eulírico

Concepções do mundo

Naílle Conceição

DO YOU BELIEVE IN LIFE AFTER…ME?

Cher é uma das maiores cantoras pop de todos os tempos,e até já ganhou Oscar,mostrando sua faceta como atriz.Mas como psicanalista ela é incrível,me ensinando através de uma canção simples como me levantar depois de tombos,efeitos colaterais daquela ~doença~ amor.


large.jpg

Você acredita em vida após o amor?Esse é o refrão da música mais marcante da Cher. Eu digo que sim, por que passei por isso várias vezes. O clipe mostra uma garota que se conecta com uma “entidade” superior, a Cher, que a ajuda a superar um cara que já seguiu em frente. Na minha vida essa “entidade” já fez falta, mas aprendi a superar tudo como sempre vivi sozinha.

Não era amor, mas sim muita cilada criada por mim mesma, ilusões achando que amava aqueles garotos. Quando a gente gosta do conjunto que a pessoa é,e não é acostumada a lidar com um simples crush, tudo vira amor. Se eu for listar a lista de nomes de cada crush aqui, vou ter que escrever outros livros, e isso vai virar uma saga adolescente dramática e nada original. Um breve dos crushes (é assim?) até os 14 anos: Boys bonitinhos das escolas ou da televisão (eu ainda não tinha internet). Seguiam padrões: bonitinhos, certinhos, chatinhos, fim. Nunca deu em nada. Vamos agora aos que deram história:

Mr. G0y: Gostei dele até ele sair da escola, foi no… 2º ano. Apesar de ele ter ficado com uma amiga minha e não corresponder exatamente à descrição de g0y, sempre achei que ele fosse gay ou algo assim. Só éramos amigos. Só. Sem sal nem graça, mas naquela época eu não sabia flertar então vou dar um desconto a ele de 10%, mas talvez um amigo em comum que sabia pode ter contado e ele fez a desentendida pra mim de propósito. Bitch.

Mr. Better than that: Eu estava tentando me livrar desse merda até uns meses atrás. Só pra saber, tanto ele como os outros da lista não deram em nada tá?Esse cara tem um jeito que me agrada, é inteligente, bonito, misterioso, meio cínico, etc. Não passa de um sonso e covarde. Achava que eu estava apaixonada por ele. Errou feio, errou grave, errou rude!Só fiquei impressionada por que nunca tinha conhecido um menino educado que não fazia bullying comigo e dava pra ter uma conversa de gente.

O problema maior desse menino é que ele se acha o tal e as pessoas em volta dele ajudam a construir essa autocrítica. Não passa de uma marionete, totalmente influenciável acabou com nossa amizade por causa dos amigos. Ninguém gosta de ser associado romanticamente com menina FEIA. Eu nunca conheci seu verdadeiro eu/ele. Será que era o cara que conversava comigo sobre livros?Ou o idiota que me vira a cara?Talvez seja o babaca que me fuzilou com olhos quando eu estava de cropped (só sou feia de rosto)?Nunca saberei.

Esclarecendo os fatos, eu indico livros, filmes, músicas e séries para TODOS os meus amigos e se estou tentando seduzir não indico um livro onde um homem vira uma barata gigante e conceitos sociológicos, filosóficos e kafkianos começam a surgir nas linhas. Nossa que sensual… Desça do pedestal cara, você é melhor que isso. Ou não.

Mr. Shit: Interesse. Cantadas. Consegui. Desisti antes de ficar (Graças, Pai!). Constatei que era um merda. Estava certa. Ainda bem que me livrei.Esse foi tão merda que eu nem devia ter citado,mas…

Mr. Star: Se eu explicar o apelido entrego a identidade dele. Eu até tentei, mas ele não quis. Não fazia seu tipo. Ou teria que ser cínica e perversa ou tirada à coitadinha e doente. Shade enviada com sucesso. Mas não é culpa delas, nem dele. Nem minha.

Mr. Esticado: Minha miga Cali chamava ele assim. Esse é o nome dela, e ela é maravilhosa, beijos recalque. Esticado é alguém arrogante. Mas ele não era assim. Era mais na dele. Esse foi alvo da minha caçada silenciosa dos olhares nada discretos. Deve ter achado que eu era psicopata, deu merda. Ele tinha namorada também. Merda dupla.

************

Se eu tiro alguma lição disso?Não,por que essas histórias se repetiram por que eu não aprendia nada.Mas eu sei como evitar isso,uma fórmula simples:amor próprio+amor próprio+amor próprio+músicas de bad. Se não conhece músicas pra aquela bad tem Johnny Hooker,Lana Del Rey,Maysa e Alice Caymmi se você quiser.É tão bom,anestesiante.Para chegar ao amor próprio é mais difícil,pois se amar não é uma tarefa fácil,principalmente quando você não se encaixa nos padrões e acha que tem que fazer parte desse mundinho de merda que temos.

Se conheça primeiro,se apaixone depois.Comece pelos defeitos-que-não-são-defeitos.Cada um deles,devagarinho,vai…Se valorize,se instrua,preencha.Leia livros,veja filmes,abra uma conta no Filmow e dê suas opiniões sobre o season finale duvidoso daquela série. Passe mais tempo com você,mas não fique só em casa.Saia,conheça lugares novos e pessoas.Se especialize em sorrir de forma sincera.Vá praticando.Depois,pode emprestar um pouquinho desse amor louco de diva que você tem pra outra(s) pessoa(s).É assim que você sobrevive ao amor.Evoluindo.

large (1).jpg Obrigada pela lição,diva.


version 1/s/musica// //Naílle Conceição