exotopias digitais

Um mosaico de ideias em movimento no espaço digital.

Maira Penteado

Aspirante de jornalista. Amante da Cultura Italiana. Adoro porto Alegre. Ariana com Ascendente em Áries "vivo de amor profundo.".

A marginalização da arte ou a arte da marginalização?

Em Porto Alegre recentemente ocorreu um fato inusitado que está intrigando e até mesmo indignando muitos cidadãos. Um grupo de uma comunidade pagou para um grafiteiro realizar uma homenagem com a imagem de um traficante morto em janeiro. Com isso me pergunto: isso seria a arte da marginalização ou a marginalização da arte?


fotogaucha.jpg FOTO: Rádio Gaúcha

A “homenagem” foi ao traficante conhecido como Xandi, morto em janeiro no litoral do Rio Grande do Sul. Conhecida por vários programas de incentivo às artes principalmente com oficinas nas escolas e projetos na periferia da cidade Porto Alegre também recebe a Bienal do Mercosul, o povo gaúcho convive muito direta e indiretamente com arte contemporânea, nas ruas, nos pontos turísticos etc.

O grafite é uma forma de arte que consiste em uma pintura por meio de spray. Agora o que temos de saber é até que ponto a sociedade está pronta para compreender o grafite mostrando o lado marginalizado e oculto que passa a não ser mais tão oculto assim por meio desta linguagem artística?

Para a pintura foi utilizada uma parede do condomínio na zona leste de Porto Alegre e segundo um delegado que foi procurado por um jornal para falar sobre o caso, nada pode ser feito, pois os moradores não se manifestaram contrários à obra.

O próprio muro da Mauá no Centro Urbano da capital é muito famoso por seus grafites em sua toda sua extensão localizado no Cais do Porto, espaço cultural que recebe feiras e eventos culturais, mas que atualmente está em um embate forte sobre a incerteza de seu futuro. A grande inquietação do momento é cidadãos de bem, gostam da arte, pois a arte é vista como algo positivo, educativo, cultural para valoração das pessoas e isto implica em qualidade de vida e bem estar. Agora quando um fato como essa intriga os indivíduos é necessário refletir sobre o olhar crítico que devemos ter sobre a “arte” em questão.

Qual mensagem tal acontecimento quer nos transmitir? Que mensagem? A arte deixa de ser arte apenas porque retrata a marginalização da cidade ou a marginalização da cidade acabará retratando a banalização da arte?

Não sou crítica de arte para ter as respostas corretas para estas formulações, mas o que penso como porto-alegrense é que Porto Alegre que recebe o Fórum Social Mundial deve repensar até que ponto os universos se entrelaçam. Como sendo uma função estética de manifestação social por meio da linguagem e potencial de leitura crítica sobre o que tudo isso quer nos dizer e como trabalhar com os imprevistos e a liberdade de expressão dos grupos urbanos e seus próprios enunciados.

A realidade é que Educação, Cultura e Liberdade de Expressão estão integradas no cenário desenhado por este ato inusitado e que querendo ou não a população de Porto Alegre terá que “engolir”. E você o que pensa sobre o assunto?


Maira Penteado

Aspirante de jornalista. Amante da Cultura Italiana. Adoro porto Alegre. Ariana com Ascendente em Áries "vivo de amor profundo."..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/sociedade// @destaque, @obvious //Maira Penteado