Pauline, ela era da cidade de Birmmingham na Inglaterra. De acordo com Lydon, a moça tinha sido internada em uma instituição mental(hospital psiquiátrico), nessa instituição Pauline ocupava uma casa na árvore situada no jardim, nesse mesmo lugar a mesma foi estuprada por dois enfermeiros. Quando a mulher deixou a unidade resolveu migrar para Londres, onde conheceu o grupo e tornou-se fã. Aparentemente, toda a banda a conheceu mas Lydon foi o integrante ao qual ela mais se aproximou, contam que a moça apareceu em sua porta com um feto dentro de um saco plástico, essa experiência traumatizante o fez compor a música. Pauline, segundo ela mesma contara, já tinha engravidado muitas vezes e contava detalhadamente sobre seus abortos.

A verdade é que Bodies não é uma canção pró-vida, é um relato de um dos abortos de Pauline. John Lydon canta a agonia de uma mulher mentalmente instável, marcada por abusos sexuais e pelos abortos provocados durante sua vida. A interrupção da gestação é um procedimento doloroso, mesmo quando é feito dentro dos trâmites legais pode deixar sequelas psicológicas, ao que indica, a mulher realizou o procedimento dentro da ilegalidade, basta analisar a letra. Em um dos trechos da música está a frase: ''She don't wanna baby that looks like that’’(Ela não quer um bebê que se pareça com aquilo). Pode ser uma referência ao progenitor, passa a sensação que Pauline não queria um filho que parecesse com ele, seria uma gravidez oriunda de um estupro? Só Lydon ou a própria Pauline poderiam responder isso.

Bodies ocupa a 8º posição das "50 melhores músicas conservadoras" listadas pela revista National Review em 2006, equivocadamente. O movimento punk dentro da sua ideologia é totalmente oposto ao conservadorismo, uma banda que gritou ''God Save The Queen'' jamais poderia escrever uma letra pró-vida. Bodies não é um hino contra o aborto, é um relato sobre a dor de um. A canção manteve-se atual mesmo com o passar das décadas, ainda existirão muitas Paulines por aí.


Tainara Gomes

Sou o que costumo classificar como: pararelo entre a fantasia e a realidade..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/musica// //Tainara Gomes