espelho artistico

refletindo a arte e vida

Letícia Moreira

Aquariana apaixonada por todo tipo de arte,cultura, natureza e gatos, especialmente pretos. Segue impressionada com a humanidade, mas ainda põe fé na vida, açúcar no café e paz no coração.

Deixe a luz entrar, abra as portas e também as janelas se preciso for

O temor também bate a porta quando estamos vivenciando aquele momento tão esperado, quando um sonho está perto demais da esfera concreta da realidade. Então ele sutilmente da três leves toque à porta, e cuidado, se você considerar atendê-lo, ele não irá aguardar um só minuto antes de arrombar a porta e ocupar casa adentro


janela.jpg

Talvez você não enxergue claramente agora, mas a luz lhe convida a realizar tal ato. Visões embaçadas pelo medo inibem aquilo que está diante de você. Medo... Sentimento mais comum do que se pode imaginar, presente nas situações mais inusitadas. Ele não nos invade bruscamente apenas em situações que já o esperamos tais como, fracassar no trabalho, de encarar situações difíceis, mas também nos visita nos mais sinceros momentos de felicidade. Sim de felicidade, é isso mesmo que quis dizer.

O temor também bate a porta quando estamos vivenciando aquele momento tão esperado, quando um sonho está perto demais da esfera concreta da realidade. Então ele sutilmente da três leves toque à porta, e cuidado, se você considerar atendê-lo, ele não irá aguardar um só minuto antes de arrombar a porta e ocupar casa adentro. Então tudo parece gradativamente perder a forma, a cor e o sabor. Ajuda se eu falar que respirar fundo não bastará? Pois é, infelizmente isso não é o suficiente. Paciência não é apenas uma virtude, mas algo que precisa ser posto em prática cotidianamente.

Requer paciência para sonhar e ver tudo parecer tão longínquo, mas se necessitamos de mais paciência ainda ao vê-los se tornarem reais ao ponto de esticarmos o braço e poder os tocar, pois é nesse momento que a súbita vontade de correr em disparada para longe eclode. Um paradoxo não muito raro, o dualismo da felicidade, de um lado o desejo, do outro o receio. Situação essa retratada em diversos filmes,sabe aquela tipica cena em que a mocinha vive seu 'conto de fadas' particular e por conta do medo ocasionado pela felicidade que está sentido, arruma algum pretexto para ir embora, para partir. Por não se sentir boa o suficientemente para viver essa realidade. As origens desse sentimento? Quem sabe Freud explique, ou talvez nós mesmo possamos encontrar as respostas em algum lugar perdido dentro de nós, clichê? Sim, bastante. Mas entender o porque desse sentimento causador das nossas próprias cegueiras,das nossas fugas daquilo que almejamos e em níveis mais extremos da nossa própria auto-sabotagem e muitas vezes processo esse inconsciente. Desistir por não se achar bom o suficiente para aquela função, não tentar aquele concurso por julgar que não é capaz, não ficar com aquela pessoa especial que faz seu coração acelerar toda vez que ela lhe abraça, pois acha que não é bom o suficiente para ela, ou porque acha que no final será igual ás outras vezes em quis provar o adocicado sabor do final feliz e acabou por provar uma colherada de decepção.

Como se livrar desse fantasma que assombra durante a madrugada e não satisfeito, muitas vezes faz aparições durante o dia roubando a paz e o sossego que toda mente merece ter? Não há formulas mágicas, nem cartomante que traga de volta a tranqüilidade e confiança esperada. Como citei anteriormente, respirar fundo não resolve muita coisa. Tentar trazer a consciência que a mente pode ser um grande bloqueio no caminho rumo à realização pessoal é um bom começo. Compreender que a vontade inexplicável de fugir de tudo que pode está por vir continuará lhe acompanhando se não der um basta nela. Ocasionalmente a voz interior precisa ser suprimida, especialmente quando ela é prejudicial. Quando impede uma nova etapa de surgir, quando os devaneios começaram a perturbar a serenidade e há dificuldade para dar continuidade a projetos já inciados outrora.

Olhe bem. Tente clarear sua vista dessa vez. Tirar o óculos embaçado facilita a ver a realidade como ela é e não por trás do medo cego que habita em nós. Abra a porta, não para o medo, que tal abri-la para a luz refletir um pouco melhor. Se não for suficiente abra as janelas e deixe a claridade adentrar, não custa nada tentar não é mesmo? Sair um pouco do escuro não faz mal.


Letícia Moreira

Aquariana apaixonada por todo tipo de arte,cultura, natureza e gatos, especialmente pretos. Segue impressionada com a humanidade, mas ainda põe fé na vida, açúcar no café e paz no coração..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// @obvious, @obvioushp //Letícia Moreira