exotopias digitais

Um mosaico de ideias em movimento no espaço digital.

Maira Penteado

Aspirante de jornalista. Amante da Cultura Italiana. Adoro porto Alegre. Ariana com Ascendente em Áries "vivo de amor profundo.".

Docência Midiática, Escolas Online e sala de aula invertida: Afinal, é tudo a mesma coisa?

Este artigo visa apresentar, esclarecer, debater três termos inovadores referentes às práticas de ensino apoiado pelas mídias digitais a partir da perspectiva de uma Pedagoga.


ufsc.jpg Campus da Universidade Federal de Santa Catarina - 2009

ESCOLAS ONLINE

A criação e a qualidade Escolas Online apontado pela Professora Sanmya Feitosa Tajra em seu livro Informática na Educação – Novas ferramentas pedagógicas para o professor na atualidade, lançado em 2013. Refere-se à construção e organização do ambiente virtual da escola na internet. Que de acordo com ela, devem respeitar as seguintes normativas:

- Área Institucional (Histórico da Escola, História, Fotos e dados importantes como quadro do corpo docente e proposta pedagógica etc.).

- Área Administrativa (Interação entre os pais e a escola, calendário, avisos, notas, mural de reuniões entre outros dados importantes).

- Área Educativa (Atividades pedagógicas, Projetos desenvolvidos pelos professores e ou de terceiros/parceiros da escola).

No livro a autora ainda cita outras considerações em torno dos ambientes de ensino à distância, chats, repositórios de softwares didáticos, resenhas de livros, jornais digitais entre outros.

Vale lembrar que o termo escolas online não é sinônimo de E-learning neste caso as mídias somente vão apoiar a digitalização da escola em um “terreno” na internet. Nesse caso a Educação Midiática, talvez fosse o termo mais aproximado, já que a docência de fato acontecerá no contato mais próximo entre os professores em torno do conteúdo a ser compreendido.

SALA DE AULA INVERTIDA

A metodologia da Sala de aula invertida estudada desde 1990 e um pouco mais tarde pesquisada pelos americanos Aaron Sams e Jon Bergmann, pioneiros dos vídeos com milhares de visualizações na internet tornou-se ultimamente um movimento de disseminação com a proposta de virar mesmo a sala de aula de cabeça para baixo, metodologicamente falando, mas será que flipped learning (sala de aula invertida) é tão maravilhoso assim?

Esse modelo é o que mais se aproxima da docência midiática, pois consiste na apresentação de aulas por meio de vídeos, com áudios e power point entre outros recursos, mas nada surte efeitos sem a adequada mediação pedagógica.

Um bom exemplo de materiais para flipped learning é uma ferramenta desenvolvida pela Zaption, que permite utilizar até mesmo jogos de perguntas e respostas, durante a apresentação de uma aula e bloco de anotações.

O flipped learning também é utilizado pelo grupo de educadores do Google e parece que tem surtido bons resultados. Existem muitas outras maneiras de se utilizar as mídias a favor da metodologia da sala de aula invertida, vai depender da motivação e criatividade de cada professor.

Alguns recursos utilizados na sala de aula invertida são:

- Blogs (Diários e comentários em torno de algum tema/conteúdo).

- Vídeos (Mídias que integram textos, áudios, animações e interações).

- Podcasts (Arquivos curtos de áudios).

O objetivo principal do flipped learning é possibilitar que o estudante possa acessar os materiais digitais de casa a qualquer momento e que o professor possa repetir em projetos posteriores se acharem necessário, também atualizá-los sempre que achar pertinente para melhorar a qualidade do ensino.

Quando os alunos chegam já com sabendo em torno do conteúdo o professor tem mais chances de qualificar sua medicação pedagógica e o seu tempo para esclarecimento de dúvidas a cerca dos conteúdos e avançar nas disciplinas. Na realidade isso já acontecia desde o tempo dos livros e quando frequentávamos as bibliotecas de verdade.

De acordo com essa metodologia os passos são os seguintes:

- O estudante acessa o conteúdo em casa e os vídeos ANTES da aula.

- O estudante vai para aula e discute o conteúdo, faz atividades e ganha o feedback do professor DURANTE a aula.

- Vai pra casa com reforços se precisar sobre o seu desempenho recomendados pelo professor (DEPOIS da aula).

A meu ver neste processo de antes-durante-depois, não há nada de tão revolucionador assim é apenas compreendermos que o artefato internet e a linguagem digital facilita e acelera a velocidade com que os conteúdos podem ser assimilados (Contribuição da Sociedade da Hipercomunicação em que estamos inseridos). Mas de acordo com os passos segue a mesma estrutura ler o livro didático página tal para aula do dia X e fazer exercícios durante a aula, depois receber os feedbacks e ir pra casa com lição de casa. Vai do professor fazer uso da sua motivação e criatividade na indicação e produção dos materiais a serem abordados em sala de aula que pode ser a física ou mesmo as salas virtuais no caso da EAD.

O que você pensa sobre isso?

EVENTO HIPERTEXTO 2015

Esse ano o evento Hipertexto sobre informática na educação irá trazer como tema o conceito de Sala de aula invertida, com isso achei relevante trazer alguma contribuição teórica sobre o assunto. Já há alguns anos, participei de uma edição com o artigo Orkut na escola ou a Escola no Orkut? e fiquei muito feliz pela seriedade da organização do evento, aos interessados recomendo. (Clique AQUI para saber mais).

IMPORTANTE

Cabe aqui salientar, que o termo Educação ou Cultura Midiática difere bastante da docência midiática de fato, pois a Educação Midiática pode ser tanto formal quanto informal (Educação aberta). A cultura midiática é o fenômeno social que contextualiza o comportamento dos indivíduos e suas formas de consumir ou produzir cultura por conta própria e até mesmo por lazer. Podemos assim, concluir que:

Docência midiática é toda atividade de ministrar aulas por meio ou com apoio das mídias em especial as digitais tanto em Escolas quanto em Universidades (Educação formal visando titulação específica em determinada área do saber).

OBS: A sala de aula invertida é assim como as escolas online e educação a distância são parâmetros do design pedagógico da docência midiática que está voltada para uma Pedagogia da Linguagem Digital, mas aí já é assunto para um próximo artigo. Abraço e até a próxima.

Sobre a autora deste texto:

Maira Teresinha Lopes Penteado é graduada em Pedagogia Multimeios com habilitação em Informática Educativa (PUCRS), é Designer de Games para Educação (IBDIN) e atualmente presta consultorias com projetos de Docência Midiática e E-learning. Foi professora de Informática na educação em escolas de Florianópolis durante seu Mestrado em Educação e Comunicação pela (UFSC).


Maira Penteado

Aspirante de jornalista. Amante da Cultura Italiana. Adoro porto Alegre. Ariana com Ascendente em Áries "vivo de amor profundo."..
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do autor do artigo sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
version 1/s/tecnologia// //Maira Penteado