exotopias digitais

Um mosaico de ideias em movimento no espaço digital.

Maira Penteado

Aspirante de jornalista. Amante da Cultura Italiana. Adoro porto Alegre. Ariana com Ascendente em Áries "vivo de amor profundo.".

Três chances para o amor: de menina à mulher

A música Teresinha, de Chico Buarque fala das escolhas amorosas da personagem e sua maturidade nos relacionamentos afetivos, passando de menina à mulher em que toda a letra apresenta as suas três escolhas e tipos de relações. Será que todos nós também temos somente três verdadeiras chances para viver nosso amor?


Sem título.png

Para o filósofo Mikhail Bakhtin, a exotopia está associada no discurso e no processo de criação verbal ao que ele chama de herói o herói do discurso aqui no caso desta música é a personagem Teresinha que “conta” sua história da vida amorosa e seus três relacionamentos afetivos até chegar ao amor que seria o no caso amor real. No primeiro caso, percebemos um amor de menina que pelo discurso como podemos observar abaixo no trecho da letra sugere um tempo de inocência, juventude e sonhos com uma aura de namoro de adolescentes, como podemos observar:

A PRIMEIRA CHANCE “O primeiro me chegou Como quem vem do florista: Trouxe um bicho de pelúcia, Trouxe um broche de ametista. Me contou suas viagens E as vantagens que ele tinha. Me mostrou o seu relógio; Me chamava de rainha.”

A ESCOLHA: O não “Me encontrou tão desarmada, Que tocou meu coração, Mas não me negava nada E, assustada, eu disse "não".

No trecho acima o autor nos remete à posição de Teresinha como uma menina com medo do amor, que se sente tocada por um sentimento bonito, mas mesmo assim recusa a chance de se entregar completamente para viver o amor. Portanto, ilustra uma fase de menina de amadurecimento, de escolhas, medo e insegurança.

Um sentido de verdade na óptica da exotopia bakhtiniana, se revela somente quando encontra outro sentido na cultura alheia, pois buscamos nela uma maior compreensão e busca para nossas próprias perguntas. Você mulher com mais de 30 anos, uma típica balzaquiana hoje em dia, tenho certeza que quando leu as estrofes acima se lembrou de alguém do passado é muito natural não esquecermos quem realmente nos “tocou” o coração. Mas como a vida é crescimento e depois da fase de adolescência chega a fase dos 20 e poucos anos quando novamente encontramos ou reencontramos alguém que novamente nos faz acreditar ser o “cara certo” e lá vamos nós outra vez, como foi a Teresinha de Chico. Observe:

SEGUNDA CHANCE “O segundo me chegou Como quem chega do bar: Trouxe um litro de aguardente Tão amarga de tragar. Indagou o meu passado E cheirou minha comida. Vasculhou minha gaveta; Me chamava de perdida.” A ESCOLHA: O não “Me encontrou tão desarmada, Que arranhou meu coração, Mas não me entregava nada E, assustada, eu disse "não".

Acima, observamos Teresinha já com o coração machucado pela decepção, mas consciente em se negar a permanecer em um relacionamento ruim. Escolheu seguir em frente e com certeza mais experiente, não desistiu do amor e de dar mais uma chance para ser feliz, normalmente atingimos uma maior maturidade de escolhas após os trinta anos. Não digo isso por estar vivendo esta fase atualmente, mas com certeza se soubesse com 15 anos ou 18 anos tudo que sei hoje faria as escolhas com muito mais segurança e sabedoria. Faria? Pensando bem, acredito que erraria tudo como errei, pois se não erramos não temos o privilégio de valorizar o que é o mais adequado para nós. Então Teresinha encontra sua terceira chance para o amor.

TERCEIRA CHANCE “O terceiro me chegou Como quem chega do nada: Ele não me trouxe nada, Também nada perguntou. Mal sei como ele se chama, Mas entendo o que ele quer! Se deitou na minha cama E me chama de mulher.” A ESCOLHA: O sim “Foi chegando sorrateiro E antes que eu dissesse não, Se instalou feito um posseiro Dentro do meu coração.”

A meu ver vejo no trecho acima uma Teresinha já experiente, mais segura e entregue ao amor maduro. Teresinha, em minha opinião é sem dúvidas uma das mais belas canções de Chico Buarque que retratam muito bem os estágios das escolhas da mulher e sua evolução nos sentimentos e na escolha de um parceiro. Será que todos nós também temos somente três verdadeiras chances para viver nosso amor? Não escolhi escrever sobre esta música somente porque me chamo Teresinha também, mas por achar que todas as mulheres possuem um pouco de Teresinha dentro de si mesmas.

Chico é Chico e escrever ou ler qualquer coisa que nos mostre outros “olhares” sobre as obras dele sempre estimulante, e para quem gosta de música e de mulheres conhecer sobre isso é um diferencial importante. Isso não lhe parece meio “óbvio”?

Abraço e até a próxima.


Maira Penteado

Aspirante de jornalista. Amante da Cultura Italiana. Adoro porto Alegre. Ariana com Ascendente em Áries "vivo de amor profundo."..
Saiba como escrever na obvious.
version 4/s/musica// @destaque, @hplounge, @obvious, @obvioushp //Maira Penteado