essa metamorfose ambulante

Porque a verdade é só uma questão de perspectiva

TOLEDO, R.R.

Meistre da Cidadela do Reino Cintilante: 'The Shitborn, Queen of The Crossovers, The Blender of References and Protector of The Madness'. Farmacêutica com deficiência nos níveis endógenos de dopamina e serotonina. Em uma busca incessante pelo controle da ansiedade, da angústia e da loucura... Uma existência tentando governar sua essência, mas sempre presa no terrível paradoxo da liberdade. P.S.: Fã de Sartre e Cultura Pop! - caso as referências não tenham sido óbvias o suficiente -

Freeheld – Amor Por Direito (2015)

Drama político, social e pessoal que narra a história real de um casal homossexual em busca de direitos civis e diante da iminência da separação, decorrente de um câncer terminal em estágio avançado.


tx6im1.jpg

Um filme comovente, importante e extremamente atual! Roteirizado por Ron Nyswaner, dirigido por Peter Sollett e com um elenco de peso, encabeçado por Julianne Moore e Ellen Page, contando com a atuação secundária, de altíssimo nível, do sempre incrível Steve Carell.

Baseado em acontecimentos reais e adaptado do documentário produzido em 2007 por Cynthia Wade, esse filme é um drama político, social e pessoal brilhantemente construído, com todos os diferentes elementos conectados ao longo do filme sem que nenhum se sobreponha ao outro. Uma palavra poderia descrever bem essa maravilhosa narrativa: equilíbrio.

Um primeiro ato simples e conciso apresenta rapidamente, porém eficientemente, nossas protagonistas, suas principais características pessoais e o contexto social a que pertencem. O relacionamento entre as personagens também se desenvolve de forma rápida, mas não desprovido de sensibilidade e detalhes, o que surpreende e comove em muitos momentos do filme. Como, por exemplo, a praia e o mar que são detalhes tão pessoais de uma das personagens e que se tornam o símbolo de um relacionamento claramente pautado no companheirismo e generosidade. Este elemento está presente ao longo de todo filme e é onde o drama pessoal ganha destaque, sendo responsável pelas cenas mais comoventes.

tx6im2.jpg

O plot twist que nos leva ao segundo ato do filme é o diagnóstico de uma doença terminal em uma das personagens: a policial. Veterana, experiente e competente detetive. Funcionária durante 23 anos do condado onde vive. Neste momento, as protagonistas já se encontram em um estágio avançado do relacionamento, moram juntas e já possuem toda a documentação exigida para confirmação de união estável. Porém, a lei é limitada, restrita e não contempla os direitos de pensão a parceiros estáveis. Dentro deste novo contexto, os elementos jurídicos, políticos e sociais são trazidos à trama sem nenhum prejuízo à história da comovente luta das protagonistas contra o progresso da doença.

A abordagem política é feita de forma inteligível e didática, permitindo que leigos – como eu – consigam acompanhar o desenvolvimento da história sem nenhuma dificuldade. E muito além de compreensão, nesta hora é possível identificar, contextualizar e projetar a narrativa para nossa realidade. Onde no centro da administração política temos políticos fundamentalistas religiosos, defensores da moral e dos bons costumes e uma minoria com consciência humanitária, mas que se cala perante aos corruptos tradicionalistas.

tx6im3.png

Corruptos também, porque obviamente não é apenas uma pauta de direitos humanos. É uma forma de evitar que impostos sejam gastos com benfeitorias para a sociedade e seus contribuintes e, ao invés disso, direcioná-los para os interesses pessoais destes mesmos políticos defensores da família e dos bons costumes.

Mas a tensão e o drama não são os únicos aspectos que se desenvolvem nesta história. Em meio à trama política, surge o maravilhoso personagem, do igualmente maravilhoso Steve Carell. Um judeu, jornalista local, gay e ativista, cuja melhor definição o próprio personagem nos dá: “a big loud gay jew” – Em português: Um grande judeu gay barulhento -, que se propõe lutar pela causa das protagonistas. Um excelente alívio cômico para o filme e ao mesmo tempo a representação do engajamento social na causa das protagonistas.

tx6im4.jpg

Muitos elementos são adicionados ao filme e muitos aspectos importantes têm seu desenvolvimento nesta parte da história, levando a um terceiro ato espetacular. Com um desfecho inteligente e extremamente comovente, envolvendo os três núcleos do filme.

Filme incrível! Recomendado a todos, especialmente àqueles defensores da família tradicional. Assistam com a mente aberta, esta não é uma causa de minorias. É uma causa humanitária, uma luta pela liberdade e igualdade de direitos.


TOLEDO, R.R.

Meistre da Cidadela do Reino Cintilante: 'The Shitborn, Queen of The Crossovers, The Blender of References and Protector of The Madness'. Farmacêutica com deficiência nos níveis endógenos de dopamina e serotonina. Em uma busca incessante pelo controle da ansiedade, da angústia e da loucura... Uma existência tentando governar sua essência, mas sempre presa no terrível paradoxo da liberdade. P.S.: Fã de Sartre e Cultura Pop! - caso as referências não tenham sido óbvias o suficiente -.
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/cinema// @obvious, @obvioushp //TOLEDO, R.R.
Site Meter