escola do amor universal

O coração não é frágil, ele é intuitivo, ele sabe a resposta certa.

Ohana Nery

Escritora, autora do livro "O limite", todos os dias dedica-se a traduzir as cartas que o Universo envia para o planeta Terra: é astróloga. Geminiana com ascendente em Leão, por isso a juba está sempre no capricho.

Veronika decide morrer e o suicídio

Ter raiva do passado, medo do futuro, e um constante desespero. Você se sente assim? Você não está sozinho. Milhares de pessoas todos os dias pensam em colocar fim a própria vida. Infelizmente, algumas vão até o fim e perdemos mais um ponto de luz no mundo.
Precisamos falar sobre isso, e sobre você, e sobre o quanto você é importante.


o-WRITING-A-LETTER-facebook.jpg

Quando eu era mais jovem, muitas vezes, me senti desconfortável com a experiência humana.

Era difícil aceitar meu corpo e tudo que envolve a vida: a morte, a perda, a inveja, a separação, as expectativas, as obrigações, os padrões, todos os altos e baixos da nossa jornada nesse planeta.

A complexidade da existência me tirava a alegria de viver.

Dúvidas sobre a vida e a morte e sobre o sentido da vida me consumiam, simplesmente não consegui acordar e viver mais um dia sem entender o sentido de tudo.

A dor parecia sempre maior em mim do que nos outros, a dor de sofrer uma traição, de ser abandonada ou não ser aceita era insuportável pra mim.

Eu não vivia no presente, tinha raiva do passado e medo do futuro.

Eu não gostava do meu reflexo no espelho, da rotina, das conversas com as pessoas, dos valores da sociedade. Eu me sentia sozinha.

Principalmente, eu odiava ser diferente e me sentir assim.

Minha única amiga na maioria dos momentos era a música.

Na fase da adolescência os sentimentos pioravam ao ponto de ficarem insuportáveis e eu desejar escapar dessa experiência humana.

As pessoas não querem falar sobre isso, tem medo dos seus próprios sentimentos ou não compreendem sentimentos assim, acusam o depressivo de fútil, egoísta, ou simplesmente maluco.

Várias vezes planejei minha própria morte, mas nesses momentos sempre escutava uma voz que dizia que eu deveria ficar e tinha visões do meu futuro, visões muito reais mas um futuro que parecia totalmente irreal e inacessível diante das minhas circunstancias.

Felizmente, eu resisti, e estou nesse futuro.

Mas não foram as visões ou as vozes que me fizeram desistir, elas apenas interrompiam minhas tentativas de forma temporária, e depois a depressão e o desespero retornavam.

Eu me lembro do exato momento em que desisti da ideia de deixar a vida e finalmente me senti em paz, foi quando li o livro Veronika decide morrer, do Paulo Coelho.

No livro o autor relata suas próprias experiências com tentativas de suicídio e internações no hospício e entrega uma nova perspectiva sobre como realmente é quando temos certeza do dia e da hora da nossa morte.

Nosso medo de viver é ainda maior do que o de morrer, por isso queremos escapar da vida.

A paixão pela vida renasce quando nos entregamos ao que nos dá alegria, sem expectativas e sem escutar a voz paranoica do medo.

A paixão pela vida renasce quando você sente que é merecedor de amor e alegria.

A paixão pela vida renasce quando você presta atenção na voz da esperança, mesmo que esteja falando baixinho, cansada, mas a voz está ali.

Se você está na Terra é porque sua existência faz sentido.

Talvez você esteja se sentindo como eu me sentia e muitas vezes esteja apenas deprimido ou vá até o extremo de querer a própria morte.

Mas lembre-se que a morte virá de qualquer jeito, você não precisa apressá-la. Deve lutar para viver.

Minha mensagem para todos que se sentem como eu me sentia é de que um dia sua dor e suas experiências vão ajudar alguém e, é por isso que você está passando por isso tudo.

Todo herói teve uma história difícil de superação, todo herói teve um momento em que pensou que tudo estava perdido.

Sei que parece loucura agora, mas em um futuro próximo, você vai agradecer os ensinamentos da dor que você está sentindo agora, e para isso você precisa permitir que a experiência ocorra e aprender as lições, sem se tornar uma pessoa amarga, sem deixar que tirem o melhor de você.

A sua dor agora pode ser a inspiração de lindas músicas, livros, ou de alguma coisa especial no futuro. Você pode transformar sua dor em algo bonito.

Existem pessoas maravilhosas e experiências incríveis esperando por você, então não nos deixe. Você ainda vai contar sua história, e existem pessoas que precisam escutá-la.

Eu fiquei para escrever isso para você, percebeu agora por que você é tão importante? Você precisa ficar, você precisa sorrir, você precisa continuar.

Você vai deixar um grande vazio se você for embora, eu preciso e peço que você fique, e que você sorria e comece hoje o primeiro dia do resto da sua vida.

Existe uma carta que só você pode escrever, uma palavra que só você pode dizer, e um trabalho que só você pode fazer, que vai salvar alguém.

Fique aqui e comece a sorrir celebrando as coisas incríveis que irão te encontrar muito em breve.

Eu prometo.

Nos encontramos lá.


Ohana Nery

Escritora, autora do livro "O limite", todos os dias dedica-se a traduzir as cartas que o Universo envia para o planeta Terra: é astróloga. Geminiana com ascendente em Leão, por isso a juba está sempre no capricho..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/literatura// @obvious, @obvioushp //Ohana Nery