estranha loucura

Pensamentos além da normalidade

João Paulino

Estudante de Direito amante da filosofia, que encontra nos livros um meio desvelar as obviedades da vida.

Encontro marcado: o encontro consigo mesmo no livro de Fernando Sabino

Encontrar-se consigo mesmo é uma das grandes tarefas e das mais difíceis que foi destinado ao ser humano. Fernando Sabino no seu livro O encontro marcado, mostra isso com enorme primazia.


“Sussurro sem som onde a gente se lembra do que nunca soube.” Guimarães Rosa

Livro “O Encontro Marcado” de Fernando Sabino, publicado em 1956; uma obra intrigante, inquietante, angustiante, e envolvente.

A obra começa a chamar a atenção desde sua forma de ser escrita, na qual conseguimos distinguir, personagens, personagem principal (Eduardo Marciano) e narrador, porém consegue-se sentir a proximidade do narrador e Eduardo, vendo tudo através dele, e do seu ponto de vista. Percebemos no livro aspectos intimistas, e enxergamos tais aspectos, pelo constante questionamento, pela inquietude de Eduardo Marciano desde sua infância à sua vida adulta, pela angústia que se sentia não só no/nos personagens como no cenário a sua volta, e pela procura por algo/alguém, por algum “encontro”. A ordem cronológica na qual se divide o livro, em infância, adolescência e idade adulta de Eduardo, faz o personagem (e nós vamos junto com ele) passar por um processo de autoconhecimento, de busca por uma essência, de um sentido, por algo desconhecido.

“… O barco te leva para longe, a praia está perdida, mas voltarás nem que tenhas de andar sobre as águas.” (O Encontro Marcado – Fernando Sabino, p.144)

Nessa busca, se esbarra no seu destino, tentando desviar-se dele, fazendo-se dono do mesmo, e imaginando ser o único capaz de mudá-lo. Então faria o que bem entendesse, recomeçava quando quisesse, e queria a todo custo continuar, porém acabava sendo interrompido antes que chegasse ao fim que tinha escolhido.

“De tudo, ficaram três coisas: a certeza de que ele estava sempre começando, a certeza de que era preciso continuar e a certeza de que seria interrompido antes de terminar.”(O Encontro Marcado – Fernando Sabino, p.145)

Uma angústia lhe toma conta, lhe perturba, lhe toma o juízo, deixa-o desnorteado, perdido, e sempre retorna ao princípio: à procura de respostas. E percebe como é frágil diante da vida, “mas era ainda a vida, o existir e se saber presente”. Seu ser, está sempre a procura de alguma coisa, sente necessidade dessa procura, ele necessita de um caminho. Eduardo Marciano era um aluno não dos melhores no ginásio, um jovem boêmio, um escritor que apenas escrevia sobre escritos; até antes de acabar seu casamento, um marido que tinha “vida de solteiro”, após fim do matrimônio um desquitado com “vida de viúvo”, todos esses em um único SER; tudo isso, faz parte da busca pela sua essência, da sua angústia que sempre existira no íntimo do seu ser, fazendo parte em “essencial” para sua existência, já que o excita a questionar, e a mudar, para se encontrar se desencontrando.

Começamos a enxergar que o “encontro marcado” é do próprio personagem com ele mesmo, porém um “ele” desconhecido, quando percebemos, que há uma autonegação, um não-ser, um vazio, para chegar a um autoconhecimento, uma afirmação de si mesmo como ser, o preenchimento desse vazio sobre sua existência, deixando de ser apenas um vazo. E nesses momentos de negação de si mesmo, acaba que em seu encontro consigo próprio, nenhum dos dois aparecia, insistindo em negar o que ele era em prol do que ele queria ser. Então nesses desencontros, que o levaram para se encontrar, consegue perceber que é preciso, que deixe seu passado de lado, para recomeçar, porém aceitando quem ele é. Agora um personagem angustiado de um antigo romance se encerra, e recomeça um novo romance, de um novo-antigo personagem, que se busca se perdendo, que se conhece no desconhecido, acreditando mais em suas experiências. O encontro que ele marcou há muitos anos, e que só ele tinha ido. Seu destino já fora traçado, “não soube escolher, foi escolhido”. Ao começar a existir tinha um “encontro marcado”, em um lugar onde não era aquele, e não era com aqueles que estiveram presente na sua vida; era em um campo desconhecido, com “os eles”, do seu único ser.

encontro marcado FS.jpg


João Paulino

Estudante de Direito amante da filosofia, que encontra nos livros um meio desvelar as obviedades da vida..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/literatura// @destaque, @hplounge, @obvious, @obvioushp //João Paulino