eulírico

Concepções do mundo

Naílle Conceição

Jovens, belas e livres (?)

Quando uma menina de 17 anos te faz parar e pensar por dias sobre o modo como algo tão comum e natural é visto e tratado como anomalia é sinal de que algo está errado.E que aquele filme cult francês é muito bom.


xx.jpg

Esse filme francês conta a história de uma mocinha que decidiu se prostituir após um acontecimento apenas por experiência. A jovem e bela do tí¬tulo é Isabelle, blasé, rebelde sem causa e com um enorme peso nas costas: o fardo da beleza e as coisas fáceis ao seu alcance. Para alguns, o tédio pode ter sido uma motivação para a prostituição, ou busca por prazer ou falta do pai (opinião da qual discordo, pois prestei bastante atenção ao enredo do filme). Alguns podem compará-lo à Bruna Surfistinha, por causa do início de sua trajetória na ex - profissão e não estão errados. Ao ler fragmentos do livro de Rachel Pacheco pode-se notar que não foi por dinheiro que ambas seguiram por esse caminho. Algo faltava em suas vidas e o sexo foi uma válvula de escape. Talvez por que ainda seja tratado com respaldo e continua marginalizado pela mídia e sociedade. Nós colocamos o sexo nessa posição singular todos os dias, mesmo que de forma inconsciente.

Responda sinceramente, em qual imagem você clicaria mais rápido: Isabelle na cama com um cliente mais velho ou na festinha com os colegas da escola (sim, ela é menor de idade, abrindo margem para trazer Lolita ao assunto, mas isso fica pra depois). Quem nunca assistiu pornografia por curiosidade? Algo muito comum, porém é feito ás escuras na maioria das vezes, com ní¬veis oscilantes de medo percorrendo nossas espinhas. O que é obvio, afinal, o que meus pais/amigos/ companheiros/outros vão pensar?

lalalala.jpg Eu tenho 99,998% de certeza que você clicaria nessa

Por outro lado, o que sobra às meninas que não são mesmo bonitas ou não se encaixam nos padrões da sociedade? Como encontrar as respostas que seu corpo esconde? Antes que você diga siririca ou masturbação, saiba que nem todas as meninas conseguem sentir prazer sozinhas. Por medo, pudor ou ameaças, uma jovem que não é bela cria um bloqueio psicológico à essa prática. Mesmo que cresça e sinta os efeitos dos hormônios em seu corpo, ela ainda não vai entender completamente o que se passa dentro dela por que isso lhe foi tirado. Existem tutoriais no YouTube sobre como se "descobrir" sexualmente sozinha com jovens adultas tratando o assunto com naturalidade. Mas na vida real não é tão fácil. O medo, o proibido e a vergonha pesam nas costas das meninas. Ao se esconder no quarto tentando se realizar as garotas abrem uma porta para uma parte importante da vida.

large.png Repleta de vícios

Sexo, tratado com tanta importância e tão necessário é, ao mesmo tempo segregado para elas, por pura ignorância. A mesma sociedade que prega às mocinhas se manterem pura e recatada até o casamento cobra dos meninos que se iniciem o mais cedo possível e com o máximo de parceiras possí¬veis. As prostitutas, sempre colocadas na base da pirâmide social se tornam extremamente necessárias ao realizar esse sacrifício para as meninas do lar. Se tornaram um "mal necessário”. Os meninos também sofrem, não tanto quanto as meninas, mas sofrem. São obrigados a bloquear seus sentimentos e a agir pelo instinto, como animais. Alguns acabam gostando e se transformam nos machistas abomináveis que infelizmente vemos por aí¬. Por que aprenderam a ser assim. O que lhes resta é se adaptar aos papéis que lhes foram destinados nessa peça macabra, ou se tonar um pária agindo diferente.

Diferentes e melhores, pois são capazes de pensar e agir por si próprios, tendo empatia pelos outros e sendo alguém mais consciente. Quanto às meninas, se toquem se descubram e façam o que quiserem. Eles vão julgar, eu sei. Mas o pior julgamento virá de você mesma, alguns anos depois pendendo o sono por causa daquilo que não fez. Não cometa esse erro com você. Se liberte.

large (1).png Ninguém é sério aos 17


version 2/s/cinema// @obvious, @obvioushp //Naílle Conceição
Site Meter