febre de além

O que desejo ainda não tem nome

Brian Lima

Formado em Administração, continuo aprendendo para me sentir vivo. Intenso não é só adjetivo, é condição. "Ninguém pode calar dentro em mim essa chama que não vai passar".
[email protected]

Estrela da vida inteira!

"Veio a manhã e eu parti, Mas quando cheguei aqui, Os astros podem contar, No dia em que me perdi Foi que aprendi a brilhar, eu vi..."


amormãe1.jpg

Talvez tenha sido a discrição, uma das mais marcantes características que aprendi a zelar com ela. É claro que sendo um produto da geração Y, me rendi a super exposição das redes sociais, sempre tentando reservar aquilo que julgo dever estar reservado para uma ocasião especial, tal como um Romanée-Conti. Hoje fui acometido por uma desvairada necessidade de compartilhar as outras coisas que aprendi com com ela além da discrição.

Aprendi que amor se demonstra, principalmente, com gestos, por vezes tão pequenos que se perdem no ritmo frenético dos relógios, mas que impactam fortemente quando decidimos prestar atenção! Aprendi que as palavras machucam e consolam, e que a convivência é quem dificulta nossa tarefa de viver; mas aprendi também que não existe nenhum mal que não possa ser curado com verdadeiro amor. Aprendi que é nos momentos difíceis que o amor precisa cantar mais alto para se fazer ser ouvido. E mesmo quando não é, continua cantando, ate que todos cantem juntos a mesma musica, e lutem até a chuva passar.

Aprendi que ser filho não é fácil; mas entendo que ser mãe deva ser muito mais difícil. Aprendi que a liberdade e a independência a gente não ganha; conquista! Aprendi também que que a vida exige de todos sacrifícios, e que existe alguém disposta a sempre faze-los, mesmo quando eu não ache merecer! Aprendi que não importa o quão pesado possa ser o tempo nas costas, sempre haverá o desejo de ser chamado para o colo nos momentos insuportáveis. Aprendi que respeito não se impõe, de nenhuma maneira, mas sim é um valor que devemos buscar para tornar nossos dias mais leves e nossa presença na terra mais honrosa.

Aprendi que MARIA, é o nome mais bonito do mundo, e que todos os passos que eu dei e continuo dando, são apoiados pela força e empenho dela. Alem do mais, apesar de ser um homem e ter de assumir minhas próprias responsabilidades, sinto que quando o passo for em falso e as pernas não tiverem firmeza, posso esticar o braço ou apressar o passo para me segurar nela e evitar a queda. Por isso tudo sou e sempre serei eternamente grato por absolutamente tudo. E um pouco mais. Termino externando todo meu amor e gratidão e completo reproduzindo as belíssimas palavras do grande Vanderlee:

"... O orvalho vale a flor, Que nasce desse prazer, Nesse lampejo de dor Meu canto é só pra dizer Que tudo isso é por ti, Eu vi, Virei estrela! Uma jangada à deriva À céu aberto Leva aos corações despertos A sonhar com terras livres. Veio a manhã e eu parti, Mas quando cheguei aqui, Os astros podem contar, No dia em que me perdi Foi que aprendi a brilhar, eu vi... Tudo isso é por ti!"


Brian Lima

Formado em Administração, continuo aprendendo para me sentir vivo. Intenso não é só adjetivo, é condição. "Ninguém pode calar dentro em mim essa chama que não vai passar". [email protected] .
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/literatura// @destaque, @obvious //Brian Lima