fechada para balanço

Ler para Viver , Viver para Ler...

Mirian Gomes

Mãe, Advogada, Escritora e Apaixonada pela vida: simples assim

Não, você não é eternamente responsável pelo que cativas

Será que somos - e t e r n a m e n t e - responsáveis por aquilo que cativamos? Que raio de karma é esse que vai nos perseguir ao longo dos milênios?


PP.jpg

Para muitos venho trazer más notícias.Isso porque, em se tratando de relações humanas, você não é responsável por aquilo que cativas e pior, não foi isso que Saint-Exupéry afirmou em sua obra.

Mas calma, vamos por partes, assim a decepção virá em conta gotas.

No mundo atual, que aceitamos sem muita resistência tudo que ouvimos e lemos como verdade absoluta, me incomodou demais alguém justificar a falta de entrega emotiva nos relacionamentos, sob a égide da frase "tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas."

Será que somos - e t e r n a m e n t e - responsáveis por aquilo que cativamos? Que raio de karma é esse que vai nos perseguir ao longo dos milênios?

Curiosa que sou, minha primeira providência foi entender o que é "cativar".

A frase, desde sua tradução para a língua portuguesa, tem sido utilizada de forma romântica, amorosa, como se fossemos eternamente responsáveis por quem nós conquistamos. A psicologia há muito tem rebatido esse amor possessivo e "irresponsável", que terceiriza ao outro a responsabilidade por nossos afetos: você me conquistou, agora você será eternamente responsável por mim! Ora, se pra você isso não soa como uma birra de uma criança mimada, para mim, chega a fazer eco. Posso até ver a criança esperneando, fazendo bico e se jogando no chão.

Mas então, por que essa frase tem sido tão utilizada?

Porque, como diria Nietzsche, criou-se uma convicção e assim, uma verdade absoluta. Verdade esta, como pondera o filósofo que chega a ser pueril (infantil), afinal, poucos se sacrificam para conhecer a verdade, a maioria, acrescento, aceita as coisas como estão, e são. Quem disse que a palavra cativar, tem algum elemento romântico? Cativar,vem do latim CAPTIVARE, que significa “escravizar, dominar”.

Mas então, Saint-Exupéry estava errado?

Não, a frase original em francês é a seguinte: "Tu deviens responsable pour toujours de ce que tu as apprivoisé." cuja tradução mais correta seria: *Você se torna eternamente responsável pelo que doma *(ou domestica).

Decepcionado?

Não, não fique, existe uma explicação lógica:

Se você leu o livro, sabe que é uma raposa muito esperta que tenta convencer o príncipe a "domá-la", isso porque, os caçadores estão à espreita.

Mas, alguém já viu uma raposa domada, ou domesticada? O fim de toda raposa diante de um caçador é a morte mas se o Pequeno Príncipe, que sequer sabia que animal era ela fosse capaz de domesticá-la, ela estaria a salvo - com a condição - é claro, de ser eternamente responsável por ela. Assim como somos por nossos animais de estimação.

Então, tratando de seres humanos, ninguém é responsável por cativar ninguém e, se assim for, será um ato de puro egoísmo, de quem cativou e de quem foi cativado e delega ao outro a responsabilidade por sua vida.

Quer continuar a usar a frase? Use, mas para mostrar sua responsabilidade pelos seus animais de estimação e ponto.


Mirian Gomes

Mãe, Advogada, Escritora e Apaixonada pela vida: simples assim.
Saiba como escrever na obvious.
version 8/s/literatura// @obvious, @obvioushp //Mirian Gomes