Lucas B. Friedmann

‎"I want to stay as close to the border as I can without going over.
Out on the edge you see all kinds of things you can't see from the center." Kurt Vonnegut (1922-2007)

Eu escrevo porque (eu não entendo e nem sei como explicar) era
o que eu sempre quis fazer, mesmo antes de saber escrever

tudo o que é vintage sempre terá um espaço em nossos corações

O vintage pode ser definido de modos diferentes em várias áreas de atuação, mas resumidamente o vintage está muito associado ao que é antigo. E o antigo acaba sendo relacionado com o que vivemos na infância e que nos aquece o coração com lembranças boas de um período mágico de nossas vidas.


A moda e o design de interiores, entre outros, tentam definir o vintage como um estilo associado a produtos de outros períodos, especialmente roupas e móveis das primeiras décadas do século XX. O que for anterior a um século acaba sendo definido como antiguidade. [Se bem que os antiquários provavelmente (em sua grande maioria) não fazem qualquer distinção quanto ao que será oferecido em suas lojas!] Mas conforme o tempo passa o vintage não chega a ser atualizado.

É um estilo e é usualmente denominado de modo mais genérico como 'retrô', em português, ou 'retro style', em inglês. É um estilo que imita as tendências em várias áreas das artes (incluindo música e cinema) e de outras atividades (como a moda) que prevaleciam algumas décadas no passado. Uma tendência relativamente recente, inclusive, é a distinção dos estilos segundo décadas diferentes, como os estilos dos anos 80, ou dos anos 90, ou outros ainda.

java-dreams-chris-consani.jpg

Em paralelo a possíveis classificações, o vintage é associado ao que é antigo, ao que existia e ao que era praticado no passado e é aí que o vintage estabelece raízes poderosas no nosso imaginário. Mesmo que o vintage em determinada circunstância esteja associado ao que prevalecia antes mesmo de nossos nascimentos, ele será associado aos nossos primeiros anos de vida e aí será associado de modo muito forte a um período das nossas vidas onde prevalecia uma realidade mágica.

Assim, mesmo não tendo convivido então na mesma época de alguns grandes astros do cinema dos anos 40 aos anos 60, e mesmo sem a oportunidade de ter assistido alguns de seus melhores filmes em cinemas na época em que eram lançados, essa figura acima parece ser diretamente associada a um período mágico. Esse parece ser o filtro oferecido pelo que é vintage, que nos permite ver tudo que era muito bom ou mesmo maravilhoso (mesmo sem que tenha sido realmente desse modo).

vintage-marketing.png

Essa conexão mágica é tão forte e tão poderosa que inclusive inspira uma adaptação constante das tendências atuais às tendências de algum período anterior, seguindo algum estilo específico, seja na moda, na música ou em alguma outra atividade. Então vemos por isso cartazes anunciando serviços absolutamente contemporâneos, como o Facebook, o Skype ou o Tweeter, ou mesmo o Youtube, com uma ambientação inconfundivelmente 'antiquada' ou vintage.

O vintage então é uma dessas entidades modernas que conseguem sobreviver adaptando-se aos novos tempos, como uma frente de onda que avança acompanhando o avanço natural do tempo. As novas gerações vão sempre percebendo um sentimento acalentador ao relacionar o que é antigo em seu tempo com um certo saudosismo pelos seus primeiros anos de vida. O vintage então desse modo se estabelece e ocupará sempre um lugar em nossos corações!


Lucas B. Friedmann

‎"I want to stay as close to the border as I can without going over. Out on the edge you see all kinds of things you can't see from the center." Kurt Vonnegut (1922-2007) Eu escrevo porque (eu não entendo e nem sei como explicar) era o que eu sempre quis fazer, mesmo antes de saber escrever.
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/sociedade// //Lucas B. Friedmann