Lucas B. Friedmann

‎"I want to stay as close to the border as I can without going over.
Out on the edge you see all kinds of things you can't see from the center." Kurt Vonnegut (1922-2007)

Eu escrevo porque (eu não entendo e nem sei como explicar) era
o que eu sempre quis fazer, mesmo antes de saber escrever

'matadouro cinco', de kurt vonnegut, chega aos 50 anos

O escritor e colunista do The New York Times, Kevin Powers, escreveu um artigo em lembrança dos cinquenta anos da publicação de Slaughterhouse Five (ou Matadouro Cinco, em português), de Kurt Vonnegut, no início de 1969. Nesse artigo ele comenta, baseado também em sua experiência militar, sobre a atualidade do texto de Vonnegut, mesmo cinquenta anos depois.


Em artigo no The New York Times, em 06 de março de 2019, Kevin Powers, com experiência militar no Iraque no início dos anos 2000, comenta que as lembranças dos fatos ocorridos em ação ficam marcadas para sempre na memória dos soldados. Os acontecimentos mais simples, alguns equívocos bizarros, a violência sem medida e gratuita, os inocentes que testemunham o cotidiano das ações militares e que pouco tem a ver diretamente como tudo aquilo, e assim por diante.

O autor então relembra uma espécie de jogo, um experimento mental, segundo o qual a pessoa atingida de algum modo, etica ou emocionalmente, por acontecimentos traumáticos, deve se distanciar desses acontecimentos até um ponto no qual consiga se ver a distância e avaliar esses acontecimentos para conseguir aliviar e atenuar o seu peso sobre a vida cotidiana. O objetivo é um tanto contraditório, já que se tenta justamente 'salvar' a nossa própria auto consciência humana.

Nesse artigo, o autor comenta que 'Matadouro Cinco' foi lançado por Kurt Vonnegut no início de 1969 e que parece ser um experimento mental no qual se exercita esse distanciamento de tantos acontecimentos terríveis ocorridos durante a Segunda Guerra Mundial. Kurt Vonnegut sobreviveu ao bombardeio da cidade de Dresden, na Alemanha, ocorrido quando o conflito já poderia ser considerado resolvido na Europa e portanto um bombardeio sem sentido.

Kurt Vonnegut nasceu em 1922, em Indianapolis, Estados Unidos, e faleceu em 2007, tendo publicado várias novelas a partir dos anos 50 mas tendo em Matadouro Cinco talvez sua obra prima. Ao longo de seus textos, entre novelas e não-ficção, ele construiu um estilo bastante próprio, com um certo humor negro misturado a uma visão satírica mas também bastante crítica da sociedade moderna, tratando de temas relacionados com guerras, com religião e com política.

22b21dace3382ee84740a465e521ae78.jpg Kurt Vonnegut e Pumpkin, durante os anos 90.

'Matadouro Cinco' conta a história de Billy Pilgrim, que testemunhou e vivenciou alguns dos horrores da Segunda Guerra Mundial e depois, entre outras experiências, foi abduzido por habitantes de um planeta chamado Tralfamadore. Pouco antes do conflito ele teria se "descolado" do tecido do espaço-tempo, ficando perdido entre vários momentos de sua vida. Uma alusão direta, obviamente, às conseqüências dos traumas provocados por um conflito armado.

Os tralfamadorianos, de um modo extraordinário, conseguiam ver em quatro dimensões e uma pessoa, por exemplo, pareceria uma centopéia, com pernas menores em uma extremidade e pernas maiores na outra, representando seus diferentes estágios de desenvolvimento ao longo da vida. Talvez um indicativo de que seria necessário integrar um mundo mais desenvolvido que o nosso para conseguir colocar ordem em tanta desordem que resta após um conflito armado.

Mas a mensagem final de 'Matadouro Cinco', quase como uma moral para essa história, se é que há alguma moral a ser identificada, é que nenhum lado foi melhor que o outro, vendo o conflito (como seria possível dizer?) de dentro de trincheiras do conflito. A personagem principal viu o modo como cada lado se portava e não percebeu diferenças. Um claro indicativo de que obviamente não há qualquer sentido na destruição provocada por qualquer conflito.

E há ainda um famoso trecho do livro que conta a história do conflito como se fosse um filme de cinema visto em sentido contrário, com aviões sobrevoando os locais bombardeados e recolhendo bombas, fechando seus compartimentos de transporte de bombas e levando essas bombas de volta para seus pontos de partida. E essas bombas, antes da passagem dos aviões, haviam recolhido fogo, destruição e devastação e as compactado para serem transportadas para longe.

Enfim... cinquenta anos!

[Crédito da foto: Jill Krementz.]


Lucas B. Friedmann

‎"I want to stay as close to the border as I can without going over. Out on the edge you see all kinds of things you can't see from the center." Kurt Vonnegut (1922-2007) Eu escrevo porque (eu não entendo e nem sei como explicar) era o que eu sempre quis fazer, mesmo antes de saber escrever.
Saiba como escrever na obvious.
version 3/s/literatura// @obvious, @obvioushp, @obvious_escolha_editor //Lucas B. Friedmann